Calor e fumaça dificultam início da perícia de incêndio em hospital no Rio

brasil
13.09.2019, 11:05:04
Atualizado: 13.09.2019, 11:07:29
(Fernando Frazão/Agência Brasil)

Calor e fumaça dificultam início da perícia de incêndio em hospital no Rio

Onze pessoas morreram no incêndio e dezenas de pacientes tiveram de ser transferidos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O incêndio que começou na noite de quinta-feira (12) no Hospital Badim, unidade no Maracanã, na zona norte do Rio, foi controlado, mas os trabalhos de perícia e investigação ainda não começaram por causa do calor e da fumaça que ainda tomam conta do edifício. A informação é do delegado titular da 18ª Delegacia de Polícia, Roberto Ramos.

"Há muita fuligem, o local ainda está quente, com muita fumaça. Por isso, estamos aguardando para ter um acesso melhor. Estamos conversando com engenheiros para saber o layout de toda a estrutura do hospital para encontrar os possíveis focos do incêndio", afirmou Ramos, na manhã desta sexta-feira (13) na porta do hospital.

Onze pessoas morreram no incêndio e dezenas de pacientes tiveram de ser transferidos para outros hospitais. Na quinta, o Corpo de Bombeiros confirmou a morte de uma pessoa e nesta sexta, de outras dez.

O hospital informou que um curto-circuito no gerador do prédio 1 da unidade de saúde provocou o início das chamas, que espalharam fumaça para todos os andares do prédio. O delegado Ramos evitou antecipar conclusões sobre o foco original do incêndio. "Estamos verificando essa possibilidade. Sabemos que o fogo chegou ao gerador, mas estamos vendo um foco primário, para saber se realmente foi o gerador ou não", disse Ramos.

Segundo o delegado, os peritos da Polícia Civil ficarão de plantão para fazer a perícia no local do incêndio. Por conta das dificuldades, Ramos evitou dar um prazo para conclusão dos trabalhos, que, segundo ele, poderão tomar todo o dia de sexta e entrar pelo fim de semana, se for necessário.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas