Após 120 cirurgias, jovem com doença de pele rara realiza sonho de se casar

em alta
08.08.2019, 13:15:00
Atualizado: 08.08.2019, 13:22:41
(Foto: Reprodução/Instagram)

Após 120 cirurgias, jovem com doença de pele rara realiza sonho de se casar

Primeira-dama Michelle Bolsonaro parabenizou Karine nas redes sociais

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Carmen Karine de Sousa Felipe é portadora de uma doença rara chamada Xeroderma Pigmentoso, patologia que limita a exposição ao sol. Após passar por 120 cirurgias, ela iniciou uma campanha nas redes sociais para realizar o sonho de se casar com o namorado, Edmilson Alcantara, e de reformar a casa onde mora. O casamento ocorreu no dia 31 de julho.

A campanha repercutiu nas redes sociais e, atualmente, Karine (@kah05oficial) tem 114 mil seguidores na rede social Instagram, uma delas a primeira-dama Michelle Bolsonaro que enviou os parabéns em uma das fotos do casório. Karine explica que além de não poder se expor ao sol também é preciso fugir de luz que transmita raios ultravioletas. "Nunca pude viver normalmente como qualquer outra criança, me limitou a estudar, e ser uma criança comum. O que sei hoje aprendi em casa pois mal ia para a escola, pois passava a maior parte do tempo internada", relata.

Karine afirma que sempre quis trabalhar, mas por conta das inúmeras lesões diagnosticadas como câncer de pele, melanomas e carcinomas, que são os tipos mais graves, as pessoas tinham preconceito para contratá-la.

Ela afirma que foram mais de 120 cirurgias. Ela perdeu parte do nariz devido ao câncer no nariz e os médicos tentaram reconstruir, no entanto, a cirurgia não teve sucesso. Karine ainda perdeu a visão do olho esquerdo e, há oito anos, perdeu o lábio e uma das orelhas. "Já sofri muito preconceito, os olhares nas ruas... E percebi que hoje não vale à pena se esconder ou sofrer por causa das pessoas", comentou nas redes sociais.

Karine começou a postar a rotina do dia-a-dia com o namorado e divulgar a campanha para a reforma da casa. Ela criou uma vakinha para arrecadar dinheiro para pagar o material e os profissionais para realização da construção.

No site da Sociedade Brasileira de Dermatologia, o Xerorderma Pigmentoso é descrito como uma doença não contagiosa que afeta os sexos feminino e masculino. A principal característica é a extrema sensibilidade à radiação ultravioleta presente nos raios solares. Após a exposição surge um problema no reparo do DNA e a possibilidade de câncer cutâneo. As chances de desenvolver o Xeroderma Pigmentoso são de 1 para um milhão. É uma patologia hereditária com transmissão genética para familiares, no entanto não é contagiosa. Os portadores da patologia pode frequentar ambientes públicos, mas com proteção solar.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas