Bruno Reis e Rodrigo Pacheco fazem reunião sobre situação do transporte público

salvador
01.04.2021, 14:43:24
Atualizado: 01.04.2021, 14:47:22
(Valter Pontes/Secom)

Bruno Reis e Rodrigo Pacheco fazem reunião sobre situação do transporte público

Prefeito de Salvador e presidente do Senado se encontraram virtualmente nesta quinta-feira (1º)

A situação do sistema de transporte público nas capitais, agravado pela pandemia de Covid-19, foi abordado pelo prefeito Bruno Reis nesta quinta-feira (1º), durante a primeira reunião do Consórcio Nacional de Vacinas das Cidades Brasileiras (Conectar) com o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco. 

O encontro, ocorrido de forma virtual, teve como objetivo discutir ações de enfrentamento à pandemia e reuniu integrantes da diretoria da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) e do Conectar.

Na ocasião, o chefe do Executivo de Salvador pediu que as Casas atuem por uma Medida Provisória que garanta socorro ao sistema em curto prazo. 

“O fato é que precisamos gerar caminhos. Depois da pandemia, o pior problema hoje enfrentado nas cidades é o transporte público”, alertou Reis.

Os integrantes também destacaram a importância da participação dos municípios no Comitê de Coordenação Nacional para Enfrentamento da Pandemia da Covid-19, instituído no dia 26 de março. 

A sugestão do presidente da FNP, Jonas Donizette, é que dois prefeitos possam representar as cidades nas discussões do grupo para contribuir na definição de medidas de enfrentamento à Covid-19.

O prefeito de Florianópolis (SC) e presidente do Conectar, Gean Loureiro, afirmou que o consórcio vem para contribuir no processo de imunização da população.
 
“Representando 150 milhões de brasileiros, o consórcio tem a missão mais importante do municipalismo hoje. E a ideia não é fazer oposição ao governo, pelo contrário. O objetivo é somar esforços para acelerar o processo de vacinação”, declarou.

Para o presidente do Senado, a proposta de união do consórcio é fundamental no cenário atual e dialoga coerentemente com o conceito do Comitê. Ainda conforme o parlamentar, a participação de governantes locais na instância é uma ideia “absolutamente razoável”. “Não há nada pior nesse momento que a desarticulação”, ressaltou Pacheco.

Reafirmando a necessidade de regulamentação da Lei 14.124/2021, que permite a compra de vacinas pelos entes subnacionais, a solução deverá ser a edição de uma Medida Provisória ou um novo Projeto de Lei, conforme explicou o senador.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas