Bahia leva nova goleada e chega a três jogos seguidos sem vencer

e.c. bahia
25.07.2021, 12:54:00
Atualizado: 25.07.2021, 21:21:56
Rossi disputa bola com Allan, volante do Atlético-MG (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Bahia leva nova goleada e chega a três jogos seguidos sem vencer

Tricolor foi vítima do Atlético-MG, que venceu por 3x0 com dois gols de Hulk e um de Nathan

Deu Galo no primeiro dos três confrontos entre Bahia e Atlético-MG que acontecerão nos próximos 10 dias. Por goleada. Na partida de 'reconhecimento' entre as duas equipes, o time mineiro venceu o tricolor por 3x0 com dois gols do aniversariante Hulk e um de Nathan nos acréscimos. Foi a terceira derrota consecutiva do Bahia no Campeonato Brasileiro e também a terceira vez seguida que o time de Dado Cavalcanti passou em branco no placar. O tricolor segue estagnado com 17 pontos na tabela de classificação e pode cair mais uma posição, podendo dormir em nono até o final da rodada.

O técnico tricolor tentou não repetir os mesmos erros que apresentou quando foi goleado por 5x0 pelo Flamengo na rodada passada e lançou um meio-campo com Patrick de Lucca, Jonas e Lucas Araújo. O camisa 45 atuou quase como um terceiro zagueiro à frente de Ligger e Conti, enquanto Jonas e Lucas picotavam a partida como podiam. Dessa maneira, o Bahia conseguiu segurar bem o Atlético durante a primeira etapa, que acabou empatada em 0x0 com os donos da casa assustando Matheus Teixeira em um único lance.

Foi aos 5 minutos, quando Nacho cobrou falta da direita e o goleiro tricolor desviou a bola, que ainda bateu na trave. Os lances de bola parada eram as grandes apostas da partida (que foi muito chata) pelos dois lados. Os laterais do Atlético davam muito espaço porque jogavam quase como alas e o Bahia tinha espaço para explorar as coisas - mas faltava criatividade. Everson só foi incomodado pelo tricolor durante a primeira etapa em cabeceio de Ligger após falta cobrada por Rodriguinho.

Matheus Teixeira faz defesaça em falta cobrada por Nacho no primeiro tempo (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

O grande recado da primeira etapa foi: para vencer, precisa mudar alguma coisa. Isso valia para Atlético e Bahia. Buscando se aproximar do líder Palmeiras, o técnico Cuca voltou para a segunda etapa com Sasha e Tchê Tchê nas vagas de Alan Franco e Borrero. A ideia era tirar Hulk da referência, dando mais espaço para ele circular. Funcionou. 

Aos 12 minutos, o aniversariante do dia arrancou com a bola, tabelou com Sasha, ganhou de Ligger na velocidade sem maiores esforços e deu um toquinho de perna direita para tirar de Matheus Teixeira abrindo o placar no Mineirão. 

O Bahia tentou se acender após o gol sofrido, mas esbarrou na -falta de- qualidade. A solidão de Gilberto no ataque era comovente. Rossi brigava com Deus e o diabo por uma bola, mas uma andorinha só não faz verão. O Bahia até ameaçou empatar em bom chute de Galdezani, que entrou no lugar de Lucas Araújo. Everson fez boa defesa. 

Fora lances isolados, o Bahia não criava nada. E a solidez defensiva do primeiro tempo ia se diluindo junto com o cansaço. As falhas foram se aproximando até se tornarem fatais: aos 32 do segundo tempo, Jonas falhou e teve a carteira batida por Hulk, que arrancou em velocidade e só foi parado com pênalti, que ele mesmo cobrou deslocando Matheus Teixeira para fazer 2x0. Para variar, só o goleiro tricolor conseguiu brilhar até o fim do jogo fazendo boa defesa em chute de Zaracho à queima roupa. Mas ele não conseguiu impedir que o resultado se tornasse goleada quando Nathan, que substituiu Hulk, aproveitou rebote deixado pelo goleiro tricolor e nova falha de Ligger para fazer 3x0.

O resultado aumenta a pressão em cima do Bahia, que volta a enfrentar o Galo no Mineirão já na próxima quarta-feira (28), desta vez pela Copa do Brasil. A partida marca o jogo de ida das oitavas de final da competição.

FICHA TÉCNICA

Atlético-MG 3x0 Bahia | Campeonato Brasileiro | Série A | 13ª Rodada

Atlético-MG: Everson; Mariano, Nathan Silva, Junior Alonso e Dodô (Réver); Allan, Franco (Tchê Tchê), Nacho (Hyoran) e Zaracho; Borrero (Sasha), Zaracho e Hulk (Nathan). Técnico: Cuca.

Bahia: Mateus Teixeira; Nino, Conti, Ligger e Matheus Bahia (Juninho Capixaba); Patrick, Jonas (Raniele) e Lucas Araújo (Matheus Galdezani); Rossi (Óscar Ruiz), Rodriguinho (Maycon Douglas) e Gilberto. Técnico: Dado Cavalcanti.

Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Gols: Hulk, aos 12 e 34 minutos do segundo tempo e Nathan, aos 45 do segundo tempo.
Arbitragem: Antonio Dib Moraes de Sousa (PI), auxiliado por Rogério de Oliveira Braga e Márcio Iglésias Silva (PI)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas