Brasil aparece em 32º lugar no ranking global da felicidade

brasil
31.03.2019, 16:10:00
Atualizado: 31.03.2019, 16:23:34
Estúdio Correio -

Brasil aparece em 32º lugar no ranking global da felicidade

País caiu 16 posições em quatro anos; Finlândia lidera ranking

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Uma pesquisa envolvendo 156 países revelou que o Brasil ocupa a 32º no ranking global da felicidade. Quem lidera a lista é a Finlândia, que é seguida de outros seis países europeus nas primeiras colocações. O primeiro país fora do continente a aparecer é a Nova Zelândia, na oitava posição.

Elaborado pela empresa de pesquisas Gallup, em parceria com a ONU, o Relatório Mundial da Felicidade leva em consideração uma "variedade de medidas de bem-estar subjetivas", além de variáveis que medem condições econômicas e sociais. Os seguintes pontos são considerados: PIB per capita, apoio social, vida saudável, expectativa de vida, liberdade, generosidade e ausência de corrupção.

Questionados que nota dariam para as suas vidas, em uma escala de 0 (pior) a 10 (melhor), os finlandeses chegaram a uma média de 7,7. O segundo lugar ficou com a Dinamarca (7,6), e o terceiro, com a Noruega (7,5). Os brasileiros mediram a felicidade em 6,3.

A conclusão geral do estudo, divulgado no último dia 20, é que a infelicidade aumentou em todo mundo, movimento impulsionado pela desconfiança em líderes políticos e pelo uso intenso das redes sociais, apontam os analistas do estudo.

Das dez últimas colocações, sete são de países africanos e três são países árabes localizados na Ásia Ocidental. Em último lugar, está o Sudão do Sul, com uma nota de 2.853.

América Latina
O caso é mais grave na América Latina. A crise política e econômica da Venezuela tem puxado o ranking da região para baixo. O país despencou 85 posições do ranking de 2015 para este, o que a coloca próxima ao Senegal (111º), onde cerca de metade da população vive abaixo da linha da pobreza. “Os dez países com as maiores quedas na avaliação média de vida tipicamente sofreram uma combinação de estresses econômico, político e social”, afirma o relatório

A nação mais feliz da região é a Costa Rica, que aparece em 12º lugar, antes mesmo de Luxemburgo (14º) e do Reino Unido (15º). O Brasil está na posição 32, atrás do México (23º), do Chile (26º) e do Panamá (31º), mas antes de Uruguai (33º) e Argentina (47º).

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas