Cesta Básica de Salvador apresenta elevação de 2,74% em fevereiro

salvador
07.03.2022, 16:24:24
(Geraldo Bubniak/AEN)

Cesta Básica de Salvador apresenta elevação de 2,74% em fevereiro

Do conjunto dos 12 produtos que integram uma cesta básica, nove registraram elevação nos preços

A Cesta Básica de Salvador, segundo estimativa da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), passou a custar R$ 471,68 no mês de fevereiro de 2022. Dessa forma, em comparação ao custo estimado no mês imediatamente antecedente, houve uma alta de 2,74% – ou seja, um aumento de R$ 12,55 em relação ao valor registrado em janeiro em termos nominais. 

Segundo Denílson Lima, integrante técnico da SEI, “a alta nos preços de alguns dos produtos da Cesta Básica de Salvador para o mês de fevereiro é justificada, principalmente, por fatores climáticos”. 

Do conjunto dos 12 que integram uma cesta básica, nove registraram elevação nos preços, a saber: banana-prata (7,73%), café moído (7,63%), pão francês (6,14%), açúcar cristal (4,47%), manteiga (3,83%), óleo de soja (3,62%), carne bovina (3,47%), arroz (2,61%) e feijão (1,23%). Por outro lado, três apresentaram redução: leite (-3,27%), farinha de mandioca (-1,70%) e tomate (-0,35%). 

Item com maior variação percentual de preço, a banana-prata se deparou com restrições de oferta no referido mês, decorrentes de fortes chuvas na colheita e do período de entressafra. Além disso, problemas na logística do semiárido e do Nordeste – onde está o maior produtor da região e o segundo maior do país, que é a Bahia – ajudam a explicar essa alta. Segundo complementa Lima, “pelo menos, a expectativa é por menores pressões no preço dessa fruta no curto prazo, já que dados do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do IBGE apontam para um aumento de safra, o que ajudará a reduzir o gargalo da oferta”. 

Nesse contexto, o trio composto por arroz, feijão e carne bovina variou 3,0% de janeiro a fevereiro, tornando-se responsável por 38,11% (ou seja, R$ 179,76) do valor da Cesta Básica mais recente. Por sua vez, o quarteto com café moído, leite, pão francês e manteiga aumentou 3,63% de um mês ao outro, passando a responder por 29,75% (ou seja, R$ 140,32) do custo atual da referida cesta. 

No geral, conforme Denílson Lima, “a deflagração da guerra russo-ucraniana tende a se configurar em mais um fator de instabilidade para os preços de alguns itens da Cesta Básica, como, por exemplo, o pão francês, já que o trigo é sua matéria-prima principal e a Rússia e a Ucrânia estão entre os principais produtores mundiais, respondendo por mais de 30% da oferta global desse produto – fazendo do conflito entre esses dois países uma grande ameaça à oferta desse grão”. 

No mês, os produtos com as maiores participações no custo da Cesta Básica de Salvador foram a carne bovina (28,19%), o tomate (18,49%) e o pão francês (14,58%). Na outra ponta, os itens com as menores participações foram o açúcar cristal (2,55%), o café moído (1,97%) e óleo de soja (1,86%). 

Por fim, em fevereiro deste ano, o tempo de trabalho despendido por um trabalhador soteropolitano para obter uma cesta básica foi de 92h33min, o equivalente ao comprometimento de 42,07% do valor líquido de um salário mínimo atual. 

O boletim completo com as análises referentes ao mês de fevereiro pode ser acessado diretamente do site da SEI clicando aqui.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas