Chave de ouro: última ação do CORREIO do ano vende todos os 17 mil exemplares

salvador
18.12.2020, 20:17:00
Atualizado: 18.12.2020, 20:32:05
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Chave de ouro: última ação do CORREIO do ano vende todos os 17 mil exemplares

Jornal colocou à venda um copo com uma mensagem do poeta Marcelo Caettano

A ideia era fechar com chave de ouro e, como um sonoro amém, assim foi feito. Assim como em todas as vezes que o CORREIO presenteou seus leitores e suas leitoras com um copo junto da edição do dia, a saideira, trazendo uma mensagem do poeta Marcelo Caettano, não foi diferente: poucas horas foram necessárias para esgotar os 17 mil exemplares que foram para as bancas nesta sexta (18).

Adriano Barbosa toca a banca Copacabana, na Avenida Miguel Navarro, há 13 anos. Por lá, os copos não chegaram às 9h - horário em que todos os 35 exemplares que tinha disponível foram vendidos. Teve gente de todo o tipo: cliente fiel, cliente novo e quase todo o mundo que passou por lá tentou levar mais de uma edição do copo branco, em alusão ao ano novo. Na semana passada, o brinde foi vermelho - cor que lembra o Natal.

Os 17 mil exemplares esgotaram em poucas horas (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

"Não deu pra quem quis. Vendeu tudo rapidinho e sempre dá esse movimento bom quando tem um brinde. Vem gente querendo levar de monte", conta Adriano.

Analista do mercado leitor do CORREIO, Quivia Santos Torres aponta que 90% de tudo que foi colocado à venda já tinha dono antes das 10h da manhã. Para a analista, a ação fechou o ano com chave de ouro e foi um recado de que mesmo durante dias tão difíceis como estes vividos em pandemia, com a angústia de uma vacina para poder voltar a abraçar, beijar e aglomerar em paz do jeito que tanto gostamos, é possível passar uma mensagem positiva, de carinho e esperança em um horizonte melhor.

Em uma banca, todos os copos disponíveis foram vendidos antes das 9h (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

"A chave de ouro não é somente pelo sucesso da ação, mas porque transmitimos um sentimento de esperança em tempos mais animadores à nossa frente. Por isso, fica a sensação de missão cumprida, uma satisfação enorme pra nós", conta.

O ano está perto de acabar, mas ainda há muito a se viver pela frente. Por isso, Quivia garante que, em 2021, leitoras e leitores do CORREIO podem esperar novas ações criativas e inovadoras para, aliada ao conteúdo de qualidade, levar esperança e informação.

Ao fazer um balanço de 2020, Mara Salmeron, gerente de Mercado Leitor do CORREIO, comemora a relevância do jornal e das ações com os leitores. “Vivenciamos um ano tão difícil com medos e incertezas. Mas, conseguimos propiciar ao leitor, além de informações de credibilidade e relevância, as ações com as máscaras distribuídas com o exemplar e as promoções dos copos com temas relevantes e de otimismo”, disse. 

Nesta sexta (18), os leitores puderam adquirir a versão branca do copo (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Para Marcelo Caettano, o poeta que assina a autoria das frases impressas nos copos, a ação destaca a arte como uma ferramenta importante em tempos árduos. “A gente teve um ano muito pesado. Imagine se em meio a isso tudo não tivéssemos música, livros, filme, por exemplo. Seria muito pior”, avaliou.

Com essa energia positiva, começam a se abrir as portas para 2021. E que seja bem mais leve que esse 2020 de dureza e aprendizado. A contagem regressiva já começou: vamos nessa?

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas