Ataque em Camaçari: cigano morre após três dias internado em hospital

bahia
15.01.2022, 09:14:00
(Bruno Wendel/CORREIO)

Ataque em Camaçari: cigano morre após três dias internado em hospital

Ele foi baleado na última quarta-feira (12)

Mais um cigano morreu na Região Metropolitana de Salvador. Joel Alves, 45 anos, que estava internado no Hospital Geral de Camaçari após sofrer um ataque na última quarta-feira (12), próximo de casa.

Ele estava com o pai, Alcides, 76 anos, e o irmão Nilson Alves, 44 anos,  dentro de um Palio vermelho na hora do crime. As circunstâncias de como foram baleados é desconhecida pelos moradores. 

Em nota, a assessoria da Polícia Civil informou que equipes dos Departamentos de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e de Polícia Metropolitana (Depom) seguem na investigação do triplo homicídio de Alcides, Nilson e Joel. Testemunhas estão sendo ouvidas para elucidar o crime.

Dias D'Ávila
Horas antes desse crime, o casal Orlando Alves, 59 anos, e Luciene Alves de Oliveira, 56, estava dentro de casa quando foi baleado por um homem numa moto, em Dias D'Ávila. Orlando é irmão de Alcides.

O crime em Dias d'Ávila aconteceu na Rua dos Jardins no bairro de Petrópolis, onde Orlando e Luciene  moravam há mais de 20 anos. Segundo alguns ciganos vizinhos das vítimas, na hora, o neto do casal, um rapaz de 14 anos, correu para o banheiro, onde permaneceu escondido. Eles relataram que o criminoso parou a moto em frente à residência das vítimas. "Ele chamou o velho pelo nome. Quando abriu a porta, ele recebeu os primeiros disparos. A mulher  estava um pouco distante de Orlando e foi baleada logo em seguida", contou o cigano. 

Há cerca de 40 dias, um filho de Orlando foi assassinado numa emboscado na localidade de Cascavel, em Dias d'Ávila. "Do nada, chegam, matam e ninguém sabe o porquê", disse um cigano, amigo da família, que preferiu não revelar o nome. No entanto, informações preliminares da polícia dão conta de que as mortes teriam sido encomendadas por um outro cigano, que responsabiliza a família de Orlando pela morte do seu neto.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas