Após motorista ser esfaqueado, rodoviários querem proibir entrada de baleiros em ônibus

bahia
05.04.2019, 21:45:00
Atualizado: 05.04.2019, 21:45:18
(Roberto Viana / Arquivo CORREIO)

Após motorista ser esfaqueado, rodoviários querem proibir entrada de baleiros em ônibus

Reunião será realizada nesta segunda-feira (8) entre categorias

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um motorista de ônibus foi esfaqueado dentro de um coletivo na tarde de quinta-feira (4), no bairro da Caixa D’Água. O autor, de acordo com o Sindicato dos Rodoviários, foi um baleiro que entrou no veículo na região do Acesso Norte. O ato gerou um impasse entre as duas categorias. Os rodoviários chegaram a proibir que os vendedores subissem nos ônibus e querem tornar a decisão definitiva. 

De acordo com a Polícia Militar, o caso ocorreu por volta das 16h na Rua Saldanha Marinho, em Caixa D’Água. O motorista foi socorrido para o Hospital da Cidade e liberado. O autor do crime não foi identificado.

A entrada dos baleiros nos veículos chegou a ser proibida pelo Sindicato dos Rodoviários no dia de ontem, mas a Secretaria de Mobilidade (Semob) afirmou que, após um acordo, a categoria pode continuar vendendo nos ônibus pelo menos até segunda-feira (8), quando haverá uma reunião entre a pasta e os sindicatos, além da Associação das Empresas de Transportes de Salvador (Integra).

O diretor do Sindicato dos Rodoviários, Daniel Mota, afirmou que a categoria se sente insegura. Ele cobra providências da prefeitura, das empresas de ônibus e da Polícia Militar.

“Nós precisamos resolver esse problema. As empresas têm que tomar alguma providência porque os ônibus são extensões das empresas. Não é a primeira vez que isso acontece. A prefeitura tem que disponibilizar um cartão para cada ambulante com todas as informações deles. Que eles tenham que passar na catraca e os dados fiquem registrados. Nós temos que ter um controle maior”, defendeu Mota.

O diretor afirmou que o autor da facada entrou no ônibus na altura da estação de metrô Acesso Norte e que o ato ocorreu na Caixa D’Água. Segundo ele, o homem foi discutindo com o motorista durante todo o percurso. Daniel Mota ainda questionou a funcionalidade dos coletes e crachás que são utilizados pelos baleiros atualmente. De acordo com ele, os equipamentos podem ser comprados “em qualquer lugar”. Atualmente existem 13 mil rodoviários circulando em Salvador.

A Associação dos Baleiros (Unibal) recebeu a proibição dos rodoviários de entrar nos ônibus com “surpresa”. De acordo com o presidente da categoria, Gilson Rodrigues, os baleiros são “parceiros” dos rodoviários e esse foi um fato isolado. Ele ainda questiona a afirmação de que o autor das facadas tenha realmente sido um baleiro, tendo em vista que nenhuma imagem de câmera foi divulgada.

“São informações superficiais. O sindicato não traz imagens e filmagens de que foi um baleiro que agrediu. O rodoviário agredido não prestou informações oficiais de que realmente foi um baleiro. Quem acabou sendo prejudicado com tudo isso foram os baleiros”, lamentou.

Todas as negociações para que os baleiros tivessem acesso aos ônibus anteriormente foram realizadas entre a Unibal, a Integra e a Semob. O presidente da associação dos baleiros afirma que nunca tinha tido contato com o Sindicato dos Rodoviários anteriormente.

“A gente achava e espera que o sindicato (dos rodoviários) nos procurasse acerca desse acontecimento. Eu só soube do fato depois de uma matéria na televisão. A melhor forma de resolver isso é através do diálogo. O sindicato está agindo de forma arbitrária, como se todos os baleiros fossem marginais. Isso não resolve o problema. É necessário ter diálogo, conversa e acordo para que o acesso seja exclusivamente para pessoas credenciadas, que estejam com uniforme e crachá”, defendeu Gilson Rodrigues.

O sindicato dos baleiros existe desde 2003 e foi legalizado em 2005. Atualmente, existem 1.200 associados. Muitos vendedores ainda estão em processo de cadastramento.

A Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) marcou uma reunião com os baleiros, os rodoviários e a Integra para a manhã de segunda-feira (8). Em um primeiro momento, cada categoria será ouvida separadamente para, depois, haver uma reunião com todos. 

O secretário da pasta, Fábio Mota, afirmou que a conversa será realizada para “convencer a voltar à normalidade”. A recomendação da pasta é que apenas tenha acesso aos ônibus os baleiros que sejam credenciados à Unibal e que estejam fardados e com crachá. 

“Esses daí que deveriam ter acesso. Na segunda-feira, nós teremos uma reunião e vamos tentar que as categorias se entendam”, disse, ressaltando que a concessão para que os baleiros comercializem nos veículos é outorgada pela Integra.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas