Bairros terão restrições para combater a covid-19 a partir desta semana

coronavírus
05.05.2020, 13:38:00
Atualizado: 05.05.2020, 16:35:01

Bairros terão restrições para combater a covid-19 a partir desta semana

Medidas estão sendo estudadas pela prefeitura, como o fechamento de ruas e do comércio

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A desobediência das pessoas em relação à quarentena e o aumento de casos do novo coronavírus em Salvador levou a prefeitura a elaborar medidas de restrição para cada bairro na capital baiana. Na prática, as regiões da cidade com maior número de infectados ou desrespeito às regras de isolamento terão ações específicas, como o fechamento de ruas e avenidas e até do comércio local.

Unidade foi requerida administrativamente (Foto: Max Haack/ Secom)

Essa medida já havia sido anunciada pelo prefeito ACM Neto durante entrevista na segunda-feira (4), e o gestor voltou a tocar no assunto na inauguração do hospital de campanha Itaigara Memorial, na manhã desta terça (5). O município criou um grupo de trabalho com representantes de diversos órgãos e está estudando quais ações adotar para cada região.

“Ontem à noite discuti com o secretário de Mobilidade, Fábio Mota, que assumiu a coordenação de um grupo que criei internamente na prefeitura para avaliar a situação dos bairros, e nós já começamos a ter uma visão mais setorizada e individualizada de cada região da cidade. A partir de agora é possível que nós adotemos medidas mais restritivas especificas, bairro a bairro”, afirmou.

Além do número de infectados, o estudo feito pelo município leva em consideração o movimento de automóveis na região, a quantidade de pessoas usando o transporte público, as interdições feitas pela Secretaria de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) na área, além do número de máscaras distribuídas, por exemplo.

As proibições podem ser desde o fechamento de ruas e avenidas, como já acontece em outras cidades do Brasil, até a suspensão das atividades de comércio e do funcionamento de feirantes e ambulantes.

“Eu não quero e não vou adotar nenhuma medida na base do achismo, do improviso, tudo é feito de maneira muito técnica e profissional, com base nos números que possuímos e dispomos. Mas, medidas de ampliação de restrição localizada estão sendo pensadas pela prefeitura e provavelmente serão adotadas já a partir desta semana de maneira setorial em determinados bairros da nossa capital”, afirmou o prefeito.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), os bairros da Pituba e de Brotas são os mais afetados até o momento. O primeiro tem 65 casos confirmados da doença e o segundo, 52 infectados. Em terceiro lugar, aparece Patamares, com 37 ocorrências. A diferença pode ser percebida na comparação populacional.

De acordo com os dados da SMS, a Pituba tem cerca de 65 mil moradores e 65 casos da covid-19, enquanto Paripe, no Subúrbio Ferroviário, tem 55 mil pessoas e apenas oito pacientes com a doença. Pernambués, cuja população se aproxima mais da Pituba, com 64 mil moradores, tem 18 casos confirmados e aparece na lista dos 20 bairros mais afetados (veja tabela abaixo).

Prefeito acompanha simulação do uso de um dos leitos (Foto: Max Haack/ Secom)

Lockdown
ACM Neto também comentou sobre a possibilidade de adoção ao lockdown, ou seja, o fechamento total da cidade com a proibição de circulação dos moradores. Neto disse que essa ação é extrema e pode ser adotada se for necessário, mas que uma medida como essa depende de uma ação conjunta entre a prefeitura e o governo do Estado.

“Para ter o lockdown, é preciso que a polícia esteja na rua assegurando que ninguém saia de casa. A prefeitura não tem institucionalmente esse poder. Portanto, para decretar o lockdown, somente se for uma decisão do governo do Estado. Estou aberto para dividir com o governador a responsabilidade por qualquer decisão que tenha que ser tomada. Desde o primeiro momento, afastamos as diferenças políticas e estamos trabalhando juntos. Meu espírito é esse e espero que assim continue sendo, e estou pronto para dividir o ônus de qualquer decisão correta e técnica que tenha que ser tomada”, afirmou.

Além de ser o segundo bairro mais infectado de Salvador, Brotas concentra a maior população da cidade com 70 mil moradores. Na lista dos bairros com casos confirmados do novo coronavírus aparecem também Bonfim (31), Federação (29), Liberdade (25), e Engenho Velho de Brotas (24).

ACM Neto e Léo Prates visitam a unidade antes da inauguração (Foto: Max Haack/ Secom)

Na segunda (4), a prefeitura renovou os decretos com a suspensão das aulas e do funcionamento do comércio com mais de 200 metros quadrados por mais 15 dias. Academias, salões de beleza, clínicas estéticas e barbearias também estão proibidos de funcionar. Bares e restaurantes não podem abrir os salões. Além disso, boates, casas de shows e espetáculos, e festas com aglomeração, como os paredões, não são autorizadas. Moradores podem fazer denuncias através do 160 e do 156.

ACM Neto afirmou que, segundo as projeções, Salvador vai começar a ficar sem leitos clínicos e de UTI para pacientes com a covid-19 ainda em maio e que o pico da contaminação vai se estender até 23 de junho, no que ele chamou “fase critica da pandemia" na cidade.  Ele acredita que se a população superar esse período a situação deve melhorar aos poucos.

“Eu sei que não é fácil as pessoas ficarem em casa, a impaciência aumenta, o desespero de como vai colocar comida no prato, eu compreendo tudo isso e não é por outro motivo que a prefeitura vem adotando medidas de apoio aos mais pobres. Só que caso haja um colapso no sistema de saúde a quantidade de óbitos em Salvador pode aumentar brutalmente e nós temos que evitar isso. Então, há uma parte importante que depende do cidadão, de cada pessoa, de ficar em casa, de só sair de máscara, de lavar as mãos, de passar o álcool gel, e de manter o distanciamento”, disse.

Confira os 20 bairros com maior número de casos da doença em Salvador:

Pituba – 65 casos confirmados;

Brotas – 52

Patamares – 37

Bonfim – 31

Federação – 29

Liberdade – 25

Engenho Velho de Brotas – 24

Imbuí – 24

Uruguai – 24

Barra – 23

Itapuã – 20

Plataforma – 19

Rio Vermelho – 19

Graça – 18

Pernambués – 18

Cabula – 17

Ondina – 17

Itaigara – 16

São Marcos – 15

Massaranduba – 14

Fonte: Secretaria Municipal de Saúde - dados foram divulgados nesta terça-feira (5). 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas