Chá caprichado: advogada baiana fatura R$ 60 mil com venda da sua própria kombucha

bahia
09.05.2021, 11:30:00
Rachel começou a fazer a sua kumbucha na cozinha de casa e hoje já tem uma fábrica da bebida (Foto: Gabriel Lordelo/ Divulgação)

Chá caprichado: advogada baiana fatura R$ 60 mil com venda da sua própria kombucha

Marca Caprichá dobrou o ganho na pandemia e já planeja expansão para outros estados do Nordeste

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A produção da Caprichá Brasil (@caprichabrasil) começou um pouco antes do início da pandemia, em casa mesmo, com a suqueira que Rachel tinha. Inicialmente, ela fez 50 garrafas da bebida que virou queridinha até de Caetano Veloso. Hoje, as vendas chegam a 600 unidades por semana, movimento que alcançou um ganho de R$ 60 mil de janeiro para cá. 

“Quando me dei conta, já tinha ocupado a cozinha e a sala. Atualmente, temos uma fábrica em Stella Maris, onde desenvolvemos quatro sabores de uma kombucha totalmente baiana”, conta ela.

A kombucha é uma bebida viva, produzida através da fermentação natural das folhas e brotos da camellia sinensis. Já a colônia de bactérias e leveduras que recebe Scoby (Symbiotic Culture of Bacteria and Yeast) é a "mãe" que permite a sua produção.

“Comprei meu primeiro Scoby por R$ 180, mas agora o mercado tem valores bem mais acessíveis, com um preço médio de R$ 40 e de todos os tamanhos. O Scoby é como  se fosse uma ‘casa’ construída por bactérias como Leuconostoc, Allobaculum, Ruminococcaceae e mais uma infinidade de microrganismos, que junto com inúmeras espécies de leveduras vivendo em simbiose, são responsáveis por esse processo de fermentação da kombucha”, explica.

Rachel fez cursos, testou sua receita por diversas vezes, antes de desenvolver a fórmula da Caprichá. “Estudo desde o dia que comecei a fazer até hoje. Fermentação é ciência e a observação é absolutamente necessária. Foram dias e noites de testes incalculáveis. Cuido das minhas culturas como animais de estimação e amo criar minhas colônias. A melhor parte de ser ‘kombucheira’ é acordar pensando em novas possibilidades, cores e aromas”.

São quatro sabores: mate limão e gengibre, manga e gengibre, caju e twist - uma alquimia entre limão, maracujá e spirulina (tipo de alga fonte de nutrientes e minerais que ajudam no emagrecimento). As receitas? São guardadas a sete chaves, como assegura Rachel.  Cada latinha de 269 ml custa R$ 15. As kombuchas podem ser compradas no site  www.caprichabrasil.com.br ou em lojas parceiras, entre elas  a Healthy, Divina Terra, Grão do Horto, Grão Real e Nozu.

“Caju é o sabor mais vendido. Um dia entrei numa loja e pedi para a dona provar. Ela bebeu e fez o primeiro pedido. Nunca vou esquecer a sensação que tive quando vi o rótulo no expositor. Hoje, estamos em 14 pontos de venda em Salvador, Feira de Santana e Valença”, afirma.

Totalmente baiana
No início, quando Rachel ainda trabalhava como assessora jurídica, ela usou quase todo o salário na compra de insumos para começar a produção. Atualmente, a estrutura soma R$ 20 mil em investimentos feitos em equipamentos, matéria-prima, concepção da marca e ações de marketing.

“As redes sociais são fundamentais para a divulgação das nossas campanhas e para compartilhar a experiência de nossos clientes. Estamos sempre explicando os benefícios da kombucha na saúde e na imunidade para as pessoas que nunca ouviram falar do meu produto”, diz. 

Recentemente, a marca trocou a embalagem de vidro pela latinha reciclável. Também está nos planos, a expansão para o mercado consumidor de outros estados do Nordeste. Vem sabor novo por aí? “Sim, estamos em fase de teste de mais novas versões.  Nunca desisti. Sempre dei o melhor de mim em tudo que me proponho a fazer. Cuido de todas as etapas do processo de criação dos produtos. Quero que a minha bebida faça ao meu cliente o mesmo bem que me faz”, completa Rachel.


KOMBUCHA CASEIRA

Ingredientes
. Um recipiente de vidro de três litros com torneira
. Um  Scoby (Symbiotic Culture of Bacteria and Yeast), ou seja, a cultura simbiótica de bactérias e leveduras que fermenta o chá. O  ingrediente pode ser encontrado na internet em market places como o Mercado Livre e  Amazon. O preço médio é R$ 35,90)
. 300 ml de kombucha de chá verde (essa quantidade é o arranque da fermentação)
. Um pano e elástico para cobrir o recipiente/ 9 g de chá verde/ 200 g de açúcar/2l ml de água filtrada ou mineral.

(Foto: Divulgação)

Preparo
Prepare a infusão do chá verde, misture o açúcar até dissolver e espere esfriar. Em seguida, com o chá já frio, coloque-o no recipiente com o Scoby e o starter (ou chá de arranque, ou seja,  a kombucha já fermentada). Tampe com o pano e elástico. Guarde por sete dias, sem mexer, num ambiente limpo, em temperatura ambiente e protegido da luz direta. Depois filtre e beba puro ou acrescente o sabor  do seu suco preferido e mantenha refrigerada. 

Fica a dica
Após um mês fora da geladeira, a kombucha vai virar um vinagre, que pode ser usado na cozinha ou com especiarias para temperar salada.


O CAPRICHO DO CHÁ

Descubra o que sabe fazer de melhor Acredite na sua capacidade de fazer o seu negócio crescer e 
não tenha vergonha de mostrar o seu trabalho. “Se você sabe fazer pão, faça o melhor pão possível. Se você sabe lavar bem uma roupa, lave como ninguém. Valorize o seu trabalho e cuide do seu cliente”, aconselha Rachel.

Trace seus planos e se organize Tenha suas próprias metas e corra atrás com toda a sua vontade de fazer dar certo.

Se inspire e seja inspiração Quando começarem a surgir outros negócios com uma proposta parecida com a sua, agradeça por  se tornar inspiração, porém, não  deixe de inovar.
 

QUEM É

Rachel Lacerda  é advogada, veterinária, taquígrafa e criadora da marca baiana de kombuchas, Caprichá Brasil.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas