Arsenal apreendido pela polícia na Engomadeira é de líder do Comando da Paz

salvador
23.07.2021, 05:00:00
(Foto: Divulgação / Ascom-PC.)

Arsenal apreendido pela polícia na Engomadeira é de líder do Comando da Paz

Entre as armas apreendidas estão fuzis, submetralhadoras e escopetas

Fuzis, submetralhadoras, pistolas, escopetas, munições, carregadores e colete balístico. Todo esse arsenal aprendido pela polícia de uma só vez nesta quarta-feira (21), na Engomadeira, tem um único dono: o traficante Galo, líder no bairro da facção Comando da Paz (CP), hoje uma célula do Comando Vermelho (CV) desde o início do ano passado. 

A apreensão foi realizada por policiais do Núcleo de Inteligência do Departamento de Polícia Metropolitana (Depom), durante diligência para comprovação de informações do Disque Denúncia da Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA). Informações dos agentes que participaram da ação dão conta de que todo o armamento apreendido pertence a Galo e que foi trazido pelo CV.

Ainda de acordo com os agentes que participaram da operação, as armas são para fortalecer a célula (CP) frente aos rivais, uma vez que, a Lajinha, reduto do CP no bairro, é considerada um dos principais pontos de distribuição de drogas de Salvador, assim como o Complexo do Nordeste, que há anos é dominado pela mesma organização criminosa. Desde a aliança entre o CV e CP, os confrontos por disputas territoriais de acirraram, principalmente em Salvador.

No entanto, a Polícia Civil informou que equipe estão apurando de quem é o material apreendido. “Detalhes não estão sendo cedidos, para não interferir no andamento dessa investigação”, diz nota da PC.

O traficante Galo assumiu a liderança, a partir da morte do seu antecessor, Márcio Santos Cavalcanti, o Márcio Galego, ocorrida em agosto de 2006, durante uma operação conjunta da Polícia Civil e a PM no município de Conceição do Coité, a 210 km de Salvador. José Geraldo Santos Santana, 40 anos, apontado como braço direito de Márcio Galego, também morreu na troca de tiros. Na ocasião, 10 pessoas do grupo foram presas. 

Com a morte do então líder, os remanescentes resolveram compartilhar a liderança com os integrantes mais influentes da facção, entre eles Galo, contam as fontes. Enquanto o antecessor prezava a manutenção do poder na Lajinha, os novos chefões queriam a expansão do domínio para regiões adjacentes, como a Estrada das Barreiras, onde a atuação do arquirrival Bonde do Maluco (BDM). 
    
Então, em 2019, o CP, sob o comando dos líderes Galo e Leozinho, invadiram a área de comando do BDM às margens da Estrada das Barreiras e deixaram dois mortos. O embate ocorreu numa madrugada, quando pelo menos 20 homens, recrutados da Lajinha e da Babilônia, invadiram o território vizinho. Na ocasião foram assassinados: Márcio Rangel Xavier, 32 anos, e Matheus Almeida dos Santos, 24. 

Com o passar do tempo, Galo se firmou como o líder da CP na Engomadeira, depois que os demais com quem dividia o comando foram mortos pelos rivais ou em confronto com a polícia ou presos.  Em agosto do ano passado, a PM matou dois de seus gerentes: Jojó e Cauã. Após confronto, policiais da Rondesp Central apreenderam com a dupla uma pistola ponto 40, um revólver calibre 38, uma réplica de uma outra pistola, munições e certa quantidade de droga, além de R$ 1.400.
 
Em abril deste ano, Galo teria tido uma outra baixa em sua equipe. Robert dos Santos Santana, 30 anos, o Totó da Engomadeira, foi morto a tiros, após três homens efetuarem diversos disparos contra o carro em que estava. Apesar de a família ter dito na ocasião que Robert era dono de um lava-jato, moradores disseram que a vítima era um dos homens de confiança de Galo.

Dono de lava-jato é morto a tiros no Arraial do Retiro

Robert tinha um lava-jato, mas seria do bando de Galo (Reprodução)

Apreensão
A apreensão do arsenal desta quarta realizada pelo Depom aconteceu após ligações ao Disque Denúncia da SSP.  Foram apreendidos dois fuzis, calibres ponto 50 e 556, três submetralhadoras, três pistolas, três escopetas, 368 munições e cinco carregadores de diversos calibres, além de um colete balístico.  

Assim que os policiais chegaram ao local – a Rua 3 de Maio –, homens armados fugiram. Em um terreno baldio, as equipes do Depom localizaram tubos de PVC sujos de terra, que seriam enterrados com as armas. Ao perceberem que os investigadores haviam encontrado o esconderijo, os criminosos atiraram contra a Polícia, que revidou e contou com o reforço de unidades que estavam próximas ao local.

A diretora do Departamento de Polícia Metropolitana (Depom), delegada Christhiane Inocência Xavier, destacou a importância da apreensão para a segurança da população. “Trata-se de um trabalho extremamente importante, considerando o enfraquecimento de organizações criminosas, tanto do ponto de vista bélico quanto do financeiro, por conta do valor que essas armas têm no mercado. Por fim, nós fizemos o trabalho mais importante, que é garantir a segurança do cidadão”, comentou.

A diretora do Depom ainda reforçou a importância da participação da população. “Reforçamos nosso pedido aos cidadãos: que continuem a utilizar o Disque Denúncia e denunciem através do 181, sem precisar se identificar, para colaborar com a nossa atividade de combate ao crime”, orientou.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas