Bahia tem dois gols anulados pelo VAR e perde para o Atlético-PR

e.c. bahia
24.10.2018, 23:46:00
Clayton marcou para o tricolor, mas o árbitro anulou após consultar o vídeo (Betto Jr / CORREIO )

Bahia tem dois gols anulados pelo VAR e perde para o Atlético-PR

Tricolor terá que vencer em Curitiba para avançar às semifinais da Sul-Americana

Foi uma derrota cruel. Com dois gols anulados pelo VAR, em lances, no mínimo, discutíveis, o Bahia vai em desvantagem para o jogo de volta da Sul-Americana na próxima quarta-feira (31), às 21h45, na Arena da Baixada. O atacante Pablo, do Atlético Paranaense, foi o autor do único gol validado da partida desta quarta (25), que culminou no triunfo do Furacão por 1x0 na Fonte Nova. 

O controle do jogo no primeiro tempo foi todo tricolor. O time de Enderson Moreira conseguia se impor, ocupando todo o campo defensivo adversário. Apesar disso, mostrava dificuldades em criar oportunidades. O chute de longa distância se tornava uma boa alternativa, mas as tentativas de Zé Rafael e Ramires saíram fracas. 

Aos 22 minutos, Edigar Junio recebeu dentro da área, girou em cima do marcador e cruzou. O goleiro Santos tocou na bola e depois Jonathan afastou na   cabeçada de Zé Rafael. Na volta, Clayton esticou o pé no alto e de voleio, mandou para o fundo da rede. A comemoração no estádio foi interrompida quando o árbitro fez o sinal do VAR. 

A alegação era de uma falta cometida por Clayton em cima de Nikão, que foi disputar a bola com a cabeça e caiu no chão reclamando de ter sido atingido. Depois de ver o lance no vídeo e conversar com os assistentes, o juiz argentino anulou o gol tricolor.

O fato transformou o ambiente da partida. A Fonte Nova que pulsava pelos gritos dos torcedores, silenciou. O Bahia tentou voltar a ser intenso em boa jogada de Ramires que terminou em cruzamento rasteiro de Paulinho. Por pouco Paulo André não marcou contra ao se antecipar a Edigar Junio. 

Gregore, em boa arrancada, tentou um chute cruzado rasteiro, mas mandou para fora. A única finalização do Atlético Paranaense na primeira etapa foi aos 45 minutos. Pablo ajeitou para o chute de Lucho González, mas Douglas fez ótima defesa. 
 

De novo 
Como se não bastasse toda a polêmica envolvendo o gol anulado de Clayton, o segundo tempo começou com mais uma interferência do árbitro de vídeo impedindo que o Bahia abrisse o placar. 

Logo aos três minutos, Nino Paraíba chutou rasteiro, cruzado e Ramires apareceu para completar de pé esquerdo e balançar a rede. O bandeirinha correu em direção ao meio-campo, validando o gol. A questão é que mais uma vez o juiz fez o sinal do VAR e anulou o gol, sem mesmo sequer conferir a repetição do lance no monitor. Ele contou apenas com a informação dos assistentes de vídeo.

Quando não era impedido pelo VAR, o Bahia parava nas grandes defesas de Santos. Aos sete minutos, Lucas
Fonseca cabeceou e o goleiro paranaense segurou firme. Em seguida, após bom cruzamento de Ramires, Zé Rafael dividiu com Jonathan e a bola ia tomando a direção do gol, mas Santos novamente apareceu para evitar. A defesa mais bonita foi em outra cabeça de Lucas Fonseca, para o chão, que ele foi buscar no cantinho. 

O castigo veio aos 21 minutos em jogada iniciada por um lançamento longo. Nikão desviou de cabeça para Pablo, que quase sem ângulo, acertou um belo chute cruzado para fazer Furacão 1x0.

Na última tentativa, Enderson colocou Vinicius na vaga de Elton e recuou Ramires para atuar como volante. Apesar da insistência,  o tricolor não conseguiu chegar ao gol de empate. O Bahia volta a campo no sábado, às 19h, na Arena Corinthians, pela 31ª rodada da Série A. 
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas