Baianos e turistas antecipam comemorações para Iemanjá

salvador
01.02.2018, 19:15:00
Atualizado: 01.02.2018, 21:08:33

Baianos e turistas antecipam comemorações para Iemanjá

Rio Vermelho ficou movimentado de devotos, e o trânsito ficou congestionado

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Tem orações, pessoas vestidas de branco, barquinhos com oferendas, flores e alfazemas. Tem o pessoal da birita, barraquinhas com colares e pulseiras, além de banho de folha e de pipoca. Eh! A festa de Iemanjá pode até estar programada para acontecer nesta sexta-feira (2), mas o Rio Vermelho já está no clima na véspera.

Comerciantes montaram nas calçadas uma espécie de shopping center ao ar livre. Colares, perfumes, pentes, pulseiras, anéis, imagens e espelhos são algumas das alternativas para quem deixou para comprar o presente na última hora. Tem de tudo, mas as flores e as velas dominam o cenário.

Devotos fazem fila para homenagear Rainha do Mar (Foto: Gil Santos/ CORREIO)

Comprados os presentes, é hora de homenagear a Rainha do Mar. A primeira parada é a casa de Iemanjá, na Colônia de Pescadores Z1. Era tanta gente no local na tarde desta quinta-feira (1º) que foi preciso organizar uma fila. Lá dentro, cheiro de alfazemas e de flores impregnavam o ar. O calor também era forte por conta da quantidade de velas acesas.

De joelhos, alguns fiéis faziam orações e cantavam louvores. Em seguida, é hora de entregar o restante dos presentes diretamente nas águas. O vai e vem de pessoas pelas escadas que levam à praia do Rio Vermelho era intenso, e nem mesmo a maré cheia e revolta afugentou os devotos.

Fiéis foram até a praia jogar flores para Iemanjá (Foto: Gil Santos/ CORREIO)

Presentes
Na areia, duas turistas do Rio de Janeiro lutavam para equilibrar dois balaios. "Trouxemos um pouco de tudo para ela, alfazemas, flores, e espelhos. Esse é o quarto ano em que eu venho para a Festa de Iemanjá em Salvador. Uma amiga me trouxe da primeira vez e, desde então, me tornei devota. Todos os anos estou por aqui", contou a aposentada Emília Santoro, 57 anos.

No ano passado, o filho dela foi diagnosticado com depressão. O jovem começou o tratamento, mas alguns meses depois resolveu suspender a medicação sem orientação médica. A aposentada contou que teve medo que a decisão do filho complicasse ainda mais o quadro e pediu a ajuda de Iemanjá. "Meu filho conseguiu se recuperar. Ele está bem", disse, emocionada.

Turistas do Rio trouxeram balaios com presentes para Iemanjá (Foto: Gil Santos/CORREIO)

A amiga responsável por apresentar a Festa de Iemanjá de Salvador para a aposentada também é carioca. Maria Augusta de Oyá tem 66 anos, sendo que os últimos 19 deles têm passado em Salvador, todo mês de fevereiro. "Ela é minha rainha, minha mãe. Fomos na Igreja do Rosário dos Pretos, no Pelourinho, e assistimos a uma missa linda. A Bahia é muito linda", contou.

Já a aposentada Edith Lopes, no auge dos 83 anos, precisou se equilibrar no corrimão para conseguir descer a escada e lançar no mar as flores que levou para Iemanjá. A filha dela, a técnica de enfermagem Rita Lopes, 55, contou que no ano passado elas levaram flores e alfazema. Esse ano foram flores e sabonete.

"Somos gratas por tudo o que ela faz por nós. Hoje estou aqui muito mais para agradecer do que para pedir. A gente sempre vem no dia 1º porque no dia 2 é muito tumulto", contou Rita.

Homem recebe banho de pipoca no Rio Vermelho (Foto: Gil Santos/ CORREIO)

A maioria dos fiéis ouvidos pela reportagem disseram que optaram por fazer as homenagens e depositar as oferendas no dia 1º para evitar a "concorrência" do dia 2, mas há quem tenha adotado a data como uma tradição há décadas. "No meu caso foi porque aprendi com minha mãe. Ela sempre nos trazia no dia 1º e eu acabei adotando o mesmo hábito", contou a ambulante Aline Souza, 42.

Barracas montadas na calçada oferecem opções de presentes (Foto: Gil Santos/CORREIO)

Por conta das celebrações antecipadas, o trânsito ficou congestionado na região do Rio Vermelho durante toda a tarde.

Nesta sexta, as homenagens para a Rainha do Mar estão previstas para acontecer durante todo o dia, com início às 5h. Os festejos têm o apoio da prefeitura, na programação cultural e na oferta de serviços municipais, e o prefeito ACM Neto estará no local às 15h. O gestor vai acompanhar a saída da procissão para a entrega do presente principal na praia do Rio Vermelho. 

O governador Rui Costa também vai participar da festa. Ele estará no Rio Vermelho a partir das 6h.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas