Bento Ribeiro, ex-Furo MTV, fala sobre vício em drogas: 'tomava ácido para viver'

em alta
06.05.2021, 08:50:06
Atualizado: 06.05.2021, 08:52:42
(Foto: Reprodução / MTV)

Bento Ribeiro, ex-Furo MTV, fala sobre vício em drogas: 'tomava ácido para viver'

Ator e comediante fez sucesso ao lado de Dani Calabresa

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O ator e humorista Bento Ribeiro, que ficou famoso por apresentar o Furo MTV com Dani Calabresa, está longe da TV há alguns anos. Neste período, ele enfrentou problemas com drogas e até uma internação.

Ele acabou de lançar o podcast "Ben-Yur", e lá deu mais detalhes sobre esse período conturbado de sua vida.

"Passei por umas crises pessoais. Não estava mais funcionando. Não conseguia mais fazer humor. Tinha muita coisa na minha vida que eu não estava conseguindo lidar. Tive umas crises, entrei em parafuso e meio que não consegui trabalhar direito. (...) Minha cabeça estava quebrada por um tempo, muitas coisas pessoais, drogas, merda que eu fazia... Um monte de comportamento. Estava meio perdido", desabafa ele no primeiro episódio do podcast.

Bento, que é filho do escritor João Ubaldo Ribeiro, terá esse novo projeto ao lado do amigo e roteirista Yuri Moraes.

"Fui para uma clínica para dar uma limpada, só para desintoxicar mesmo. Lá tem umas sessões de grupos, mas basicamente você fica num ambiante meio que se limpando", explica Bento, conhecido também por fazer par romântico com Claudia Ohana na novela "A favorita", em 2008.

Ele lembra que o uso de drogas o fez perder parte da concentração e da memória, e que o vício quase lhe tirou a vida:

"Foi um conjunto de coisas na minha vida, de merdas, que aí eu meio que não consegui lidar. Quando você fica desconectado da realidade... Não conseguia me concentrar para mais nada, nem me lembrar das coisas direito, nem prestar atenção em nada direito por mais de cinco minutos. Foi uma bola de neve. Sinto que se eu tivesse continuando na rota que eu estava, eu tinha morrido já. Eu fumava três maços de cigarro por dia. Fumava tanto que acendia um e depois outro, esquecendo que já tinha acendido", relata.

O humorista, de 39 anos, conta ainda que tinha problemas de ansiedade, bipolaridade e compulsão. "Já fui compulsivo de inúmeras coisas. Uma compulsão autodestrutiva. Eu tinha muita raiva de tudo, de todo mundo. Eu treinava 24 horas por dia, fazendo exercícios e querendo me tornar uma máquina mortífera. Andava na rua querendo que alguém mexesse comigo."

Em outro podcast, ele entrevista o também humorista Gui Santana, que chega a citar que o programa de Bento na MTV acabou por ele faltar às gravações.

"Vou te falar. Essa época aí, foi difícil. Não me orgulho. Naquela época, eu estava tomando ácido igual a quem toma 'tic tac' (caixinhas de balas). Estava tomando ácido para viver. Tomava no 'Furo MTV' (nome do programa). Comprava lá", conta Bento.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas