Brasil fecha rodada tripla contra Uruguai e com volta da torcida

esportes
14.10.2021, 09:00:00
Atualizado: 14.10.2021, 14:13:48
Neymar volta a ser titular após desabafo sobre chance de Copa do Mundo de 2022 ser sua última (Lucas Figueiredo/CBF)

Brasil fecha rodada tripla contra Uruguai e com volta da torcida

Jogo será nesta quinta-feira (14), às 21h30, na Arena da Amazônia

O Brasil passará nesta quinta-feira (14) pelo seu último desafio da rodada tripla das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022. A equipe do técnico Tite enfrenta o Uruguai, às 21h30, na Arena da Amazônia, em Manaus, pela 12ª rodada da competição. E, se o empate sem gols com a Colômbia, no último domingo (10), acabou com o 100% de aproveitamento após a sequência de nove vitórias seguidas, a partida de hoje tem um lado muito bom.

Será a primeira vez que o Brasil jogará como anfitrião com público pagante desde o início da pandemia do novo coronavírus. Todos os 10 mil ingressos colocados à venda - com valores entre R$ 125 e R$ 500 - foram esgotados em menos de dois dias. No total, 14 mil pessoas poderão assistir ao jogo. Ou seja, dentro do permitido, será casa cheia.

Para entrar no estádio, o torcedor terá que cumprir um protocolo. Só poderá acessar o local quem tenha completado o esquema vacinal da covid-19 com duas doses ou dose única. Haverá ainda a aferição de temperatura e não será permitida a entrada com alimentos e bebidas em geral. O uso de máscara também será obrigatório, além da manutenção do distanciamento social.

“Vamos jogar com o apoio da nossa torcida, importante isso para nós contra um adversário como o Uruguai. Vou continuar dando o meu melhor, tentando jogar bem para ajudar a Seleção Brasileira”, disse o volante Fabinho.

A partida, vale lembrar, acontece em meio a uma preocupação com Neymar. Nesta semana, o craque falou sobre a possibilidade da Copa do Mundo de 2022 ser a última da sua carreira. Aos 29 anos - em fevereiro, completa 30 -, ele estará com 34 no Mundial de 2026, que será realizado em conjunto por EUA, Canadá e México.

“Acho que é minha última Copa do Mundo (2022). Eu encaro como a minha última porque não sei se terei mais condições, de cabeça, de aguentar mais futebol. Então vou fazer de tudo para chegar muito bem, fazer de tudo para ganhar com meu país. Para realizar o meu sonho desde pequeno e espero poder conseguir”, afirmou o astro.

Após o desabafo, vários jogadores saíram em defesa do craque. “A gente torce que ele fique por muito tempo na Seleção, pela qualidade do futebol, pelo grande jogador que é. Torcemos para que fique muitos anos com a gente. Difícil falar mentalmente de outra pessoa. O cara às vezes tem pressão muito forte”, comentou o volante Fred.

Tite e a comissão técnica também estão se mostrando preocupados com o lado emocional dos atletas. Após o empate em 0x0 com a Colômbia, o treinador saiu em defesa de Neymar e atribuiu a atuação ruim do camisa 10 à boa marcação adversária.

“Talvez as expectativas em cima dele sejam que faça toda hora excepcionalidades e toda hora faça a diferença. É um jogador excepcional, porque faz jogadas excepcionais, excepcionalmente. E não corriqueiramente. É sim um jogador diferenciado, sabemos dessa condição. Foi muito bem marcado também, por vezes dobrada a marcação em cima dele, num contexto geral”, explicou.

Escalação
Por enquanto, Neymar segue como titular absoluto da Seleção Brasileira e será um dos 11 primeiros diante do Uruguai. A equipe, porém, não contará com o zagueiro Éder Militão, que teve lesão no músculo posterior da coxa direita confirmada pela CBF, após exames de imagem.

Assim, Tite montará a dupla de zaga com Thiago Silva e Lucas Veríssimo, deixando Marquinhos na reserva. Mas essa não será a única alteração. Ainda na defesa, Emerson Royal ficará com a vaga de Danilo na lateral direita, enquanto o goleiro Alisson dará espaço para Ederson. No ataque, Raphinha entra no lugar de Gabigol.

A escalação para o clássico tem: Ederson, Emerson Royal, Lucas Veríssimo, Thiago Silva e Alex Sandro; Fabinho, Fred e Lucas Paquetá; Raphinha, Gabriel Jesus e Neymar.

Uruguai

Adversário do Brasil desta quinta-feira (14), o Uruguai passa por um momento turbulento e rondado por questionamentos. Principalmente após a decepcionante derrota por 3x0 para a Argentina, fora de casa, no último domingo. Foi o segundo jogo seguido que a Celeste não fez um gol sequer.

Pressionado por melhores resultados, o técnico Óscar Tabarez deve fazer mudanças no time titular. Edinson Cavani, que ficou no banco nos últimos dois jogos, pode voltar a formar a dupla de ataque com Luis Suárez. Os dois, aliás, não marcam nas Eliminatórias há oito jogos. 

Além disso, o lateral-esquerdo Piquerez deve ganhar chance, no lugar de Matías Viña. Bentancur, que cumpriu suspensão diante da Argentina, também deve começar jogando. Já o zagueiro Ronald Araujo, machucado, será desfalque. 

A provável escalação do Uruguai tem: Muslera, Nández, Coates, Godín, Piquerez; Valverde, Vecino, Bentancur, Nicolás De la Cruz; Suárez e Cavani.

“Não vamos nos apoiar na ideia de que o Brasil está mal, porque não acredito nisso. Foram os primeiros pontos que eles perderam. Vamos nos preparar dentro do que podemos fazer em tão pouco tempo, pensando que vamos dar tudo de nós, sem que nos encontrem descuidados”, disse Tabarez.

Atualmente, a Celeste é a quarta colocada das Eliminatórias, com 16 pontos. São 12 a menos que o Brasil, líder com 28.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas