Alagamento na Rua Nilo Peçanha traz prejuízo e preocupação para moradores

bahia
09.04.2021, 19:09:00
Atualizado: 09.04.2021, 19:12:24
Pedestre tenta desviar do banho de água suja deixado pelos veículos que transitam na Rua (Foto: Paula Fróes/CORREIO)

Alagamento na Rua Nilo Peçanha traz prejuízo e preocupação para moradores

População local relata que o problema com as chuvas é antigo

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Uma chuvinha qualquer leva às mãos na cabeça de preocupação. Um toró como o que caiu em Salvador nesta sexta-feira (9) faz as mesmas mãos descerem ao rosto para secar as lágrimas de desespero. Essa é a rotina narrada pela dona de casa Maria Sousa, 49, moradora da Rua Nilo Peçanha - mais um entre os vários pontos da capital baiana que sofreu com as fortes chuvas que caíram na cidade.

A equipe de fotografia do CORREIO flagrou que o nível da água era muito alto até o final da tarde na região. Dona Maria afirma: essa é a rotina e chuva é motivo de precaução. Desta vez, custou uma geladeira, uma televisão e até o seu celular, que escapuliu de sua mão enquanto falava com parentes para relatar a situação. 

A Defesa Civil de Salvador (Codesal) registrou um total de 612 ocorrências durante esta sexta. As maiores solicitações recebidas pelo órgão foram de avaliação de imóvel alagado (168), ameaça de deslizamento (144) e deslizamentos de terra (99). 

"Chuva aqui é sinônimo de desespero, meu filho. A gente sempre perde alguma coisinha só que isso às vezes é tudo que a gente tem, é fruto de muita luta e trabalho", disse dona Maria.

Uma outra vizinha, Larissa Oliveira, 26, relata que a água na rua chegou a bater na altura dos joelhos dos pedestres. Ela precisou sair de casa e, quando retornou, estava com a roupa encharcada. 

Só no início de abril, já choveu metade do que estava previsto para todo o mês em Salvador. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), foram registrados, em 6h de chuva, mais de 130mm de água, volume que corresponde à totalidade de um mês inteiro de verão.

De acordo com a Codesal, para o final de semana, a previsão é de chuvas moderadas a fortes com riscos para alagamentos e deslizamentos de terra. Não se descarta a possibilidade de acumulados de chuva expressivos em alguns pontos da capital. A Codesal mantém plantão de 24h todos os dias da semana. Em caso de emergência, disque 199.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas