Após greve, ônibus em Salvador podem parar por falta de combustível

salvador
24.05.2018, 12:36:00

Após greve, ônibus em Salvador podem parar por falta de combustível

Prefeitura planeja plano de contingência caso caminhoneiros sigam parados

Ônibus deixam garagem, nesta quinta, após fim de paralisação (Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO)

Após greve encerrada na manhã desta quinta-feira (24), os ônibus da frota urbana de Salvador podem parar novamente, desta vez por falta de combustível. A informação é do secretário municipal de Mobilidade, Fábio Mota. Segundo ele, caso a greve dos caminhoneiros no país continue até esse sábado (26), já no domingo (27) será ativado um plano de contingência. Funcionarão, então, apenas as principais linhas da cidade. 

"Temos diesel até sábado para rodar com as frotas normalmente. Mas, se a paralisação dos caminhoneiros continuar, já estamos pensando em fazer um plano de operação, mantendo as principais linhas da cidade. Assim, domingo, já teremos um frota reduzida e, segunda (28), teremos que traçar um plano diferente em função da falta de gasolina", afirmou o secretário.

Mais cedo, o assessor de relações do trabalho do Consórcio Integra, Jorge Castro, explicou ao CORREIO que os ônibus de Salvador têm uma reserva de três dias por conta da greve dos rodoviários. “Como tivemos dois dias de paralisação, temos dois ou três dias de combustível ainda – dois dias com tranquilidade. Não tem risco de diminuir a frota até então. Só se agravar (a situação) e tiver uma greve forte”, explicou ao CORREIO. 

Mobilização nacional
A paralisação dos caminhoneiros contra a alta do diesel continua em, pelo menos, 20 estados do País. Os protestos seguem apesar da decisão da Petrobras de reduzir o preço do diesel em 10% por 15 dias, da aprovação de projeto na Câmara Federal que prevê alíquota zero de PIS-Cofins sobre o diesel até o fim do ano e o pedido do próprio presidente Michel Temer de uma trégua até sexta-feira (25), a fim de encontrar uma solução.

Nesta quinta-feira, o Planalto volta a se reunir com representantes dos movimentos dos caminhoneiros. O encontro está marcado para as 14h na Casa Civil.

Em São Paulo (SP), a prefeitura estimou que 40% da frota, que conta com cerca de 14 mil veículos, não terá combustível para circular nesta quinta. No Rio de Janeiro (RJ), a frota foi reduzida em 20%, enquanto o BRT está operando com 50% dos veículos nesta quinta. Em todo o estado do Rio, cerca de 40% das frotas municipais e intermunicipais não circularam desde quarta (23). 

Postos na capital e interior
Os motoristas de carros particulares, porém, já estão sentindo os efeitos. Pelo menos 20% dos 250 postos de gasolina da Região Metropolitana de Salvador (RMS) já estão com problemas de abastecimento, segundo estimativa do presidente do Sindicato do Comércio de Combustíveis, Energias Alternativas e Lojas de Conveniências do Estado (Sindicombustíveis), Walter Tannus. No interior do estado a situação é ainda pior: pelo menos 50% dos cerca de 2 mil postos do interior estão sem gasolina e álcool.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas