Após morte de bebê, maternidade aguarda resultados de testes em 20 recém-nascidos

coronavírus
04.05.2020, 05:40:00

Após morte de bebê, maternidade aguarda resultados de testes em 20 recém-nascidos

Total de 25 funcionários estão afastados de UTI neonatal por suspeita de covid-19

O Hospital Português aguarda os resultados de 20 testes de coronavírus realizados em bebês da UTI neonatal. Os exames foram feitos depois que uma recém-nascida testou positivo e 14 profissionais de saúde foram infectados no setor. Internada na ala para tratamento intensivo desde janeiro, quando nasceu com sérios problemas congênitos, a bebê não resistiu às complicações e morreu na madrugada de domingo (3).

A informação foi confirmada pelo coordenador do Comitê de Gerenciamento à Pandemia de Covid-19 da unidade de saúde, Márcio Peixoto. Como mostrou o CORREIO neste sábado (2), a unidade hospitalar, que conta com uma das mais importantes maternidades particulares de Salvador, vive um surto de casos de coronavírus na UTI neo, com 25 funcionários afastados,14 por terem testado positivo e outros 11 por suspeita doença. O hospital nega que ocorra um surto em suas dependências. 

Havia a suspeita de que outros dois recém-nascidos estivessem contaminados, mas o hospital diz que o resultado dos exames deu negativo. Márcio Peixoto garante que todos os 117 profissionais que trabalham na UTI neonatal da Maternidade Santamaria foram testados, assim como todos os bebês e seus pais. Um total de 23 bebês estão internados na ala. São esperados agora, portanto, os resultados de 20 exames.  

Hospital Português vive onda de covid-19 na UTI neonatal (Foto: Arquivo CORREIO)

A suspeita é de que a bebê que morreu tenha adquirido coronavírus de um dos profissionais de saúde, já que está na UTI neonatal desde janeiro. Ela teve uma série de complicações por conta de uma doença congênita, evoluindo com problemas respiratórios, cardiovasculares e infecciosos. Lutou pela vida durante quase quatro meses.

A covid-19 pode ter agravado seu quadro. “Quando se trata de covid, estamos falando de um quadro infeccioso. Um bebê muito grave, muito frágil, qualquer infecção é motivo de preocupação. Mas ela já vinha com um quadro de piora muito crítico”, afirma Peixoto.

No dia 24 de março, a bebê foi submetida a exame para identificar coronavírus. Em 28 de março, o resultado dava positivo. “Vírus detectados: Coronavírus Sars-CoV2”, confirmou o prontuário que o CORREIO teve acesso. 

Parte do prontuário da bebê confirma infecção por coronavírus (Foto: Reprodução)

Controle difícil
Diante da onda de covid-19, o Hospital Português diz que toma todas as medidas de controle de infecção previstas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e Ministério da Saúde, mas admite que estabelecer um controle a essa altura é muito difícil.

Gestantes ouvidas pelo CORREIO, no entanto, estão com receio. “Me assustei pela quantidade de funcionários afastados e medo de algum profissional transmitir para mim ou meu bebê”, disse uma servidora pública, com 36 semanas, que estava prevendo parir no local.

“A gente tá vivendo um período bem difícil. Nas últimas duas semanas o movimento tem aumentado muito. É difícil falar em controle. A pandemia é um desafio para todos. O cenário tá bem complexo. Mas não estamos diferentes dos outros hospitais privados”, afirma o médico.

Com o afastamento de 25 profissionais, a ala do hospital tenta manter a rotina. “Nosso desafio hoje é manter a equipe dentro da rotina. O profissional de UTI neo é extremamente qualificado”, diz o médico.

Na semana passada, a reportagem entrou em contato com a mãe da bebê confirmada com covid-19, mas ela preferiu não dar qualquer declaração sobre o caso. Também não informou se passou por teste para coronavírus. “Não tenho interesse e nem condições de falar nada”, afirmou a mulher, de 30 anos. Uma profissional de saúde, que preferiu não se identificar, disse que o hospital busca adquirir respiradores específicos para recém-nascidos infectados por covid-19.

UTI cheia
A UTI neonatal do Hospital Português tem capacidade para 32 bebês. Por conta da pandemia, essa capacidade foi reduzida. A lotação passou a ser de 24 leitos. No momento, eram 23 bebês tratados na unidade.

Por conta da onda de covid-19, um ambiente separado foi criado para o bebê que havia testado positivo e os outros dois suspeitos. Segundo o médico, os outros dois bebês testaram negativo. “É um ambiente físico totalmente diferente”.

As visitas na UTI neonatal também foram canceladas. Apenas os pais e as mães têm acesso aos recém-nascidos, mas somente em horários programados antecipadamente. “Estamos dando prioridade às mães que fazem aleitamento e ordenha para os bebês”, afirma Márcio.

“A gente tem um certo grau de controle e segurança. Nos preparamos, tivemos tempo, criamos rotinas, criamos fluxos para que pacientes com suspeitas respiratórias sejam triados de uma forma separada. Mas o desafio é grande”, afirmou.

Procurada neste domingo (3), a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) informou que não foi notificada sobre a morte de qualquer bebê contaminado com covid-19. Funcionários relataram ao CORREIO que estão assustados com a onda de casos. A maioria evita entrar na UTI neonatal. Alguns afirmam que outras alas também sofrem com muitos pacientes com a doença.

Outros denunciam a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). “A dificuldade é grande. Tem fornecedores que aumentaram os preços em 1.000%. Mas estamos conseguindo manter”, garante Márcio Peixoto. Oficialmente, até o momento, o Hospital Português informou que registrou 66 casos confirmados de pacientes com covid-19. Destes, 47 já tiveram alta hospitalar. A unidade não informou o número de mortes.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas