Cidade desejada: Salvador se consolida como destino e concorre a prêmio internacional

Capital recebeu 4,1 milhões de visitantes no primeiro semestre

  • Foto do(a) author(a) Wendel de Novais
  • Wendel de Novais

Publicado em 3 de agosto de 2023 às 05:30

Depois de começar 2023 como o 4° destino mais procurado do país, de acordo com o buscador Kayak, Salvador se consolida como um dos melhores destinos no Brasil. A capital, inclusive, concorre na categoria 'cidade desejável' ao Reader Travel Awards 2023, premiação de turismo e viagens da Wanderlust, revista tradicional do Reino Unido que é voltada para o setor turístico.

Em território brasileiro, só o Rio de Janeiro acompanha Salvador na disputa que envolve cidades de todo planeta. A participação da metrópole baiana ocorre justamente após um semestre de guinada no receptivo de turistas internacionais. De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a capital recebeu 655 voos e 137.022 turistas vindos de outros países.

O número representa um aumento de 83,5% na chegada turistas internacionais em relação ao que se viu no mesmo período - primeiro semestre - de 2022, quando vieram 74.668. Nos voos, o avanço foi de 64,5%, já que, nos primeiros seis meses do ano passado, 399 aeronaves de fora aterrissaram por aqui. A reportagem procurou o Ministério do Turismo para ter acesso a dados de todas as capitais em relação ao fluxo estrangeiro, mas não teve retorno sobre os dados.

Em contato direto com as cidades, apenas São Paulo retornou com informações gerais, sem detalhar os números sobre o receptivo estrangeiro. Sobre o fluxo internacional em Salvador e a indicação ao prêmio da Wanderlust, Gegê Magalhães, diretor de turismo da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de Salvador (Secult), entende que é uma resposta a diversidade de atrativos que a cidade reúne.

"Essa indicação internacional mostra que o trabalho de divulgação do destino Salvador está sendo muito bem feito. Deixa nítido que a cidade é desejável em vários aspectos, seja na música, cultura, gastronomia, natureza, religião e tantos outros aspectos", diz.

A lista das 12 melhores atrações soteropolitanas, segundo o TripAdvisor, site de viagens que compila avaliações e dicas de turistas, sai de paraísos arquitetônicos, passa por belezas naturais e museus.

As principais indicações de destinos da cidade no site são: Pelourinho, Igreja e Convento de São Francisco, Ilha dos Frades, Farol da Barra, Casa do Rio Vermelho, Praia do Porto da Barra, MAM, Praia do Flamengo, Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos e o Salvador Shopping.

Há ainda destinos marcantes que não aparecem entre os dez como o Elevador Lacerda, a Igreja do Bonfim, a orla de Itapuã, a Arena Fonte Nova e outros.

Isaac Edington, presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur), justifica o sucesso, afirmando que há um trabalho contínuo para que a cidade tenha um calendário anual de eventos vasto e diversificado, não só no primeiro como no segundo semestre.

"Para a segunda metade do ano, já temos marcadas WSL de Surf, a Flipelô, feiral literária das mais importantes do Brasil. Temos Maratona Salvador 2023, que atualmente é uma competição de extrema importância para o turismo esportivo da cidade, assim como a Travessia Itaparica – Salvador, a mais relevante de águas abertas do Brasil", fala ele.

Edington diz ainda que o calendário vai contar ainda com Triatlhon Oficial da Cidade (TriOn), eventos náuticos, Festival da Primavera, além do "Mundo Negro", momento em que toda Salvador receberá uma série de eventos destinados ao afroturismo.

Números gerais

A atividade turística geral da capital baiana registrou 4.147.501 visitantes nos primeiros seis meses do ano, de acordo com o Observatório do Turismo de Salvador. A cidade teve picos de crescimento em relação a 2022, principalmente, em dois meses. Em fevereiro, mês do Carnaval, Salvador pulou de 646 mil para 754 mil turistas recebidos. No mês seguinte, em março, saiu de 647 mil em 2022 para 700 mil em 2023.

Por conta de quedas nos meses de abril (-4,8%), maio (-5,1%) e junho (-0,1%), a variação nestes seis meses fechou em 2,9%. Nada que limitasse uma avaliação positiva do setor por parte de Gegê Magalhães, da Secult, que cita a movimentação em serviços para explicar como a cidade melhorou em relação ao que se viu na atividade turística em 2022.

"Os dados mostram que Salvador caminha em uma crescente, mas com uma expectativa muito maior [para o segundo semestre] com o aumento da chegada de navios na cidade, agenda cultural ampliada e outras novidades", explica o gestor, ressaltando o papel que o fim do ano tem na estatística e lembrando bons desempenhos nos equipamentos de turismo que a cidade possui.

Na Casa do Carnaval do Pelourinho, por exemplo, o número de visitantes de outros estados chegou a 15.920, registrando um crescimento de 75% em relação aos 9.089 turistas do mesmo período em 2022. Quando o assunto é turistas estrangeiros, o aumento chegou a 113%, saindo de 2.437 para 5.200 visitantes.

Os cofres da cidade também sentiram a diferença na arrecadação. De acordo com estimativa do Observatório do Turismo, a receita turística saiu de R$ 6 bilhões para R$ 6,2, injetando mais de R$ 100 milhões na economia da capital.

Os bons resultados, é claro, chegaram aos negócios. No caso da agência Luck Receptivo, o aumento em relação a 2022 é de cerca de 70% em pacotes fechados, como indica a gerente geral Patrícia Caetano.

"Subiu 70% e as estimativas para o segundo semestre são ainda maiores. Esse aumento foi devido a uma série de fatores como a melhoria da infraestrutura, políticas favoráveis ao turismo, a promoção do destino nas feiras, road shows e eventos especiais", explica ela.

O desempenho positivo também é o caso do Guia Negro, plataforma que promove passeios turísticos com protagonismo negro em Salvador. De acordo com Guilherme Soares Dias, fundador do Guia, o número de visitantes que participaram dos passeios na capital nos primeiros seis meses de 2023 foi 60% maior em relação ao que se teve no primeiro semestre de 2022 na plataforma.

"Nós percebemos um crescimento do interesse pelo afroturismo. O ano de 2023 é o primeiro em que temos passeios todos os sábados. Antes, era um a cada 15 dias. Porém, pela demanda, até em abril e maio, quando tem menos gente na cidade, conseguimos fazer semanalmente", conta o fundador do Guia Negro.

Em 2022, os gastos de hóspedes cadastrados na plataforma de aluguel de imóveis Airbnb com compras, transporte, alimentação e entretenimento (exceto com acomodação) geraram 76,1 milhões de dólares para Salvador. Desse valor, 35,2 milhões de dólares contribuíram para o Produto Interno Bruto (PIB), geração de 1.300 empregos e 20,3 milhões de dólares em remunerações, salários e outros rendimentos trabalhistas.

Na hotelaria, já houve efeito neste ano, mas ainda não se chegou ao patamar que é objetivo para o setor. A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis na Bahia (ABIH-BA) informou que Salvador fechou o primeiro semestre de 2023 com ocupação de 57,57%, ligeiramente acima da verificada no mesmo período do ano anterior (55,93%), embora ainda abaixo dos níveis observados no período pré-pandemia (61,55% no primeiro semestre de 2019).

A ABIH-BA aponta que o desempenho obtido no 1° semestre do ano acende uma luz amarela para o setor hoteleiro, considerando que ainda está abaixo do esperado quando comparado com o mesmo período de 2019, antes da pandemia. Com isso, é necessário potencializar a divulgação do destino Salvador para que continue sendo um dos principais destinos de lazer do país.

Cenário estadual

Na Bahia, também houve recuperação. Até maio deste ano, o volume das atividades turísticas no estado, baseado em registros de serviços, expandiu 12,0% em relação ao mesmo período do ano anterior, após avançar 35,7% em 2022, na mesma base de comparação. Nesse período - cinco primeiros meses de 2023 -, o Brasil expandiu em 8,4%. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS/IBGE) e compõem o Boletim de Análise Conjuntural do Turismo na Bahia. Entre os 12 estados pesquisados, só Minas Gerais e Paraná tiveram uma variação superior ao que foi registrado na Bahia.

Os números de cada segmento, porém, não colocam os indicadores de volta ao que se tinha no período pré-pandemia, no ano de 2019. Dados de movimentação aeroportuária da Infraero mostram que 2.852.054 visitantes desembarcaram em Salvador de janeiro a maio. Em 2019, foram 3.088.004 nos primeiros cinco meses. Já em 2022, esse número foi de 2.779.590. A Infraero não informou os dados relativos a junho.

Silvio Pessoa, presidente da Federação Baiana de Turismo e Hospitalidade do Estado da Bahia (Fetur), destaca que, apesar da evolução em relação ao ano anterior, o desempenho geral do turismo baiano deixa a desejar em relação a outras praças como as capitais do Sul e Sudeste do Brasil com crescimento acima de 10%.

"A atividade aeroportuária aqui cresceu 2,6%. Os lugares que mais receberam turistas foram Porto Seguro e Mata de São João, o último com os melhores resorts do país. Em Salvador, estamos recuperando aos poucos e é preciso maior incentivo em divulgação e marketing. A concorrência com outros estados está muito grande. A recuperação, para o setor como um todo, é tímida", indica.

O estado de maneira geral, de janeiro a maio, registrou um crescimento de 8,63% em fluxo de visitantes - vindo de carro, avião, ônibus ou outro transporte - em relação ao mesmo período de 2022, de acordo com a Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav) do estado, que não informou os números de junho quando procurada.

O número consolida um crescimento que já virou tendência desde que o vírus não é mais um fator no dia a dia baiano. Jean-Paul Gonze, presidente da Abav, relata que o dado vem de pesquisas da Secretaria de Turismo do Estado da Bahia (Setur), que foi procurada, mas não respondeu até o fechamento da reportagem.

Gonze destaca que, apesar da estatística ser geral, ela se mostra em dados específicos das agências. "O turismo está começando a se recuperar e as agências estão sentindo isso, cada uma de uma forma. Não temos pesquisas específicas, mas os relatos são positivos", informa ele.

A reportagem procurou a ABIH-BA para ter números sobre a ocupação hoteleira e o ranking dos feriados que mais registraram visitantes no estado, mas a associação afirmou não ter essas informações. Sobre o ranking de feriados, a Setur também foi questionada e não respondeu.

Futuro é melhor

Sejam tímidos ou não, os números de atores do turismo no estado devem ficar melhores no segundo semestre de 2023. Mario Bruno, diretor proprietário da operadora de turismo Conquest, que cita um crescimento tímido no primeiro semestre, mas prever uma expansão interessante para empresa no segundo.

"Temos perspectivas neste segundo semestre de crescer ao menos 20% em relação ao memso periodo ano passado, mas ainda sem atingir os níveis pré-pandemia. As maiores procuras são para Europa, América do Sul e os EUA", conta o comandante da Conquest, que atua na venda de pacotes de quem sai da Bahia para outros países.

No caso de quem faz o movimento contrário, a perspectiva também é de crescimento. Pelo menos, é essa a expectativa da Abav, segundo Jean-Paul Gonze, que aponta o segundo semestre com um calendário mais propício a visitas de pessoas ao território baiano.

"Seguramente, teremos mais visitantes que no primeiro semestre. São datas mais favoráveis e o turismo internacional, que é um componente importante, responde melhor nesse período. O que é interessante porque é um turista que tem por característica gastar mais aqui", avalia ele.

No Observatório do Turismo da Bahia, que estima um dado de pouco mais de 3 milhões de visitantes de janeiro a maio, os turistas internacionais representam 118 mil dos que passaram pela Bahia. O turista nacional, porém, também vai ter mais incentivos para vir no segundo semestre.

Já em julho, haverá ofertas extras de voos para o estados. As regiões turísticas baianas, como a Costa do Descobrimento e o Litoral Sul, com os aeroportos regionais de Porto Seguro, Ilhéus e Comandatuba, em Una, terão oferta de voos extras até o dia 31 deste mês. A estimativa é que mais 175 mil pessoas passem por estes locais justamente por conta da ampliação.

Na Costa do Descobrimento, o Aeroporto de Porto Seguro irá oferecer mais 159 voos, além dos 448 regulares do mês, o que significa um aumento de 38% para atender a demanda das férias escolares. Já em Ilhéus, o Aeroporto Jorge Amado terá um crescimento de 27% na quantidade de pousos e decolagens. Serão 231 voos, sendo 49 extras, e com a expectativa de que cerca de 50 mil pessoas utilizem o aeroporto no período.

No Aeroporto de Comandatuba, o número de viagens aumentará em 26%. Serão 24 voos, sendo 5 adicionais, e mais 5 mil de passagem pelo local.

A reportagem solicitou o número de turistas estrangeiros que entraram na Bahia de janeiro à julho deste ano a Embratur e aguarda retorno. O Ministério do Turismo também foi procurado para a solicitação de número de entradas de turistas em todos os estados brasileiros neste ano e respondeu que os dados devem ser buscados nos órgãos estaduais.