300 mil doses da vacina russa chegam à Bahia em 15 dias, diz Rui Costa

bahia
13.07.2021, 19:07:26
Atualizado: 13.07.2021, 19:09:52
(Arquivo/Divulgação)

300 mil doses da vacina russa chegam à Bahia em 15 dias, diz Rui Costa

Sputnik V teve uso e importação aprovados pela Anvisa em junho

As vacinas russas Sputnik V devem chegar à Bahia em 15 dias, disse o governador Rui Costa, em live realizada pela sua rede social, na noite desta terça-feira (13). No primeiro lote, serão enviadas 300 mil doses do imunizante. 

"Finalmente, os obstáculos foram vencidos. Foram 28 obstáculos que a Anvisa colocou e nós. Portanto, com essas 10 milhões de doses, a gente imuniza cinco milhões de pessoas. As vacinas devem chegar dentro de 15 dias no Brasil e na Bahia", anunciou Costa. 

Em março, o consórcio de governadores do Nordeste formalizou a compra de 37 milhões de doses da Sputnik V. Desse total, o estado baiano teria direito a 9,7 milhões de doses. 

Com isso, o governador da Bahia acredita que todos os baianos acima de 12 anos estarão vacinados até dezembro de 2021. "Já vacinamos cinco milhões e, com a Sputnik, seriam 10 milhões de baianos vacinados. Nós temos 15 milhões de habitantes e, desses 15 milhões, uma parte é menor de idade, menor de 12 anos. Portanto, ficaríamos muito próximo da imunização de toda a população vacilável. Minha expectativa é que a até dezembro a gente consiga", declara. 

A importação e uso da Sputnik foram aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no início de junho, mas com uma série de condicionantes. Entre os critérios, o órgão regulador só autorizou aplicar doses em adultos, de 18 a 60 anos, sem comorbidade e ainda não vacinados. 

No entanto, o uso emergencial ainda não foi autorizado. A Anvisa afirmou à reportagem que o pedido, feito pelo laboratório União Química, no dia 25 de março de 2021, ainda está em análise. Segundo a agência, a conclusão da avaliação depende de informações e dados que ainda precisam ser enviadas pela empresa.    

A Anvisa disse ainda que analisou os documentos iniciais e emitiu uma exigência, que é uma solicitação de informações e dados necessários ao processo, mas que ainda não foram encaminhados pelo laboratório. Ou seja, a conclusão da análise depende da apresentação de dados necessários para o uso emergencial de vacinas. 

*Sob orientação da subchefe de reportagem Monique Lôbo 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas