Após acusação de pedofilia, polícia faz busca e apreensão na casa de PC Siqueira

em alta
14.07.2020, 18:40:18
Atualizado: 14.07.2020, 18:53:39
(Reprodução)

Após acusação de pedofilia, polícia faz busca e apreensão na casa de PC Siqueira

Youtuber, que nega crime, havia prestado depoimento no mês passado

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A casa do youtuber PC Siqueira, em São Paulo, foi alvo de busca e apreensão pela Polícia Civil nessa segunda-feira (13). A informação foi divulgada nesta terça, de acordo com o portal G1.

Siqueira é investigado pela 4ª Delegacia de Proteção à Pessoa, do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) de São Paulo, por suspeita de pedofilia.

No dia 16 de junho, o youtuber prestou depoimento acompanhado de dois advogados. Ele passou a ser investigado após o vazamento de supostas mensagens em que ele admite ter recebido de uma mulher, e em seguida repassado a um amigo, fotos de uma criança de 6 anos nua.

A polícia apura a veracidade das imagens que viralizaram nas redes sociais, a partir do perfil do Twitter ‘Exposed Emo’. Também é investigado se o crime ocorreu em São Paulo. 

Ainda no mês passado, um dia após as postagens ganharem volume na internet, ele usou sua página no Instagram para desmentir o conteúdo da conversa.

"Fui pego de surpresa ao ver meu nome sendo utilizado por uma articulação criminosa, que tentou me acusar de algo terrível, que jamais cometi ou cometeria. Confesso que fiquei chocado, atordoado e passei por um dos piores momentos da minha vida. Ninguém imagina um dia ver seu próprio nome envolvido com um crime abominável", declarou na ocasião.

"Pra quem não sabe, um perfil sem credibilidade, que não sabemos quem faz ou está por trás dele, foi o instrumento para gerar essa fake news. O objetivo era com certeza me descredibilizar, fazer com que minha voz fosse calada e que a opinião pública me agredisse cegamente. Mas se trata de uma mentira escancarada e grotesca. Recebi uma série de mensagens, acusações, xingamentos, minha família foi atingida, meu psicológico enormemente abalado. Como vocês podem notar, ao ponto de eu não conseguir me pronunciar por vídeo —o que devo fazer quando eu estiver reestruturado", continuou.

"Vocês não têm ideia de como foram minhas últimas 24 horas. Pessoal, por favor, prestem mais atenção nas informações que vocês recebem e consomem na internet. Isso é muito perigoso! Não compartilhem conteúdos que possam destruir a vida de alguém, sem antes checar a veracidade disso", argumentou o youtuber, citando supostas falhas nas mensagens divulgadas.

"Enfim, são muitas evidências que demonstram a falsificação mal feita. A mais importante delas é que não sou eu. Eu vim aqui esclarecer isso a vocês e a todos que estiveram interessados neste assunto. Tenho recebido ameaças devido ao meu posicionamento político há algum tempo, mas nunca imaginei que seria atingido por algo tão baixo. No mais, muito obrigado pelo carinho de quem me conhece e das pessoas que me seguem. Isso tem sido importante nesse momento. Muito obrigado, de verdade", concluiu em seu perfil no Instagram. A postagem foi deletada dias depois.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas