APÓS LATROCÍNIO

'Estamos cansados de chorar a dor dessas famílias', diz presidente do Sindicato de Motoristas

Profissionais foram alvo de 39 furtos e roubos apenas neste ano; motorista foi morto na madrugada de sábado (4)

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 6 de maio de 2024 às 14:28

Suspeitos
Suspeitos Crédito: Reprodução

O presidente do Sindicato de Motoristas por Aplicativo da Bahia (SIMACTTER) e vereador Átila do Congo (PMB) pediu que a Justiça cumpra com rigor a penalidade para os dois suspeitos apontados como autores do latrocínio de Marcos Luis Silva Alves, de 29 anos, no último sábado (3), em Salvador.

“Não basta a polícia prender se a Justiça deixa a brecha da audiência de custódia para libertar esses bandidos em poucas horas, fazendo com que a vida do crime valha a pena. Estamos cansados de chorar a dor dessas famílias que perdem pais, filhos e irmãos de uma forma tão cruel, enquanto trabalham”, disse o vereador.

Os dois suspeitos de matar um motorista por aplicativo na avenida Paralela tiveram as prisões preventivas decretadas nesta segunda-feira (6) após audiência de custódia. A dupla foi presa na cidade de Simões Filho no mesmo dia em que ocorreu o crime. Um dos suspeitos, Anderson Santos Costa, resistiu à prisão e foi levada para um hospital após ser ferido. Ele é o suspeito de ter disparado a arma que vitimou Marcos Luís Silva Alves, de 29 anos.

Átila ainda afirmou que os profissionais são desamparados pelo Judiciário e também pelas próprias empresas que gerenciam as plataformas de mobilidade, além do Governo Federal.

Motoristas de app foram alvo de 39 furtos e roubos em 2024

O latrocínio do motorista foi o primeiro registro deste tipo de crime em 2024 na capital baiana. Mas, ainda este ano, até o dia 3 de maio, foram registrados 39 furtos e roubos pela própria categoria ao Simmacter.

No comparativo com o mesmo período do ano passado, foram dois óbitos de motoristas durante o exercício da atividade, além de 83 casos de furtos e roubos.

Entre os quadrimestres de ambos os anos houve uma redução de 46% nas ocorrências de furtos e roubos.