Bolsonaro confirma Ciro Nogueira na Casa Civil e a recriação do Ministério do Trabalho

brasil
22.07.2021, 09:57:00
Atualizado: 22.07.2021, 10:02:35
(Divulgação)

Bolsonaro confirma Ciro Nogueira na Casa Civil e a recriação do Ministério do Trabalho

"Vamos botar um senador que pode manter um diálogo melhor com o parlamento brasileiro", diz

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O presidente Jair Bolsonaro confirmou nesta quinta-feira (22) que o senador Ciro Nogueira (PP-PI) foi convidado e aceitou assumir a Casa Civil. Ele começa já na semana que vem.

Bolsonaro falou do tema em entrevista à Rádio Banda B, de Curitiba. Ele disse que colocaria um senador na Casa Civil, confirmando em seguida que se tratava de Nogueira. Assim, o Centrão assume uma pasta importante do governo.

"Realmente deve acontecer semana que vem, está praticamente certo. Vamos botar um senador aqui na Casa Civil que pode manter um diálogo melhor com o parlamento brasileiro", disse Bolsonaro.

"A princípio é ele (Ciro). Conversei com ele já, ele aceitou. Ele está em recesso, chega em Brasília segunda-feira, converso com ele, acertamos os ponteiros. E a gente toca o barco", acrescentou o presidente, lembrando que conhece Ciro há muito tempo, já que chegaram ambos nos anos 90 na Câmara.

O presidente também confirmou que vai recriar o Ministério do Trabalho, que será comandado por Onyx Lorenzoni, atualmente ministro da Secretaria Geral. O atual chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, antigo amigo de Bolsonaro, vai para a Secretaria Geral.

"O general Ramos que está na Casa Civil continua sendo um ministro palaciano, vai para Secretaria Geral. E o Onyx, que eu chamo de coringa, ele vai para um novo ministério, que não vai ser aumentado o número de ministérios", afirmou Bolsonaro.

Ele argumentou que como o Banco Central "perdeu esse status há dois meses", o governo estabelece 23 pastas, com a volta do Ministério do Emprego. "Esse que é o quadro pintado aqui agora. Nenhuma mudança drástica no meu entender. Acho que melhora a interlocução com o parlamento".

O presidente negou que a volta do Ministério do Trabalho esvazie o Ministério da Economia de Paulo Guedes. "Guedes tem um ministério enorme. Ele mesmo concordou em tirar essa parte para passar para esse novo ministério", afirmou.

Ele também disse que não é desprestígio a ida de Luiz Eduardo Ramos para a Secretaria Geral. Ontem, o próprio Ramos afirmou que fora "atropelado por um trem" com a mudança. "Trem seria se ele saísse do ministério. Ramos é meu amigo e continuará sendo meu amigo aqui na secretária geral", disse Bolsonaro.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas
  • Assinaturas: 71 3480-9140
  • Anuncie: 71 3203-1812
  • Ache Aqui Classificados: 71 3480-9130
  • Redação: 71 3203-1048