Avô e avó são condenados após incinerar neto de 11 meses no fogão de casa

em alta
31.01.2020, 16:56:00
Atualizado: 31.01.2020, 16:56:55
(Foto: Reprodução)

Avô e avó são condenados após incinerar neto de 11 meses no fogão de casa

Choro do bebê teria 'irritado' a dupla

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um homem, identificado como Alexander Miyagasheva, de 48 anos, foi condenado a 15 anos de prisão após ter queimado vivo o neto de apenas 11 meses no fogão de casa. Segundo o Daily Mail, sua esposa, e avó da vítima, foi considerada cúmplice no crime e recebeu a sentença de nove anos.

O crime - que aconteceu em Khakassia, no leste da Rússia -, ocorreu após Maxim Sagalakov ter ficado aos cuidados dos avós. O bebê teria começado a chorar muito, deixando a avó irritada.

Bêbada, Zhanna Miyagasheva, de 43, teria sufocado a criança até o pequeno ficar inconsiente. O marido dela "finalizou o serviço", colocando o bebê a criança no forno em chamas, que segundo o laudo da perícia, foi a causa da morte.

A mãe do bebê, Viktoria, 21 anos, só soube da morte de seu filho ao chegar em casa e deparou-se com os restos carbonizados do filho no forna da cozinha dos pais.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas