Bahia reduz em 25% salário de jogadores e comissão técnica

e.c. bahia
29.04.2020, 12:16:00
Atualizado: 29.04.2020, 15:53:37
Jogadores vão ter corte no salário até que o futebol no Brasil seja retomado (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Bahia reduz em 25% salário de jogadores e comissão técnica

De acordo com Guilherme Bellintani, medida vai durar até o retorno do futebol

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Diante da pandemia do novo coronavírus e da paralisação das atividades relacionadas ao futebol, o Bahia voltou a tomar medidas mais duras para minimizar o prejuízo financeiro durante a temporada. 

Em entrevista à Rádio Metrópole, nesta terça-feira (28), o presidente do tricolor, Guilherme Bellintani, confirmou que o clube reduziu em 25% os salários de atletas, comissão técnica e diretoria. A redução vale pelo período em que o calendário estiver paralisado. 

"Os atletas, comissão técnica e diretoria tiveram salário reduzido em 25%, já fechamos esse acordo com eles, que foram muito parceiros do clube a gente entendeu que era o momento de cada um fazer suas concessões, os atletas também entenderam isso, e a gente só vai voltar a pagar o salário integral quando os jogos voltarem", afirmou Bellintani.

O presidente tricolor explicou ainda que decidiu cortar 100% do próprio salário durante a pandemia e não vai ser remunerado pelo clube até que a bola volte a rolar.  "Eu não só tive meu salário reduzido como não receberei meu salário porque entendo que a prioridade é pagar o salário dos funcionários do clube, dos atletas e obrigações básicas do Bahia. Eu não receberei o salário até o fim da pandemia", continuou ele. 

Desde a pausa nas atividades, no dia 18 de março, o Bahia vinha negociando a redução dos salários de atletas e funcionários da diretoria. A decisão afeta os jogadores do elenco principal e os que estavam atuando na equipe sub-23 e possuem contrato com o clube.

A única categoria não afetada foi o futebol feminino, que possui contrato diferente do restante dos atletas. Nos últimos dias, o Esquadrão outras 35 equipes que disputam a Série A do Campeonato Brasileiro feminino receberam ajuda financeira de R$ 50 mi cada da CBF para bancar o custo das atletas.  

A medida de reduzir os salários não foi a única adotada pelo tricolor. Depois de três anos, o clube decidiu encerrar o projeto do time sub-23 e não renovou contrato com o técnico Dado Cavalcanti e outros membros da comissão técnica. Por conta da pandemia, o Esquadrão não tem a garantia da CBF de que terá calendário para a categoria no segundo semestre.

Os atletas do time de transição que estavam disputando o Campeonato Baiano e que têm contrato com o clube, vão ser aproveitados no elenco de Roger Machado ou emprestados para outras equipes. Já os jogadores que têm vínculo se encerrando, vão deixar a Cidade Tricolor. 

Além disso, o Bahia tem renegociado contratos e incentivado o torcedor a manter o pagamento do plano de sócios durante o período sem jogos, dando, inclusive, descontos nas parcelas.

Na estimativa do Bahia, o clube pode ter prejuízo de até R$ 60 milhões durante a pandemia. Com isso, dificilmente o Esquadrão conseguirá alcançar o orçamento recorde de R$ 180 milhões, apresentado no final do ano passado para a atual temporada.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas