Após compras, homem fica preso em supermercado na Bonocô: 'falta de respeito'

salvador
01.09.2021, 00:22:04
Atualizado: 01.09.2021, 21:04:40

Após compras, homem fica preso em supermercado na Bonocô: 'falta de respeito'

Carlos Santana registrou as compras e ao tentar sair do estabelecimento, encontrou portões fechados. Até 00h45, Carlos segue sem conseguir sair do local

A geração 'cringe' certamente se lembra do filme 'Construindo Uma Carreira', quando os personagens Jim e Jose ficam presos em um supermercado, após o estabelecimento fechar. Mas na vida real, a situação passa longe de alguma diversão. O baiano Carlos Santana é a prova disso. Ele está preso há mais de duas horas e meia, na noite desta terça-feira (31), no estacionamento do supermercado Maxxi Atacadão, da Avenida Bonocô, em Salvador.


Carlos foi às compras e chegou ao supermercado por volta de 19h30. Após duas horas dentro do estabelecimento, ele pagou suas compras e após cerca de meia hora arrumando o que foi comprado no carro, ele tentou sair, mas foi pego de surpresa. Todos os portões do local estavam fechados. Segundo Carlos, o horário de fechamento do estabelecimento era 21h, mas suas compras foram registradas às 21h33.

" Fui às compras de um valor aproximado de R$ 2 mil. Saí por volta de 21h33. Fui para o estacionamento e enquanto eu arrumava o carro, eles fecharam o mercado. Quando eu desci para ir embora, por volta de dez para às dez (21h50) não consegui sair mais. Estou aqui preso ao mercado neste constrangimento há mais de uma hora. Cadeado nas duas portas. Isso é uma falta de respeito ao ser humano. Porque quando eu estava lá (pagando) não me mandaram deslocar?" questionou em vídeo enviado ao Correio.

Carlos disse que deu voltas pelo estacionamento e disparou o alarme do local ao menos duas vezes para chamar atenção, mas não obteve sucesso.

"Isso é um absurdo. Estou preso no mercado. O mercado estava vazio, mas foram embora. Não tem vigilante, nenhuma segurança. Para tentar chamar atenção fiz com que o alarme disparasse. Estou aqui nessa escuridão, preocupado, ainda com mercadoria de geladeira que precisa ser resfriada e prestes a estragar", contou Carlos.

Carlos ligou para a Polícia Militar e registrou a ocorrência. Um casal de amigos de Carlos foi ao local e aguarda do lado de fora. Por volta de 00h30, uma viatura da PM chegou ao supermercado e tenta resolver a situação. Até 00h45, o caso segue sem solução.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas