Campeão na dupla Ba-Vi, Bebeto Campos estará no Baba das Antigas

e.c. vitória
22.04.2019, 05:00:00
Atualizado: 22.04.2019, 09:54:59
Bebeto Campos fez sucesso com as camisas de Vitória e Bahia (Fotos de Luiz Hermano e Aroldo Abrantes/ Arquivo Correio)

Campeão na dupla Ba-Vi, Bebeto Campos estará no Baba das Antigas

Ex-volante conquistou oito títulos pelos rivais da capital durante a carreira

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Desde que saiu de Almadina, município a 450km de Salvador, José Nilton da Silva Campos ostenta o apelido de Bebeto. O motivo era uma suposta semelhança física com o atacante campeão do mundo ao lado de Romário na Copa do Mundo de 1994.

Naquela época ele podia não imaginar, mas alguns anos à frente os dois Bebetos jogariam juntos pelo Vitória. O ano era 1997 e Bebeto foi contratado pelo rubro-negro. 

Na mesma época chegaram Petkovic e Túlio Maravilha. A vinda de Bebeto também significou uma nova mudança para o volante tricampeão baiano e para não confundir os dois xarás, Bebetinho passou a ser Bebeto Campos.

Ele será uma das atrações do Baba das Antigas, amistoso que será realizado pelo CORREIO na Arena Fonte Nova nesta terça-feira (23), reunindo ex-craques de Bahia e Vitória. O ingresso será a edição impressa do jornal de terça. Os assinantes terão acesso à Fonte Nova com o Clube Correio (impresso ou digital). A entrada é gratuita para crianças até 6 anos. Os portões serão abertos a partir das 17h, com entrada pelo Acesso Sul (Dique do Tororó). A bola rola às 19h.

A vida de Bebeto no futebol começou nas divisões de base do Bahia. Ele ficou no tricolor dos 13 aos 17 anos, mas se profissionalizou pelo Vitória, onde foi tricampeão baiano e ainda faturou um Nordestão.

Depois, teve uma passagem rápida pelo Fluminense antes de voltar para a Bahia: dessa vez para o lado azul, vermelho e branco do estado. Pelo tricolor, mais quatro títulos: dois estaduais e o bi regional ao lado de Nonato e Preto Casagrande. “Fico orgulhoso em saber que sou querido nas duas torcidas”, comemora Bebetinho. 

Depois do Bahia, jogou pelo Sport antes de encerrar a carreira de forma precoce no Paysandu, com apenas 30 anos, após apresentar uma miocardiopatia e dilatação de um dos vasos do coração durante exames feitos. 

Naquela época, os clubes estavam com o sinal amarelo ligado para problemas cardíacos por conta da recente memória da tragédia que matou o zagueiro Serginho, do São Caetano, vítima de uma parada cardíaca dentro do campo do Morumbi enquanto disputava um jogo contra o São Paulo.

Hoje ele encara a aposentadoria com naturalidade, mas confessa que os três primeiros anos foram muito difíceis de atravessar. De uma hora pra outra teve que deixar de lado aquela rotina que gostava tanto. O campo, a torcida, os desafios, a entrevistas... a bola. Não foi fácil ter que abrir mão da velha companheira.

Reencontro 
Bebeto Campos não conseguiria parar de jogar bola para sempre. Passado o susto da descoberta da doença que culminou em sua aposentadoria, o ex-volante deixou o Pará e retornou para a Bahia, onde mora hoje. Por aqui, mantém uma regularidade pegando alguns babas com outros ex-atletas. “Eu não consigo viver sem jogar futebol. Vai ser legal entrar em campo com toda essa galera que fez história”, disse ele, referindo-se ao Baba das Antigas. 

O baba integra as comemorações dos 40 anos do jornal, que ao longo de 2019 apresentará mais novidades. O evento tem apoio da Associação de Garantia ao Atleta Profissional da Bahia (Agap-BA), Esporte Clube Bahia, Esporte Clube Vitória, Federação Bahiana de Futebol (FBF) e Itaipava Arena Fonte Nova. O projeto Correio 40 anos tem oferecimento do Bradesco, patrocínio do Hapvida e Sotero Ambiental e apoio de Vinci Airports, SENAI, Salvador Shopping, Unijorge, Claro, Itaipava Arena Fonte Nova, Sebrae e Santa Casa da Bahia.

*Com supervisão do editor Miro Palma

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas