Arena Fonte Nova pode vacinar até 100 mil pessoas por dia

bahia
27.11.2020, 05:00:00
Donaldson Gomes conversa com Dênio Cidreira (Reprodução)

Arena Fonte Nova pode vacinar até 100 mil pessoas por dia

Ajudar em imunização da população de Salvador e Região Metropolitana é prioridade nas ações previstas para 2021

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Assim que houver uma vacina, a Arena Fonte Nova estará disponível para funcionar como um centro de vacinação em massa, com capacidade para imunizar até 100 mil pessoas por dia. Para 2021, a primeira ação pensada pela direção do espaço multiuso foi justamente apresentar ao poder público uma simulação de uso do espaço para a imunizar a população. 

Segundo Dênio Cidreira, presidente da Fonte Nova Negócios e Participações (FNP), a intenção é que a Arena sirva tanto o público de Salvador, quando da sua Região Metropolitana (RMS).  Ele lembrou, durante entrevista para o programa Política & Economia, apresentado pelo jornalista Donaldson Gomes no Instagram do CORREIO ( @correio24horas ), que a logística da vacina vem se desenhando como uma questão bastante importante. 

Segundo ele, com 60 baias, usando quatro macroambientes, e prevendo sempre a vacinação dentro dos carros, para manter o distanciamento social, há possibilidade de vacinar 100 mil pessoas por dia.  “A gente vai precisar de um esquema de logística muito forte para não perdermos vidas desnecessariamente. Cada dia a mais que as pessoas deixam de ser vacinadas é um risco maior de perdas”, diz. 

Outro ponto destacado por ele é que as vacinas que estão sendo estudadas necessitam de refrigeração. Segundo Cidreira, a estrutura da arena é compatível com as exigências para quase todos os tipos que estão em estudos. “Temos a estrutura usada para refrigerar as bebidas e temos geradores, além de estarmos ligados a duas subestações da Coelba. A chance de perder as vacinas por falta de energia é zero”, garante. 

“O público é a nossa alma. Em 2019, vínhamos em um ritmo muito forte. Tivemos 1,5 milhão de pessoas que frequentaram a Arena nos mais diversos tipos de eventos”, lembra. E aí, o público vai desde o tradicional torcedor do futebol, até os fiéis que lotaram o espaço na cerimônia da canonização da Santa Dulce dos pobres, passando por quem foi para o Festival de Verão, ou outro grande evento musical. 

Segundo Dênio Cidreira, a chegada da pandemia fez a direção da Arena Fonte Nova alterar todas as prioridades para 2020 “Fomos abatidos em março por esta pandemia e o que nós fizemos foi procurar nos reinventar rapidamente. Este é um equipamento importante demais para ficar sem funcionamento”, diz. 

“Analisamos várias hipóteses, como drive-thru, lives e outras, mas entendemos que a melhor hipótese seria mesmo servir à saúde da Bahia naquele momento. Nosso raciocínio é muito simples, quanto menos trauma houver durante esta pandemia para os baianos, mais fácil será voltar à vida normal, que é o que todos queremos”, ressalta. 

 A partir daí, conta ele, surgiu a decisão de montar o hospital de campanha lá para atender pacientes com a covid-19 e da campanha de vacinação através de um drive-thru, que garantiu distanciamento de idosos e outros públicos mais vulneráveis à doença, sem deixar de vaciná-los contra a gripe. 

Segundo ele, em relação aos grandes eventos, o planejamento da empresa responsável pela gestão e operação da Arena passou para o ano de 2021 em diante. 

Retorno da torcida
Segundo Dênio Cidreira, o espaço está preparado para qualquer cenário em relação às atividades esportivas, inclusive para um eventual retorno dos torcedores aos jogos. Mas ele ressalta que a decisão sobre quando e em que condições cabe às autoridades públicas. 

“O que cabe a nós é estamos totalmente preparados para qualquer tipo de cenários, então temos infográfico com o funcionamento de 10% da capacidade, 20%, 30%, vários cenários, mas o setor público tem muito mais informação para determinar o momento”, diz. 

Shopping e cartódromo e até um restaurante nos planos 
Após se consolidar como um espaço multiuso, a nova fase de desenvolvimento da Arena Fonte Nova tem o objetivo de consolidar o espaço como em um centro de entretenimento com funcionamento contínuo. Estão em estudos a implantação de um shopping, um restaurante temático e um cartódromo, entre outras atrações. Para o presidente da Fonte Nova Negócios e Participações, Dênio Cidreira, o desafio agora é montar esta estrutura sem que isso inviabilize os eventos de grande porte. 

“Eu não posso inviabilizar um jogo do Bahia ou um show internacional. Quebramos muito a cabeça e já chegamos em alguns ativos que podem ser montados”, destaca. Alguns já estão em soft open, complementa. É o caso da Arena Games, que atua em um mercado multimilionário e que já interessa inclusive redes de canais fechados. 

Na Arena Games, já foram investimentos cerca de R$ 2 milhões pela empresa que opera o espaço, através de patrocínios. O shopping e o cartódromo estão orçados entre R$ 70 milhões e R$ 100 milhões, enquanto o restaurante deve receber um investimento entre R$ 1 milhão e R$ 1,5 milhão.  

Mais Planos 
Dênio Cidreira avalia que a arena tem grandes chances de ser escolhida como a sede da final da Copa Sulamericana em 2022 ou em 2023.

Ele acredita que o histórico positivo na realização de grandes jogos de futebol, que imortalizam o local como a “Fonte dos gols”, vai ajudar a arena a atrair o evento. “Eu acredito que a avaliação da qualidade do gramado conta muito positivamente, o primeiro jogo que recebemos da Conmebol (associação responsável pelo futebol na América do Sul) foi muito bem avaliado”. 

“Você pode ter dois times do exterior com potencial para atrair muitos turistas para cá. Ainda temos muito o que evoluir não só para jogos internacionais, como este da Sulamericana, como em eventos de grande porte”, destaca.

No próximo ano, a Arena Fonte Nova pretende lançar um calendário base, com a definição de datas para os principais eventos realizados no espaço, como é o caso do Carnavalito. “Vão ter datas em alguns períodos do ano que serão base em nossa estrutura de eventos”, diz. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas