Adolescentes são suspeitos de estuprar menino de 7 anos em escola na Bahia

bahia
13.12.2019, 21:36:00
Atualizado: 13.12.2019, 21:36:07
O fato gerou revolta na comunidade, que organizou um protesto contra a atual diretoria do colégio (Foto: Divulgação)

Adolescentes são suspeitos de estuprar menino de 7 anos em escola na Bahia

Caso gerou protesto com cerca de 200 pessoas na frente do colégio

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.


Três adolescentes com idade entre 13 e 15 anos são suspeitos de estuprar um menino de 7 anos numa escola municipal em Vitória da Conquista, sudoeste da Bahia. O caso, que ocorreu na tarde de quarta-feira (11), está sendo investigado pela Polícia Civil.

Os três adolescentes e a vítima estudam no Centro Municipal Professor Paulo Freire, no bairro Urbis IV. Segundo a família da vítima, o menino relatou que os abusos ocorreram no banheiro masculino da escola, que fica ao lado da secretaria.

Os pais do menino descobriram que ele tinha sido vítima de abusos sexuais após ele contar ao irmão de 10 anos que estuda na mesma unidade educacional. A vítima relatou que foi trancado no banheiro e depois abusado.

Após o relato, o menino de 10 anos levou o irmão para casa, onde os pais notaram que ele estava sujo de fezes e sangue. A um médico pediatra, o menino relatou ter sido penetrado por um objeto não identificado. Contou ainda que um dos adolescentes fez ameaças para que não contasse nada.

A Polícia Civil foi acionada pelos pais do menino, os quais relataram o fato. O menino já fez exames de corpo de delito para verificar a gravidade dos abusos. A Polícia Civil informou que ainda não dá para qualificar que tipo de crime foi cometido, somente depois do resultado dos exames, que devem ficar prontos na semana que vem.

A vítima, segundo a polícia, está recebendo acompanhamento psicológico e pelo Conselho Tutelar. O CORREIO não conseguiu contato com a direção da escola, onde estudam alunos do primário e do ensino fundamental, para comentar o caso, que está sendo acompanhado também pelo Ministério Público da Bahia.

Protesto

Na manhã desta sexta-feira, cerca de 200 pessoas, entre alunos, pais de alunos e outros familiares, realizara uma manifestação na frente do CAIC para protestar contra o caso que ocorreu na quarta-feira e contra outros problemas da unidade escolar, que, para eles, está em estado de abandono.

Os manifestantes levaram cartazes com dizeres contra a direção atual da escola, e pediram que seja mudada toda a diretoria da unidade.

Relataram que há três meses houve o caso de um adolescente que não era aluno entrar armado na escola para possivelmente matar um desafeto que estuda no local. A Polícia Militar chegou a ir à escola averiguar a situação, mas o rapaz que estava armado não foi localizado.

Pais e alunos relataram que a escola não oferece segurança. “Toda semana eu vou de duas a três vezes na escola e é raro alguém me ver entrando lá, se fosse qualquer outra pessoa estranha entraria do mesmo jeito”, declarou uma dona de casa de 35 anos que tem duas filhas que estudam na unidade, uma de 8 e outra de 12 anos.

A mulher, que não quis ter seu nome divulgado, disse ainda que já foram feitas várias reclamações à direção da escola, mas não foram tomadas providências. “Acho absurdo, por exemplo, ter um banheiro só para os alunos pequenos e para os grandes”, ela declarou.

Há cerca de um mês, segundo relato da mulher, a filha dela de 12 anos foi vítima de assédio na escola por parte de três colegas da mesma idade: “Um deles confessou que fez assédio com ela, e a direção não fez nada com ele, achei isso absurdo”.

Outra dona de casa que também não quis ter o nome divulgado e tem duas filhas que estudam no CAIC criticou o fato de a unidade escolar não ter muro, somente alambrado em volta. “Isso facilita em muito a entrada de malandros na escola, e tem várias partes do alambrado que estão quebrados”, afirmou.

“Esses dias entrou uns meninos lá e tomaram banho dentro da caixa de água da escola, vendo a hora de um morrer afogado lá, além de contaminar a água que todos usam para beber e fazer a merenda dos estudantes”, comentou.

Providências

O secretário de Educação da Prefeitura de Vitória da Conquista, Esmeraldino Correia, declarou que “todas as providências necessárias estão sendo e serão tomadas pela prefeitura, mas é preciso aguardar a conclusão dos laudos periciais e a investigação policial que está em curso”.

Correia informou que “no âmbito interno, foi realizada reunião com gestores e professores da unidade escolar”, mas não comentou sobre se alguma providência será tomada por conta dos problemas que ocorrem no CAIC.

Segundo a Prefeitura, “o estudante e a família dele estão sendo acompanhados pelo Conselho Tutelar e por uma psicóloga da Secretaria de Educação. Eles foram encaminhados ao Hospital Municipal Esaú Matos e ao Departamento de Polícia Técnica”.

A assistência psicológica e social está sendo disponibilizada integralmente à criança e aos seus pais, informa a nota oficial. “Estamos disponíveis o tempo todo. O fato envolve uma criança, então, requer muito zelo, cuidado e respeito, de nossa parte, mas julgamentos apressados podem levar a graves erros”, destacou o secretário Esmeraldino Correia.

“A Prefeitura está prestando todos os esclarecimentos necessários para o Núcleo da Criança e do Adolescente da Polícia Civil de Vitória da Conquista”, afirma a nota, que não comentou sobre a situação de abandono e falta de segurança do CAIC, conforme relato de pais e alunos da unidade escolar.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/serie-baiana-que-revela-salvador-sombria-ja-esta-disponivel-no-amazon-prime/
Produção tem roteiro e direção de Julia Ferreira, baiana que estudou cinema em Londres e Madri
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/netos-de-luiz-gonzaga-divulgam-nota-de-nojo-por-uso-de-musica-em-live-de-bolsonaro/
Jair Bolsonaro convidou o presidente da Embratur para tocar durante a live da última quinta
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/moradores-da-lapinha-falam-ao-contrario-e-tem-um-dialeto-o-gualin/
Há meio século, falar ao contrário é considerado sinal de pertença para os moradores “raiz” do bairro da Lapinha
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/elza-soares-aos-90-e-cheia-de-projetos/
Cantora lança releitura de 'Juízo Final' e faz live neste sábado (4), com participação de Flávio Renegado
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/como-tratar-a-dor-da-chikungunya-entenda-fases-da-doenca/
Registro de casos aumentou 440% na Bahia nos últimos seis meses; sintoma pode se tornar crônico e durar anos
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/cheias-de-bossa-bebel-gilberto-lanca-parceria-com-martnalia/
Confira também o clipe Hipnose, de Larissa Luz, e a canção Caxixi, de Mariene de Castro
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/veja-o-video-filha-interrompe-entrevista-por-videochamada-e-vira-sensacao-nas-redes/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/bia-doria-e-val-marchiori-geram-revolta-ao-falar-de-sem-teto-gostam-de-ficar-na-rua/
Socialite e primeira-dama do estado de SP disseram que pessoas não vão para abrigos pois 'não querem responsabilidades'
Ler Mais