Atriz da Globo abandona táxi após motorista admitir que agrediu casal gay

variedades
22.05.2019, 19:26:57
Atualizado: 22.05.2019, 19:33:33

Atriz da Globo abandona táxi após motorista admitir que agrediu casal gay

Samantha Schmütz mostrou reação ao ouvir confissão de crime; assista

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Foto: Reprodução

Ao ouvir comentários homofóbicos e a confissão de um crime, dentro de um táxi, no Rio, a atriz Samantha Schmütz resolveu tomar uma atitude e abandonar o veículo esta semana. 

A humorista da TV Globo se surpreendeu com a fala de um motorista de táxi que admitiu ter agredido um casal gay porque estava se beijando em público. 

“Tomar uma atitude enérgica, entendeu? Aí eu tomei e minha mulher ficou apavorada”, comentou o taxista, comentando o dia em que viu a situação. 

A atriz então o questionou sobre a tal atitude, no que o motorista admitiu uma agressão ao casal: “Eu dei uma coça nos dois”. 

Incrédula, a atriz o indagou: “Você bateu nos dois caras porque eles estavam se beijando? O que é isso, moço?!”, disse Samantha, mas o condutor manteve a postura.

“Dei uma coça. Não tinha lei, ainda, não tinha essa liberação total. Eles desrespeitaram todo mundo. Não tem nada a ver: um montão de casal hétero, ‘normal’, ninguém se beijando e por que os dois ficaram se agarrando ali? Não tinha por que fazer aquilo ali. Hoje as cabeças estão diferentes”, declarou.

Diante da situação, a artista fez uma série de vídeos desabafando sobre o relato do motorista.

“Eu desci do táxi. Ele falou: ‘Você está descendo por causa dessa minha história?’. Eu falei: ‘Sim, estou descendo por causa dessa sua história! Por favor, pare o carro que não tenho como ficar aqui'”, relatou a atriz.

“Gente, estou muito apavorada com a falta de noção das pessoas com o espaço do outro! É em todas as áreas, que tristeza! Por isso que a gente tem que lutar pela educação, porque sem educação as pessoas não têm como respeitar o limite do outro. Até onde vai o seu limite! Pelo amor de Deus, o que está acontecendo”, afirmou.

A atriz ainda continuou refletindo sobre o incidente. “Envelheci uns 80 anos com esses episódios de ódio. ‘Em um momento de cegueira, eu bati no cara!’. E se ele dá um tiro e mata?! E se ele não sabe atirar direito e você que está do lado, não tem nada a ver com isso, não está beijando ninguém, toma um tiro? Eu desci do táxi, porque quem não se posiciona contra está a favor”, concluiu.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas