Casal destrói clínica por acreditar que está sendo rastreado por chip de dentistas

em alta
10.06.2022, 12:47:39
(Foto: Reprodução / Record TV)

Casal destrói clínica por acreditar que está sendo rastreado por chip de dentistas

'Escutam dentro do meu lar', disse mulher

Um casal destruiu a recepção de uma clínica odontológica em Belo Horizonte nesta quarta-feira (8). Um dia após o crime, a desempregada Kênia Aparecida, de 27 anos, revelou o motivo do surto: um suposto implante de chip com escuta feito contra a vontade dela.

“Algo escuta, dentro do meu lar, dentro do meu banheiro. Estou com a minha internet 4G desligada. Celular no modo avião. O meu aparelho de TV desligado. Como está saindo a gravação? Como que meu vizinho está me ouvindo? Como está reproduzindo áudio? É porque está dentro de mim [o chip]”, questionou a dona de casa em entrevista a Record TV Minas, nesta quinta-feira (9).

A mulher revelou que a suspeita começou após um 'alerta' de colegas da empresa onde ela trabalhava. Segundo ela, o dentista colocou o dispositivo quando ela o procurou para extrair um dente siso e fazer um canal. 

“Me perguntaram qual procedimento eu havia feito. Me falaram que tinham colocado um chip em mim, mas não acreditei. Com o tempo, só foi havendo piora e eu procurei outras clínicas para fazer remoção”, afirmou sobre o início das suspeitas. “Colocaram esse corpo estranho em mim, que só a perícia civil vai explicar o que é”, declarou.

O gari Lucas Rocha, marido de Kênia, também defende a versão da companheira. “Eu pesquisei sobre o chip. Ele tem a essência de mostrar e observar a escuta dentro do lar. Foi implantado na boca dela. Tudo que está acontecendo dentro da minha casa está sendo gravado”, defende o homem.

Clínica nega chip
A dona da clínica, por outro lado, revelou que a história começou em 2018, quando Kênia esteve lá para extrair três dentes e colocar uma peça de metal. O serviço foi feito, mas em janeiro deste ano, a mulher voltou alegando que sentia dores e queria retirar a peça porque descobriu que havia um “corpo estranho”. A proprietária da clínica explicou a ela que o que havia na peça era apenas um núcleo de cor escura.

O ataque de Kênia e o marido foi registrado pelas câmeras de segurança. A destruição da clínica aconteceu na tarde desta quarta-feira (8), quando a família voltou ao estabelecimento para tentar resolver o suposto problema, já que a mulher reclamava de dores. Os três filhos do casal acompanharam a cena.

Nas imagens, o homem aparece quebrando computadores e batendo no braço de uma funcionária. A mulher, com um bebê no colo, arremessou objetos contra as atendentes. Kênia ainda chutou o móvel da recepção e quebrou a tampa de vidro sobre o balcão. Antes da família fugir pelo elevador, o homem ainda destruiu o aparelho de TV pendurado na parede.

A clínica calcula um prejuízo de R$ 6.000. A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar o caso. O casal pode responder por lesão corporal, ameaça e dano ao patrimônio.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas