257 tiros: Justiça condena militares por mortes de músico e catador no Rio

brasil
14.10.2021, 07:03:00
Atualizado: 14.10.2021, 07:03:14
(Reprodução)

257 tiros: Justiça condena militares por mortes de músico e catador no Rio

Apesar da decisão, os réus respondem em liberdade

A Justiça Militar condenou 8 militares do Exército por matar o músico Evaldo Rosa e o catador de latinhas Luciano Macedo, em 2019. O julgamento terminou no início da madrugada desta quinta-feira (14). 

Eles foram condenados por duplo homicídio e tentativa de homicídio – o sogro de Evaldo, Sérgio, ficou ferido e sobreviveu. Foram 3 votos a 2. Apesar da decisão, os réus respondem em liberdade até que o caso transite em julgado – ou seja, que se esgotem os recursos.

"Eles não têm noção de como estão trazendo uma paz para a minha alma. Eu sei que não vai trazer o meu esposo de volta, mas não seria justo eu sair daqui sem uma resposta positiva", disse Luciana, viúva de Evaldo, após o julgamento. "Hoje vou chegar em casa, vou tomar um banho e acho que hoje vou conseguir dormir", disse a viúva de Evaldo, Luciana dos Santos Nogueira.

Evaldo teve o carro fuzilado no dia 7 de abril daquele ano. No total, 257 tiros foram disparados – 62 atingiram o veículo. Atingido ao tentar ajudar o músico, Luciano morreu 11 dias depois, no hospital.

O julgamento na Justiça Militar, na Ilha do Governador, Zona Norte, durou mais de 15 horas: começou às 9h17 e terminou depois das 0h30.

Em votação, o conselho da Justiça Militar, composto por cinco magistrados – quatro deles militares –, considerou culpados oito réus por homicídio e tentativa de homicídio.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas