Além da Ford: saiba quais marcas deixaram de produzir no Brasil

economia
16.01.2021, 06:04:00
Várias marcas já deixaram de produzir carros no Brasil. A Audi fabricou no país pela primeira vez em 1999 e saiu em 2006. Voltou em 2015 e poderá sair mais uma vez (Foto: Audi)

Além da Ford: saiba quais marcas deixaram de produzir no Brasil

Outras empresas já fizeram o que a Ford fez

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Os últimos dias foram agitados no Brasil e, principalmente, na Bahia. No país desde 1919, a Ford anunciou que não irá mais produzir em Camaçari e em Taubaté, no interior de São Paulo. Irá atuar no país como uma importadora. Mas isso não é algo inédito. Ao longo dos anos outras marcas já deixaram de produzir no mercado brasileiro, algumas até retornaram como fabricantes nacionais.

Poucas semanas antes da Ford encerrar a produção nacional, a Mercedes-Benz havia anunciado a fim da sua operação de automóveis em Iracemápolis, no interior de São Paulo. Lá, a empresa alemã produziu entre 2016 e 2020 o GLA e o Classe C.

Mas essa não foi a primeira vez que isso aconteceu. Anteriormente, entre 1999 e 2005, a empresa produziu em Juiz de Fora, interior de Minas Gerais, o Classe A. Como a demanda ficou abaixo da expectativa, a Mercedes chegou a montar o Classe C e o CLC até 2010 para exportação. Atualmente, essa unidade produz cabines de caminhão.

A história da Chrysler no Brasil também é marcada por idas e vindas. Em uma dessas passagens, o fabricante americano produziu no país a Dakota (1998), na época sob a marca Dodge. Sete meses após o início da produção da picape no país, a Chrysler se associou à Daimler, empresa que controla a Mercedes-Benz. 

Por conta dessa reestruturação, em setembro de 2001 foi anunciado o fechamento da fábrica brasileira, instalada no Paraná. A fusão terminou em 2007 e, desde 2014, a Chrysler se fundiu com a Fiat. Agora, o grupo FCA, que controla Chrysler, Dodge e Fiat, é parte de uma fusão com a PSA, que é proprietária de marcas como Peugeot, Citroën e Opel.

A Dodge produziu no mercado brasileiro entre 1998 e 2001 (Foto: Divulgação)
A Gurgel foi uma marca brasileira que atuou por 27 anos (Foto: Divulgação)
A Troller surgiu no Ceará e foi comprada pela Ford em 2007 (Foto: Marcio Bruno/Troller)
O Mercedes-Benz Classe C foi fabricado no interior de São Paulo (Foto: Wander Malagrine/Daimler)
A Karmann-Ghia montou o Land Rover Defender no Brasil por oito anos (Foto: Land Rover)
O Audi A3 sedã deixou de ser produzido ano passado no Paraná (Foto: Maurício Machado/Audi)

A Audi também já foi e voltou. E pode estar de saída novamente. A primeira vez foi entre 1999 e 2006. Na época, o veículo fabricado pela empresa era o A3 com carroceria hatchback. A fábrica em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, continuou produzindo veículos da Volkswagen. A Audi retomou a produzir no Paraná em 2015, desta vez com o A3 sedã e o Q3. A produção do Q3 foi encerrada em 2019 e a do A3 em dezembro.

De acordo com a Audi, foram feitos todos os estudos necessários para trazer um novo modelo para a linha de produção, mas ainda não há confirmação. A empresa atrela a decisão à definição do que irá ocorrer com os créditos de IPI acumulados durante os anos de Inovar-Auto. A Audi afirma que esses créditos não foram integralmente devolvidos.

Entre 1998 e 2005, o Land Rover Defender foi montado em regime de CKD em São Bernardo do Campo, em São Paulo. O utilitário era montado pela Karmann-Ghia em uma operação terceirizada. 

A marca britânica retornou ao país em 2016 com uma fábrica própria em Itatiaia, no Rio de Janeiro. Inicialmente, eram montados lá o Range Rover Evoque e o Discovery Sport, atualmente, só esse último segue em produção na unidade fluminense.

Até mesmo a Alfa Romeo já fabricou no Brasil. O fabricante que surgiu em 1910, em Milão, produziu até 1974 exclusivamente na Itália. Até a chegada do 2300, que foi montado no Brasil de 1974 até 1986. A marca retornou depois ao mercado, mas como importadora. Saiu novamente em 2003 e não tem previsão de retorno.

Marcas brasileiras
Genuinamente brasileira, a Gurgel Motores foi batizada com o sobrenome do seu fundador, o engenheiro João Augusto Conrado do Amaral Gurgel. Fundada em 1969, ela produziu 30 mil unidades em seus 27 anos de existência. Entre os seus modelos mais notórios estão o X12, o BR-800 e os produtos da linha Xavante.

Fundada em 1995, em Horizonte, no Ceará, a Troller foi adquirida pela Ford em 2007. Em todo o período produziu dois modelos: o T4, que foi atualizado ao longo do tempo, e a picape Pantanal. Esse último modelo teve todas as suas 77 unidades vendidas recompradas pela Ford.

A Ford anunciou que a Troller continuará operando até o quarto trimestre de 2021. Após esse período, a produção será encerrada.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas