20 mil pessoas serão testadas para covid-19 em escolas da Liberdade e região

coronavírus
21.10.2020, 15:21:00
Atualizado: 21.10.2020, 17:06:09
(Luiz Carrera/GOVBA)

20 mil pessoas serão testadas para covid-19 em escolas da Liberdade e região

Alunos, professores e funcionários passarão pelo procedimento, que começou hoje

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Começou, nesta quarta-feira (21), a testagem para covid-19 em estudantes, professores e funcionários de 18 escolas estaduais localizadas nos bairros da Liberdade, Caixa D´Água, Queimadinho, IAPI, Pero Vaz, Pau Miúdo, Cidade Nova, Curuzu, Soledade, Barbalho e Nazaré. O processo de testagem, que já ocorreu antes na região do Subúrbio e em Cajazeiras, é uma forma de monitorar o contágio pelo novo coronavírus na rede escolar estadual. Os testes serão feitos em 19.617 pessoas, sendo 18.285 estudantes, 859 professores e 473 funcionários, vão até a próxima quarta-feira (28).

Leilane Gomes, 20 anos, fez o teste já no primeiro dia da ação. A estudante estranhou o procedimento, mas afirmou que o processo era necessário."Foi tranquilo até eles colocarem aquele negócio no meu nariz. No primeiro momento que eu soube, decidi ir. Minha prima teve coronavírus e eu tinha tido contato com ela. Então, queria saber se peguei, mesmo que precisasse passar por essa situação que é muito ruim", contou, com bom humor, a jovem que está no segundo ano do ensino médio.

Leilane fez teste no primeiro dia da ação (Foto: Luiz Carrera/GOVBA)

Quem corroborou com a fala de Leilane é o estudante Felipe de Carvalho, 16, que sentiu desconforto no teste, mas, no fim, achou que fez certo em ir até a escola. "Na hora que eu sentei na cadeira e vi aquele contonete grandão,  já me arrependi. Foi muito desconfortável, mas sei que era o certo a se fazer porque vou poder saber se tive ou não coronavírus", falou o aluno do primeiro ano do ensino médio. Os estudantes ainda não receberam os resultados. Os dois estudam no Colégio Estadual Duque de Caxias. Segundo eles, a escola informou que a perspectiva é que sejam informados em quatro dias.

Felipe sentiu um desconforto na hora do teste (Foto: Luiz Carrera/GOVBA)

O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, reforçou o convite para que a comunidade escolar faça os testes. “É importante que os pais, as mães e os responsáveis incentivem suas filhas e filhos a irem nas escolas, de acordo com o cronograma preparado por cada unidade para evitar aglomeração. Este é um momento de cuidar da saúde. Ao fazer o teste, o estudante saberá se está contaminado pelo novo coronavírus ou não e isto implica também em cuidar da sua própria família, pois aquele que for positivo vai receber o acompanhamento das autoridades de saúde. Também convidamos os professores e servidores das escolas da Liberdade e região para que possam fazer a testagem”, disse, ao lembrar que os resultados ajudarão na tomada de decisão sobre o retorno das atividades escolares.

Expectativa para volta às aulas 
Em entrevista, os alunos revelaram uma ansiedade para que o retorno às aulas aconteça. Esse é o caso de Camila da Silva, 16, estudante do segundo ano que também passou desconforto na hora do teste, mas não se incomodou, pois quis contribuir para que as aulas voltassem logo. "Foi de boa. É um pouco desconfortável porque aquele cotonete grande incomoda um pouco. Mas, eu fui porque é importante a gente saber como está a nossa situação e ajudar os responsáveis a agilizar o retorno. É bom voltar para adiantar, porque o período parado atrasou o meu lado. Quanto antes voltar, mais fácil recuperar esse tempo perdido", declarou.

Leilane pensa o mesmo. A jovem quer recuperar o tempo perdido para se formar o quanto antes. "Queria muito que voltasse para acabar logo os meus estudos e fazer um curso técnico, até porque tenho 20 anos e preciso sair logo. A pausa não foi boa pra mim, perdi muito tempo. Fiquei com medo até de ir fazer o teste, mas faço tudo para conseguir retornar", lamentou. O professor de matemática, Aguinaldo de Oliveira, avaliou que ir fazer o teste é uma forma de auxiliar na volta. "Para um retorno seguro, é fundamental que sigamos as determinações da Organização Mundial da Saúde (OMS) de testar, testar e testar. Só assim o governo pode ter um resumo da doença e preparar um protocolo de volta que não ponha alunos, professores e colaboradores da rede escolar em risco", defendeu.

Para Aguinaldo, a testagem é o processo correto para preparar o retorno das aulas (Luiz Carrera/GOVBA)

O coordenador de Projetos para a Educação da SEC, Helder Amorim, afirmou que o procedimento, que é uma etapa para monitorar os casos na rede escolar e possibilitar o retorno, é seguro. “O procedimento é simples, tudo é feito seguindo os protocolos e com o maior cuidado por parte dos funcionários da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), com a participação dos preceptores dos cursos de Educação Profissional da rede estadual e de residentes da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Os gestores escolares já preparam as escolas e tudo ocorrerá com a maior segurança”, revelou.

Protocolo de testes
Os testes serão do tipo RT-PCR e já foram aplicados nas comunidades escolares de 28 escolas do Subúrbio Ferroviário de Salvador e de 21 escolas localizadas no bairro de Cajazeiras e região. No interior, foram aplicados testes rápidos em estudantes, professores e funcionários da rede estadual nas cidades de Itajuípe, Itabuna, Ilhéus, Ipiaú, Uruçuca e Jequié.

Escolas são higienizadas e alunos precisam respeitar o protocolo nos dias de testagem (Foto: Luiz Carrera/GOVBA)

Para a realização dos exames, as unidades escolares são preparadas com a higienização do local e disponibilização de álcool em gel e pias com sabão para a lavagem das mãos. Também é exigido o uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI). E todos aqueles que forem fazer o teste devem usar máscara de proteção. Os testes são avaliados pelo Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN).

*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas