Em O Regresso, Leonardo DiCaprio brilha e é favorito ao Oscar

Ator interpreta o explorador Hugh Glass, que é atacado por um urso e abandonado por membros do próprio grupo

Publicado em 4 de fevereiro de 2016 às 16:03

- Atualizado há 10 meses

Foi em 1993 que Leonardo DiCaprio, ainda aos 19 anos, começou a chamar a atenção do público e da crítica, pela sua atuação em Gilbert Grape - Aprendiz de Sonhador.No papel de um jovem que sofria de transtorno mental, o ator, que contracenava com Johnny Depp,  ganhou uma indicação ao Oscar de melhor ator coadjuvante. Perdeu para Tommy Lee Jones.DiCaprio em O Regresso: no filme,  baseado em fatos reais, o ator vive o explorador Hugh Glass(Foto: Divulgação)Passados 22 anos, com um cachê em torno dos US$ 25 milhões por filme (o que o torna o ator mais bem remunerado do mundo), o astro coleciona trabalhos com alguns dos maiores cineastas, como Steven Spielberg, Martin Scorsese, Quentin Tarantino e Clint Eastwood. EstreiaAgora, em O Regresso, que estreia quinta-feira, DiCaprio atua sob a direção de mais um badalado realizador: o mexicano Alejandro González Iñárritu, vencedor do Oscar de melhor diretor no ano passado por Birdman.Em O Regresso, DiCaprio interpreta o explorador Hugh Glass, que é atacado por um urso e abandonado por membros do próprio grupo. Sozinho e quase morto, Glass começa uma batalha por sua sobrevivência. Enfrenta então uma odisseia de 320 quilômetros em busca do homem que o traiu, John Fitzgerald, interpretado por Tom Hardy. Por O Regresso, o ator recebeu seu terceiro Globo de Ouro.Já havia vencido por O Lobo de Wall Street e O Aviador(Foto: Divulgação)O drama, que tem sido considerado “sufocante” por parte da crítica, tem colhido elogios e prêmios. No Globo de Ouro, que costuma dar indícios de como será o Oscar, O Regresso levou, no início de janeiro, os prêmios de melhor diretor, melhor ator e melhor filme na categoria drama.No Oscar, que será entregue em 28 de fevereiro, O Regresso acumula 12 indicações, sendo o recordista do ano. Disputa nas categorias mais importantes, como melhor filme, direção e ator.Nas categorias técnicas, a fotografia é o que mais chama a atenção. O filme foi todo gravado com luz natural no congelante norte do Canadá, sem nenhum tipo de aparato. Por isso, em média, filmava-se somente pouco mais de uma hora por dia. Para a tarefa de fotografar o filme, Iñárritu convidou o parceiro  Emmanuel Lubezki, que já esteve com ele em Birdman. Lubezki é forte candidato a ganhar seu terceiro Oscar seguido, já que no ano passado foi laureado por Birdman e  em 2014 levou o prêmio por seu trabalho em Gravidade, com outro cineasta mexicano, Alfonso Cuarón.Mas, das 12  possíveis premiações de O Regresso, há quem jure que, pelo menos, uma está garantida: a de melhor ator, para Leonardo DiCaprio. Indicado pela sexta vez ao Oscar, mas jamais tendo sido vencedor, tudo indica que dessa vez ele leva a desejada estatueta para casa.

Sexta indicaçãoAlém de ter vencido o Globo de Ouro, DiCaprio levou, no último sábado, o prêmio do Screen Actors Guild, entregue pelo Sindicato de Atores dos EUA, outro importante “termômetro” do Oscar.Depois da indicação por Gilbert Grape, o ator foi candidato a melhor ator no papel principal em mais três ocasiões: por O Aviador, em 2005; Diamante de Sangue, em 2007; e  O Lobo de Wall Street, em 2014. A quinta indicação de DiCaprio ao prêmio foi por O Lobo de Wall Street, que ele produzia e concorria a melhor filme, mas perdeu para Doze Anos de Escravidão. O Aviador (2004) | No papel de Howard Hughes, sob a direção de Martin Scorsese, o ator perdeu a estatueta para Jamie Foxx, que conquistou a Academia por seu papel em Ray (Foto: Divulgação)Diamante de Sangue (2006) | Foi Forest Whitaker, por sua atuação em O Último Rei da Escócia, que desbancou Di Caprio na briga pela estatueta de melhor ator (Foto: Divulgação)O Lobo de Wall Street (2013) | De novo sob direção de Scorsese, DiCaprio foi derrotado. Dessa vez, seu algoz foi Matthew McConaughey, em Clube de Compras Dallas (Foto: Divulgação)DiCaprio, no entanto, ainda está longe de ser o maior perdedor da história da premiação, já que  Peter O’Tolle foi derrotado nove vezes.Mas o ator parece não ter o Oscar como uma obsessão e, talvez, seus fãs estejam mais ansiosos que ele por uma premiação. Em entrevista à revista Severina, da Folha de S. Paulo, ele disse: “Tudo o que posso fazer é dar o meu melhor como ator. Se acontecer algum dia, ótimo. Se não, não há nada que eu possa fazer”.No futebol, há uma espécie de piada sobre os grandes jogadores que nunca ganharam uma Copa do Mundo. Se alguém tenta diminuir o valor de um craque argumentando algo do tipo “Zico nunca venceu uma Copa” ou “Cruyff nunca venceu uma Copa”, retruca-se, para ressaltar o valor do craque: “Dane-se a Copa!”. E DiCaprio, se não vencer, poderá dizer, como esses craques: “Dane-se o Oscar!”.Ator mantém fundação dedicada à sustentabilidade do planetaLeonardo DiCaprio fundou, em 1998, uma fundação que leva seu nome. A instituição, que tem como objetivo garantir um futuro sustentável para a Terra, dedica-se a lutas como a preservação das florestas, o acesso à água pelas populações mais carentes e o consumo responsável dos recursos naturais.Em 2014, na Marcha pelo Clima, na Sexta Avenida, em Nova York (Foto: Timothy A. Clary/ AFP)No ano passado, o ator arrecadou, para a organização, mais de US$ 40 milhões, em um leilão realizado em Saint-Tropez, na França. O ator cedeu vários de seus pertences, como quadros de Andy Warhol (1928-1987) e uma propriedade na ilha de Cayo Blackadore, no Belize, que foi vendida por US$ 11 milhões.  “Destruímos nossas florestas, nossas paisagens selvagens, poluímos nossos rios e oceanos. Todos esses ecossistemas não só hospedam a biodiversidade do nosso planeta, mas também fazem a nossa vida possível aqui”, disse o ator.Muito preocupado com as questões climáticas, o ator produziu, em 2007, o documentário A Última Hora, que contesta a maneira como o ser humano conduz a vida do planeta. O filme tem depoimentos de personalidades como o físico Stephen Hawking e o ex-presidente soviético Mikhail Gorbachev.

Cotação: