Bahia repete piores inícios nos pontos corridos e liga alerta

e.c. bahia
24.09.2020, 05:00:00
Jogadores do Bahia na Cidade Tricolor (Felipe Oliveira/EC Bahia)

Bahia repete piores inícios nos pontos corridos e liga alerta

Vice-lanterna do Brasileirão, Tricolor não vence há oito jogos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Em termos de resultados, o início do Bahia no Brasileirão parecia promissor. O tricolor abriu o torneio com duas vitórias em casa, sobre Coritiba (1x0) e Red Bull Bragantino (2x1), e conseguiu empate com o São Paulo (1x1) fora em um duelo que tinha tudo para vencer. Mas aí a campanha começou a desandar.

A expectativa se transformou em frustração com a sequência negativa que o time acumulou no torneio. A equipe não sabe o que é vencer há oito jogos e caiu para a vice-lanterna da Série A.

Assim, o sinal de alerta na Cidade Tricolor está ligado. Desde maio de 2018 o Bahia não entrava na zona de rebaixamento. Além disso, o clube praticamente igualou as suas piores campanhas nos dez primeiros jogos da Série A desde que ela passou a ser disputada por pontos corridos com 20 clubes, em 2006.

A 19º colocação ocupada em 2020 é a mesma que o Bahia figurou após os dez primeiros jogos de 2012 e 2018. A diferença está no número de pontos: sete na temporada 2012, oito em 2018 e nove este ano.

Tanto em 2012 quanto em 2018, o Bahia conseguiu reverter a situação ao longo da competição e escapou do rebaixamento com 47 e 48 pontos, respectivamente.

Já em 2014, ano em que o tricolor foi rebaixado para a Série B, o time conquistou apenas oito pontos, mas após a 10ª rodada ficou na 16ª colocação. Ao final daquela temporada, o Esquadrão havia somado 37 pontos e não evitou a queda.

Apesar de todo cenário, o goleiro Douglas afirma que o grupo segue confiante no potencial que tem para reverter a situação e quebrar a série negativa que tem incomodado os tricolores.

“Eu continuo acreditando, como nas outras temporadas, no nosso coletivo, nosso grupo, e objetivos que são planejados antes do início competição. Apesar desse momento de turbulência, estamos em busca de uma melhora na parte defensiva, ofensiva e também aprimorando a parte individual e coletiva. Vejo um grupo ciente do momento difícil, mas muito empenhado em passar esse momento e buscar os nossos objetivos. Internamente a gente continua acreditando muito no trabalho e projeto do clube”, disse.

 Sequência ingrata
No sábado, o Bahia visita o Athletico-PR, em jogo que começa às 19h, na Arena da Baixada, com uma clara missão: voltar a vencer no campeonato. Se não conseguir voltar de Curitiba com os três pontos, o Esquadrão alcançará a mesma sequência que teve no ano passado, quando ficou nove jogos sem vencer.

Na ocasião, o time que era treinado por Roger Machado estava no segundo turno e mantinha vivo o sonho de beliscar uma vaga na fase preliminar da Libertadores. O momento de inconstância, no entanto, atrapalhou os planos do tricolor e a equipe terminou o Brasileirão na modesta 11ª colocação, pegando apenas uma vaga na Copa Sul-Americana.

Agora, o reflexo de um novo tropeço pode ser pior. O time soma apenas um ponto a mais que o lanterna Goiás, que vista o Ceará, no Castelão, domingo. Por isso, se o Bahia não vencer os paranaenses fora de casa, pode terminar a rodada na lanterna. Vale lembrar que o Esquadrão tem um jogo a menos, mas o time esmeraldino teve três partidas adiadas na competição e só jogou oito vezes.

Em meio à maratona que o Bahia enfrentou no Brasileiro, o técnico Mano Menezes ganhou o alívio de uma semana sem partidas e pôde colocar em prática nos treinos aquilo que acha necessário para ajustar o time. 

De acordo com Douglas, os jogadores estão conseguindo assimilar bem o que vem sendo pedido pelo novo treinador do clube. “Nesses dez dias, a gente tem tido mais tempo para trabalhar e assimilar todos os princípios que Mano tem colocado conosco através de muita conversa, de muito trabalho dele e de toda comissão. Hoje a gente conhece mais do que Mano tem nos passado e ele, com certeza, conhece a força desse grupo. Esses dez dias vieram no momento certo para que a gente possa ajustar pontos que temos capacidade. Que nessa puxada de jogos a gente tenha melhores resultados e rendimentos também”, finalizou o goleiro.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas