Reajuste de mensalidade de colégios em Salvador chega até 30% para 2024

Índice é maior do que a média nacional, que é de 9%

Publicado em 25 de outubro de 2023 às 05:00

O final do ano se aproxima e traz uma preocupação que dá dor de cabeça para pais e mães: o reajuste das mensalidades dos colégios particulares. Em Salvador, instituições privadas já anunciam aumento de até 30% em comparação com as mensalidades deste ano. Percentual bem acima da média nacional, que é de 9%. Entre as justificativas para a crescente de preço estão maiores investimentos nos profissionais, custo de materiais e as incertezas sobre os reflexos da reforma tributária.

Colégio Bernoulli vai inaugurar nova sede no Caminho das Árvores Crédito: Paula Fróes

A reportagem realizou uma pesquisa com 25 colégios particulares de Salvador (confira a lista completa ao final da matéria). Do total, 10 informaram os valores das novas mensalidades do ano que vem. Os outros disseram que o percentual será divulgado nas próximas semanas. O levantamento indica que o aumento da mensalidade na capital baiana varia entre 5% e 30%.

Entre todos os colégios pesquisados, o Bernoulli, na Pituba, é o que apresenta o maior reajuste para o ano letivo de 2024. Apesar de informar que a mensalidade do 3º ano do ensino médio não será alterada, o colégio disse que o custo mensal do 2º ano do ensino médio será reajustado em 30,3%. A mensalidade, que neste ano está em R$3.571, saltará para R$4.656. Alunos podem concorrer à bolsas de estudos mediante o resultado em uma avaliação. 

A informação foi repassada por telefone por dois funcionários diferentes do Bernoulli, que justificaram o reajuste de mais de R$1 mil pelos custos com a construção da nova unidade do colégio. A previsão é que a unidade do Caminho das Árvores seja concluída em dezembro deste ano. Nela, serão recebidos alunos da Educação Infantil ao Ensino Fundamental. 

O colégio foi procurado oficialmente através de sua assessoria de imprensa, que negou que o reajuste seja de 30%, apesar de a informação ter sido repassada por funcionários do colégio. "Para 2024, a unidade Pituba do Colégio Bernoulli fará um reajuste de 9,8% nas mensalidades de rematrícula, utilizando a inflação e o mercado como referências para assegurar a qualidade e a excelência no ensino ofertado", pontua. 

O Bernoulli disse ainda que abrirá uma nova unidade, mas não deu detalhes sobre os valores que serão cobrados. "É importante reforçar que a instituição está abrindo uma nova unidade, no bairro Caminho das Árvores, na qual as mensalidades não contam ainda com uma base de reajuste por se tratar do primeiro ano de funcionamento", reforça. 

Abusos

Embora a lei brasileira não estabeleça um limite para o aumento da mensalidades das escolas, pais e responsáveis podem buscar a Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-BA) ou a Justiça caso desconfiarem dos reajustes. O advogado Pedro Falcão, que atua na área do Direito do Consumidor, analisa que, se concretizado, o reajuste de 30% pode ser considerado abusivo. A inflação do ano que vem deve chegar aos 3,5%, de acordo com o Comitê de Política Monetária do Banco Central.

“Pode-se buscar judicialmente uma revisão do contrato, na qual a escola deve justificar o aumento de gastos num importe tão elevado. No entanto, como outros fatores afetam os custos de uma prestação de serviço, estar acima da inflação não é garantia de sucesso num processo desses”, explica o advogado.

Em seguida no ranking dos maiores reajustes estão os colégios Marízia Maior, em Stella Maris, e o Portinari, no Costa Azul. Ambos informaram aumento de 12% nas mensalidades. O Colégio Montessoriano, na Boca do Rio, é um dos que notificaram os pais sobre o reajuste, que será de 10,7%. As escolas Miró, na Barra, e Lápis de Cor, na Pituba, informaram acréscimo de 10% nas mensalidades.

Todos os colégios de Salvador citados até então informaram reajuste superior à média nacional, que é de 9%, de acordo com levantamento feito pelo site buscador Melhor Escola. Ao todo, 979 escolas do Brasil responderam a pesquisa e o reajuste mais alto foi de 35%.

Já o Colégio Marista Patamares anunciou que o aumento da mensalidade acompanhará a média nacional. A unidade informou que os percentuais variam conforme os segmentos de ensino, mas não detalhou os valores. "A anuidade é reajustada tendo em vista custos, investimentos e a inflação atual que impacta na prestação de serviços", pontua o Marista. O Gênesis, em Stella Maris, também terá reajuste anual de 9%.

Apenas as escolas Tempo de Crescer, no Caminho das Árvores, e Casulo Creche Escolas, no Acupe de Brotas, terão aumento inferior à média nacional. Na primeira, o reajuste será de 6%. A segunda enviou um comunicado aos pais sobre o reajuste de 5% para 2024. A mensalidade de R$2.090 saltará para R$2.194 no ano que vem, o que representa um custo maior para os pais e mães como Liana Mascarenhas, 38.

Ela, que tem uma filha de quatro anos matriculada na instituição, não foi surpreendida pelo anúncio. De 2022 para 2023, o aumento registrado na mensalidade foi de 10%. "O acréscimo vai impactar na nossa vida financeira. Vamos ter que abrir de algo, uma hora ou outra. Como estávamos cientes, já estamos trabalhando para fazer os ajustes necessários no orçamento", afirma.

Pais devem se programar para os aumentos

Os reajustes das mensalidades dos colégios particulares acontecem todos os anos e a média de acréscimo costuma variar entre 8% e 12%. A educadora financeira Liz Midlej indica que os pais e responsáveis comecem a analisar, já em outubro, se terão como arcar com os novos custos das escolas. Ela ainda incentiva que os pais procurem as instituições para tentar negociar os valores dos próximos anos.

“Mesmo que a escola não divulgue o reajuste, os pais devem fazer um cálculo com um aumento de, em média 10%, e multiplicar por 12 para ter o custo total em um ano. É uma forma de ver se o aumento não é abusivo e de se programar”, explica.

Em 2017, quando os reajustes de um colégio particular ultrapassaram os gastos que a família poderia arcar com a educação dos três filhos, Maria Eugênia Oliveira começou a caça às escolas mais baratas e com nível similar de qualidade. Hoje, ela e o marido desembolsam cerca de R$9 mil com as mensalidades dos dois colégios onde os filhos de 17,15 e 8 anos estudam.

“Se eles continuassem na outra escola, não teriam condições de arcar com os reajustes abusivos. Os nossos salários não aumentam na mesma medida que as mensalidades, então fica impossível”, diz. Para o ano que vem, a preocupação ainda é maior porque uma das filhas vai ingressar no terceiro ano do ensino médio. “Nenhuma das duas escolas mandou comunicado, mas já estamos preocupados porque dessa vez o reajuste vai ser maior”, lamenta.

Serviços de saúde mental ajudam a explicar reajuste acima da média em Salvador

Entre as razões que justificam o aumento das mensalidades está a preocupação de colégios com a saúde mental dos alunos e funcionários. É o que diz Jorge Tadeu Coelho, presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado da Bahia (Sinepe-BA). Segundo ele, depois de escolas terem sido alvo de ataques de ódio em todo o país neste ano, os responsáveis esperam que as instituições ofereçam maior suporte emocional profissional.

“As escolas têm sido mais exigidas em relação à segurança psicológica, no sentido de detectar crianças e funcionários que estejam com distúrbios que precisam de cuidado”, afirma.

Em abril deste ano, um estudante foi apreendido ao ser flagrado com uma machadinha e um facão na mochila, no bairro Cidade Nova, em Salvador. No ano passado, uma estudante foi morta em um ataque a uma escola em Barreiras, no eoste baiano.

“Na prática, isso significa um investimento no conhecimento da psicologia no interior da escola, com cursos e contratação de profissionais”, completa Jorge Tadeu.

Colégios que informaram os reajustes de mensalidade para 2024

Bernoulli: 30,3%
Marízia Maior: 12%
Portinari: 12%
Montessoriano: 10,7%
Miró: 10%
Lápis de Cor: 10%
Gênesis: 9%
Marista: 9%
Tempo de Crescer: 6%
Casulo Creche Escola: 5% 

Colégios que não divulgaram os reajustes:

Anchieta 
Antônio Vieira 
São Paulo 
Perfil 
Gurilândia 
Panamericana
Sartre 
Anglo-Brasileiro
Oficina
Módulo
Pequenópolis 
Pequeno Príncipe
Vitória Régia 
Kimimo 
Integral 

*Colaborou Millena Marques.