ÀTTOOXXÁ conquista Cajazeiras no ritmo da 'Popa da Bunda'

carnaval
11.02.2018, 14:02:00
ÀTTOOXXÁ animou os foliões em Cajazeiras (Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO )

ÀTTOOXXÁ conquista Cajazeiras no ritmo da 'Popa da Bunda'

Som da banda causa alguma estranheza de início, mas depois solta os foliões no palco do Campo da Pronaica

O sucesso da música Elas Gostam (Popa da Bunda), gravada em parceria com o Psirico, tem levado o ÀTTOOXXÁ a públicos antes inimagináveis - pelo menos para um período de carreira tão curto como o deles. O grupo foi uma das principais atrações do palco montado para a folia no bairro de Cajazeiras X.

Criada há três anos e vivendo o seu primeiro Carnaval enquanto banda, o ÀTTOOXÁ já havia tocado naquele bairro anteriormente. A estrutura, porém, era de uma casa pequena, com um público acostumado à sonoridade moderna do grupo. Na madrugada deste domingo (11), eles se apresentaram para um verdadeiro mar de gente que lotou o Campo da Pronaica.

É claro que a banda ainda causou surpresa em alguns foliões que lá estavam: “Ah, aquela música (Popa da Bunda) é desses caras aí, é? Não sabia...”, espantou-se Marco César Santos, morador de Cajazeiras X. “Gostei dessa banda aí, hein? Bem pesado. Me lembrou aquela Baiana System, que já tocou aqui”, completou André Dias, também morador do bairro.

De fato, com o seu pagode misturado com música eletrônica e tantas outras variáveis de ritmo, a banda traz uma sonoridade que até pode parecer estranha no início. Pouco depois, porém, todo mundo saca logo a referência bem baiana e Rebola a Raba – título de uma das músicas, aliás – como melhor lhe convém.

Principalmente quando toca a Popa da Bunda. Logo nos primeiros acordes, a galera reconhece a melodia que é forte candidata a música do Carnaval 2018. “Vai ser, né? Não tem jeito, não. A música retrata muito bem o sentimento da mulher baiana. A gente sai de shortinho curtinho mesmo e quem quiser que pode olhar”, diz Suellen da Paixão, com a roupa mais apropriada.

ÀTTOOXXÁ leva hit do Carnaval para Cajazeiras:

Satisfação
Para os fãs, a apresentação em Cajazeiras foi importante para o ÀTTOOXXÁ: “os meninos estão chegando a um público que não está tão acostumado com o som que eles propõem. E tem tudo a ver, né? A música deles combina com o gosto das comunidades”, conta Larissa Vitória, uma das fundadoras do fã-clube ATTOOXXADEIRAS, que segue a banda em todas as apresentações.

Larissa, por sinal, é moradora de Cajazeiras, e o fã-clube tem uma relação muito íntima com o bairro. Para ela, o sucesso do ÀTTOOXXÁ não é surpresa: “a gente sabia que eles chegariam a esse nível algum dia. Mas com certeza a parceria com o Psirico ajudou muito para que isso acontecesse nesse momento”.

“É especial (tocar em Cajazeiras). Primeiro, porque é o maior bairro da América Latina. E outra: já ‘broquei’ muito nesse Campo da Pronaica, viu (risos)? Prazer enorme trazer esse show para cá, pois sabemos que tem pessoas que não tiveram a oportunidade de ver nossa apresentação antes”, comemorou o vocalista da banda, Osmar Oz.

ÀTTOOXXÁ conversou com CORREIO antes de ir ao palco:

Será que teve fechação em Cajazeiras?

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas