7 dicas para equilibrar estudos e descanso nas férias

Veja como é possível aproveitar o período para revisar conteúdo e curtir momentos prazerosos

  • Foto do(a) author(a) Portal Edicase
  • Portal Edicase

Publicado em 22 de junho de 2024 às 17:28

Imagem Edicase Brasil
Durante as férias, estudantes que se preparam para vestibulares precisam equilibrar relaxamento com revisões e estudos (Imagem: oatawa | Shutterstock) Crédito:

Nos períodos de férias, é comum associar o tempo livre a atividades relaxantes como maratonar de séries no sofá ou simplesmente um bom cochilo durante o dia. Porém, para os estudantes que almejam passar em vestibulares concorridos, esses momentos também envolvem a necessidade de revisões, leituras atrasadas e simulados. Surge então a questão: como aproveitar os dias de descanso sem comprometer o progresso nos estudos?

Para o educador Paulo Jubilut, fundador da Aprova Total, plataforma online focada na preparação de estudantes para o vestibular e Enem, o segredo é fazer pausas inteligentes e aproveitar o momento para se cuidar. “A sensação de cansaço é normal; já o esgotamento e a ansiedade pedem atenção. Com a aproximação de provas importantes, como o Enem, o aluno precisa olhar com carinho para o psicológico”, alerta o professor.

Em um contexto em que a incidência do transtorno de ansiedade é muito alta entre os jovens, o autocuidado deve ser reforçado. “A maioria dos vestibulares se concentra no segundo semestre. Embora o aluno já esteja há meses com uma carga de estudos intensa, este é o momento mais desafiador. Portanto, cuidar da mente é essencial para recuperar as energias, melhorar o raciocínio e voltar com mais fôlego para os estudos”, reforça Jubilut.

Pensando nisso, preparamos dicas para o estudante curtir as férias com equilíbrio!

1. Pratique hobbies

Seja ler , jogar videogames, tocar instrumentos ou cozinhar, ter um passatempo faz bem à saúde, tanto física quanto mental. Inclusive, não se trata apenas de eleger coisas que gosta de fazer, mas de investir no desenvolvimento de habilidades. É algo que até pode ajudar nos estudos.

Uma pesquisa feita pela Samsung mostrou que a geração Z utiliza aplicativos como TikTok, Instagram e YouTube para aprender novos hobbies. Entre 1.500 entrevistados de 18 a 25 anos, 72% se interessam por algo novo após assistir a algum vídeo nas redes sociais. A fotografia (29%) foi escolhida como o passatempo número 1, seguida de meditação (16%) e tricô (13%).

2. Aprimore o repertório cultural

É comum ter uma lista salva no celular com livros, filmes, séries e documentários que gostaria de ler ou assistir, mas não conseguir cumpri-la por falta de tempo. A hora é agora! A melhor maneira de colocar essa lista em dia é escolher conteúdos para aprender e se divertir ao mesmo tempo.

Uma dica é ver o que deixou passar das leituras obrigatórias dos vestibulares, ou o que caiu no Enem passado, e buscar obras cinematográficas inspiradas nelas, ou com temas próximos — é um jeito de não ficar totalmente para trás e relaxar um pouco.

Imagem Edicase Brasil
Nas férias, é possível aproveitar o tempo com pessoas queridas (Imagem: pics five | Shutterstock) Crédito:

3. Passe mais tempo com pessoas queridas

Estudar para o vestibular , muitas vezes, é solitário. O aluno fica muito tempo na escola ou em casa assistindo às aulas do cursinho e resolvendo os exercícios. Nessa rotina, momentos especiais, como jantares em família, um aniversário, um café com os avós, ou o cinema com os amigos, ficam de fora.

Com a chegada das férias é possível moderar a intensidade dos estudos e aproveitar de outras maneiras o tempo que (teoricamente) sobra. Manter os laços é fundamental. E buscar apoio nas pessoas próximas pode dar um fôlego a mais.

4. Acompanhe discussões de atualidades

Por mais que a pausa seja para colocar o pé no freio, os fatos não param de chegar. Então, não dá para ficar totalmente desligado do que está passando nos noticiários. É importante continuar acessando os sites jornalísticos.

Uma dica é escutar os podcasts que fazem resumos dos acontecimentos importantes da semana. Uma sugestão para o vestibulando fazer nas férias é anotar no calendário deste e do ano passado as datas históricas que o seu professor de atualidades provavelmente vai transformar em tema de aula.

5. Pratique atividade física

No dia a dia, geralmente os exercícios ficam em segundo, terceiro, às vezes quarto lugar na lista de prioridades. Isso é preocupante, pois um corpo que não se mexe costuma ter mais dores, sinais de estresse e cansaço. Ao se manter mais ativo, muita coisa melhora: a concentração durante as provas, os reflexos e a memória.

Uma pesquisa referência na área, desenvolvida pelas universidades de Radboud, na Holanda, e de Edimburgo, na Grã-Bretanha, afirma que se exercitar ajuda a reter conhecimento. A orientação dos pesquisadores é fazer alguma atividade exatamente depois de quatro horas de estudos. Uma dica é intercalar esses períodos com uma caminhada rápida no quarteirão.

6. Que tal meditar?

A tensão pré-vestibular é uma realidade. Para aliviar a angústia e a ansiedade nesse momento entre um pouco de férias e as provas que se aproximam, que tal meditar? As práticas meditativas são variadas, e podem durar poucos minutos ou horas. Então é necessário avaliar qual delas ajudaria você.

O mindfulness , por exemplo, é uma técnica cujo objetivo é colocar o foco no presente, sem preocupações com o passado ou o futuro. Nesse caso, usa-se muito a meditação guiada, com imagens mentais, sons, cheiros e texturas de situações que contribuam para relaxar. Experimente!

7. Reflita sobre a sua rotina de estudos

Para completar as sugestões anteriores, tem mais uma coisa que o vestibulando deve fazer nas férias: avaliar sua rotina de estudos . Se o esforço ainda não trouxe resultados, pode ser só uma questão de tempo, mas talvez a rota precise de alguns ajustes.

É importante analisar: como está dividindo seu dia? Está fazendo pausas necessárias entre as tarefas de uma disciplina e outra para respirar e retomar a concentração? Faz resumos, anota as dúvidas e lê as resoluções com atenção? Para encontrar novos caminhos, vale conversar com os colegas que estão vivendo o mesmo momento. 

Por Ana Coelho