Atirador matou comparsa e cometeu suicídio; o que se sabe até o momento

brasil
13.03.2019, 22:16:00
Atualizado: 13.03.2019, 22:20:23
(Foto: Reprodução)

Atirador matou comparsa e cometeu suicídio; o que se sabe até o momento

O ataque aconteceu na Escola Estadual Raul Brasil por volta das 9h, quando acontecia o intervalo das aulas

A Policia Militar confirmou na noite desta quarta-feira (13), que chegou a conclusão de que um dos atiradores matou o comparsa e depois se matou. A corporação, no entanto, não detalhou de quem teria atirado contra quem.

Imagens da câmera de segurança mostram que o adolescente  Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, estava com a arma de fogo a todo tempo e é mais provável que ele tenha atacado o amigo Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, e depois se matado. Os dois foram encontrados mortos após serem cercados por policiais no interior da escola.

O massacre aconteceu pela manhã na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, Grande São Paulo. O ataque aconteceu por volta das 9h, quando acontece o intervalo das aulas. Entre as vítimas estão cinco crianças, duas funcionária da instituição e o tio de um dos assassinos. Testemunhas ouviram pelo menos 30 tiros dentro da instituição.

O que se sabe até o momento:

  • Os alunos estavam em intervalo de aulas;
  •  Os responsáveis pelo ataque eram ex-alunos da Escola Estadual Raul Brasil;
  • Após ataque na oficina, a dpula foi até o colegio: o adolescente entrou primeiro na escola pela porta da frente e atirou na direção de um grupo, onde estava coordenadora pedagógica Marilena Umezo e a inspetora Eliana Xavier;
  • O outro assassino, Luiz Henrique, foi quem carregou as demais armas para dentro das escola e usou uma machadinha para atacar vítimas baleadas no chão e atacar estudantes que fugiam da escola;
  • Foram usadas no ataque uma arma de calibre 38, machadinhas e uma besta (arma medieval com flecha);
  • Os artefatos explosivos levados para dentro da escola em bolsas eram falsos;
  • A dupla responsável pelo ataque são vizinhos e costumavam passar horas conversando na rua;
  • Segundo vizinhos, os assassinos passavam pelo menos três noites por semana em uma lan house perto de casa jogando games como Counter Strike e Mortal Combat, além do Call of Duty;
  • Morreram cinco alunos, duas funcionárias da escola, o tio do adolescente atirador e o comparsa dele. O adolescente se matou em seguida;
  • Onze estudantes ficaram feridos e estão internados. Alguns estão em estado grave;
  • O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), decretou luto oficial de três dias no Estado;
  • O Gate fez uma varredura na escola, porque foram encontrados artefatos com aparência similar a de explosivos;
  • A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo enviou dois psiquiatras e um psicólogo para dar apoio no atendimento às famílias e demais envolvidos na ocorrência.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas