Amigos e familiares de ciclista morto em assalto realizam ato no Dique do Tororó

salvador
03.07.2022, 18:48:00
(Foto: Arquivo Pessoal)

Amigos e familiares de ciclista morto em assalto realizam ato no Dique do Tororó

Rodrigo Santos Castro foi morto no dia 1º de junho enquanto pedalava pelo dique

Amigos e familiares de Rodrigo Santos Castro, assassinado durante assalto no Dique do Tororó, em Salvador, realizaram um ato em protesto pela sua morte neste domingo (3), no mesmo local onde o crime ocorreu.

Um grupo de ciclistas fizeram o trajeto ao redor do Dique, passando pelo local onde Rodrigo foi morto, e seguiram em direção ao Farol da Barra, como o próprio rapaz gostava de fazer. A Polícia Militar acompanhou todo o ato.

Rodrigo era professor de educação física e morreu depois de ser baleado quando andava de bicicleta no Dique do Tororó, na noite do dia 1º de junho. Ele foi baleado quando conversava ao telefone com a namorada. Rodrigo foi vítima de um assalto. Dois ladrões levaram a bicicleta do rapaz. 

Segundo a Polícia Civil, não há novas atualizações sobre o caso, que segue em investigação.

Ainda no mês passado, o pai de Rodrigo, Eliecer Castro, recuperou a bicicleta do filho após a Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR) recuperar o veículo.

(Foto: Arquivo Pessoal)
(Foto: Arquivo Pessoal)
(Foto: Arquivo Pessoal)
(Foto: Arquivo Pessoal)

Entenda o caso

O ciclista e professor de educação física, de 24 anos, pedalava sozinho no Dique do Tororó, por volta das 21h do dia 1º de junho, quando foi baleado e morto. Segundo a Polícia Civil, Rodrigo foi vítima de assalto por dois ladrões que levaram a bicicleta.

"Ele estava com fone de ouvido e a gente foi conversando durante todo percurso. Como eu estava no plantão, dava para conversar tranquilo. Chegou o momento do percurso que só ouvi as pessoas que chegaram nele, 'polícia, polícia', cheguei a achar que era uma abordagem. Mas aí teve os tiros. A última coisa que ele falou foi 'Ai, amor, tiro, tiro, tiro'. E acabou. Ele não falou mais, não respondeu, e a ligação continuou", contou a namorada dele, Cíntia, à TV Bahia.

Alarmada, Cíntia acionou um amigo e a mãe do namorado e começaram a buscar por Rodrigo. Ela saiu do trabalho e foi até o HGE, mas já encontrou o namorado sem vida. "Fico indignada porque as pessoas estão matando as outras por nada. Por objetos, um celular, uma bicicleta", lamentou.

Ele chegou a ser socorrido ao Hospital Geral do Estado (HGE), mas não resistiu aos ferimentos. Segundo os familiares, Rodrigo estava praticando ciclismo para treinar para um concurso da polícia.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas