Bate-pronto: Pré-Nordestão já começará em 2018

Futebol
20.02.2017, 08:47:00

Bate-pronto: Pré-Nordestão já começará em 2018

Em reunião na sede da CBF, na semana passada, a Liga do Nordeste e as nove federações estaduais da região chegaram a um consenso para reduzir o número de participantes da fase de grupos da Copa do Nordeste de 20 para 16 clubes. Ao contrário do que havia sido cogitado, o novo formato já estará em vigor (parcialmente) a partir de 2018, e não só em 2019. Como a coluna Bate-Pronto antecipou na semana passada, a principal novidade para o torcedor será a inclusão de uma fase preliminar à fase de grupos. O “pré-Nordestão” será disputado por oito times, que se juntarão a outros 12 que entrarão direto na fase de grupos. Em 2018, esses 12 clubes serão os nove campeões estaduais mais o vice da Bahia, de Pernambuco e do Ceará. E os oito clubes do mata-mata preliminar serão os terceiros colocados da Bahia e de Pernambuco e os seis vices dos outros estados, menos do Ceará (que não entra na conta porque as duas únicas vagas do estado já estarão preenchidas entre os 12 da fase de grupos). Com isso, o terceiro colocado do atual Baianão entrará na fase preliminar, e não mais na fase de grupos. O mata-mata será feito em jogos de ida e volta, com pênaltis em caso de igualdade. Só falta a CBF chancelar.

Peso da camisa 1x0 Critério técnico

Embora o mata-mata na fase preliminar chame a atenção, a redução de 20 para 16 times traz outras duas mudanças: os estaduais passam a ter menos importância para o regional e o critério técnico dará lugar ao peso da camisa, um interesse da Liga para aumentar a atratividade dos jogos. 

Atualmente, todos os 20 clubes entram no Nordestão pela colocação nos estaduais. A partir de 2019, só os nove campeões estaduais terão vaga direta na fase de grupos, além de um baiano, um pernambucano e um cearense melhores posicionados no ranking da CBF. 

Na prática, o ranking evitará que os grandes da região fiquem fora, como aconteceu com o Ceará neste ano e com Vitória e Náutico no ano passado, por terem ido mal no estadual. O pré-Nordestão também será definido pelo ranking nacional de clubes e será composto pelo 2º melhor baiano, o 2º melhor pernambucano e o melhor dos outros seis estados (menos o Ceará) no ranking da CBF.

Nada de 59 ou 88, é de 1 até 40

Nada de ‘futebol americano’. A diretoria do Bahia definiu que os atletas escolhessem apenas entre 1 e 40 para a numeração fixa de 2017, já divulgada no site do clube. Assim, os números 59 e 88, que fazem referência aos títulos nacionais ficaram de fora. O clube os utilizou em ações de marketing e eles não estarão disponíveis para os atletas. Só para lembrar, os últimos que vestiram a 59 e a 88 respectivamente foram os laterais Railan e Guilherme Santos.

Sinval de licença

O diretor de futebol do Vitória Sinval Vieira se licenciou do Conselho Deliberativo na última reunião da corte, na quinta-feira (16) passada. Pelo estatuto, um conselheiro não pode exercer função remunerada no clube, caso de Sinval. Seu assessor Gerson Figueiredo, o Boca, fez o mesmo.

Tchau e sarrafo

O agora ex-diretor de futebol do Galícia Dudu Fontes concedeu entrevista a uma rádio na última sexta (17). Antes de entrar no ar, pediu demissão do Azulino, chamando-o, inclusive, de ‘merda’. Seu desligamento só foi divulgado pelo Galícia quando Fontes já descia o sarrafo na gestão no ar...

Passe Curto: Parceria renovada

Não chega a ser novidade, mas apenas a renovação de união celebrada entre Jacuipense e Atlético Paranaense no ano passado. A prioridade da parceria entre os clubes está nas divisões de base, com jogadores de 14 a 20 anos, que treinam em Salvador – ao contrário da equipe profissional, que fica em Riachão do Jacuípe. No modelo do negócio, o Atlético Paranaense aporta uma quantia mensal e tem prioridade na aquisição dos jogadores formados pelo time baiano.




***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas