Bahia perde peças na reta final e preocupa Dado: 'É o que temos'

e.c. bahia
08.02.2021, 16:07:00
Atualizado: 08.02.2021, 16:11:15
Dado vai ter uma semana para quebrar a cabeça e montar o Bahia que encara o Atlético-MG, no Mineirão (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Bahia perde peças na reta final e preocupa Dado: 'É o que temos'

Tricolor viu aumentar lista de desfalques, mas espera retornos para jogo contra o Atlético-MG

A situação do Bahia no Campeonato Brasileiro é cada vez mais complicada. Depois de ficar no empate com o Goiás, no último sábado (6), na Fonte Nova, o tricolor chegou a 37 pontos e saiu da zona de rebaixamento, mas pode voltar ao Z4 caso o Vasco vença o Fortaleza, nessa quarta-feira (10), no Castelão.

Para piorar a situação, o técnico Dado Cavalcanti vem perdendo opções para montar o time na reta final da Série A.

Diante do Goiás, o treinador não pôde contar com meia Ramírez, um dos destaques do elenco, que rompeu o ligamento do joelho e vai ficar de molho por pelo menos seis meses. Ele perdeu ainda o volante Edson e o atacante Thiago, diagnosticados com a covid-19.

Para o jogo contra o Atlético-MG, no próximo sábado (13), às 19h, no Mineirão, o meia Daniel vai aumentar a lista de desfalques, já que foi expulso na rodada passada. Com tantos problemas, Dado vai ter quebrar a cabeça para montar a equipe que iniciará o duelo em Belo Horizonte.

“Temos um grupo bem enxuto, e a cada rodada temos as surpresas. Estou usando todo o grupo. Não vou ficar nominando aqui quem joga ou não. Alguns atletas não estão no melhor momento, alguns não têm atuação segura, mas é o grupo que nós temos, é o que temos até o final da competição, então vou procurar dar apoio. É com eles que vamos nos abraçar para tentar sair dessa situação”, disse o técnico Dado Cavalcanti.

Na tentativa de encontrar soluções, Dado pode apostar em jogadores pouco utilizados ou que não atingiram a expectativa e parecem esquecidos na Cidade Tricolor. São os casos de Marco Antônio e Rodriguinho.

Enquanto o prata da casa praticamente não teve espaço em 2020, o camisa 10 passou longe de dar o retorno esperado. Rodriguinho foi de principal contratação da temporada a figura constante apenas no banco, tendo chegado até a não ser relacionado para o jogo contra o Fluminense por conta da forma física.

Já no ataque, Clayson pode reaparecer. Ele também ainda não engrenou com a camisa tricolor e ficou fora dos últimos jogos para focar na preparação após ter sido infectado com o coronavírus.

Na esteira dos retornos, o Bahia espera ainda pela recuperação de Douglas. O goleiro machucou o joelho no empate com o Vasco, e o reserva Anderson não conseguiu dar conta do recado nos jogos em que foi titular.

Além do confronto com o Atlético-MG, o Bahia fecha a participação na Série A de 2020 com duelos contra Fortaleza (fora) e Santos (casa).

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas