Chuva provoca alagamentos em diversos pontos de Salvador e RMS

salvador
30.03.2019, 14:55:00
Rua de Cadeias tomada pela água (Foto: leitor CORREIO)

Chuva provoca alagamentos em diversos pontos de Salvador e RMS

Suburbana foi a região da cidade mais atingida nas últimas 12h

É, o dia não está para praia. O tempo virou na madrugada deste sábado (30) e a chuva marcou presença, bem diferente do clima abafado de ontem. Segundo a Defesa Civil de Salvador (Codesal), a região da Suburbana foi a que registrou maior volume de chuva nas últimas 24h. A Ilha de Maré é a mais castigada, com 114,8 mm de chuva.

Nuvens ameaçam mais chuva sobre a Suburbana (Foto: Almiro Lopes/ CORREIO)

Até o início da tarde quatro bairros do Subúrbio Ferroviário lideravam a lista dos mais chuvosos da cidade, mas esse número dobrou no decorrer do dia. O mais atingido foi Periperi (55 mm), seguido de Mamede (52,6 mm), comunidade do Alto da Terezinha, Base Naval de Aratu (52,4), Mirante de Periperi (50,2 mm), Rio Sena (46,7 mm), Planalto Real (45,6 mm), em Plataforma, e Vila Picasso (38,6 mm), na Capelinha.

Chuva forte em Plataforma (Foto: Almiro Lopes/ CORREIO)

A chuva forte alagou ruas, e obrigou os soteropolitanos a tirarem os guarda-chuvas e sombrias do armário. Em Fazenda Coutos I, também no Subúrbio, moradores reclamaram dos trovões e relâmpagos. No Centro, algumas poças se formaram entre a pista e a calçada na Avenida Sete de Setembro e os pedestres tiveram que fazer manobras para caminhar.

Em Paripe, a chuva foi tão intensa que as ruas alagaram. A Avenida Afrânio Peixoto (Suburbana), a principal via do bairro, ficou como se fosse um rio. Moradores e comerciantes ficaram ilhados e motoristas precisaram redobrar a atenção. 

O último boletim da Codesal, emitido às 18h16, registrou 80 ocorrências em Salvador. Foram 24 ameaças de deslizamento, 18 alagamentos de imóvel, 14 deslizamentos de terra, 13 ameaças de desabamento, três ameaças de queda de árvores, duas avaliações de imóveis alagados, dois desabamentos parciais, uma árvore caída, um alagamento de área, uma infiltração, e uma orientação técnica.

No total, 56 dessas situações aconteceram em um intervalo de 5h, porque o boletim das 13h05,registrou 24 ocorrências na cidade. Foram nove ameaças de deslizamento, seis ameaças de desabamento, três ameaças de queda de árvores, dois deslizamentos de terra, dois alagamentos de imóvel, um desabamento parcial, e um imóvel alagado.

Quem tiver problemas com a chuva pode ligar para a Codesal através do 199. As equipes estão de plantão 24h.

Pedestres se arriscam na Av. Sete de Setembro (Foto: Gil Santos/ CORREIO)

A Transalvador informou que a chuva provocou alguns pontos de retenção na cidade, como na Avenida Jequitaia, no sentido Calçada/ Comércio, e na Avenida ACM, no sentido Itaigara/ Iguatemi, por volta das 14h30. Apesar do volume de água, o órgão não havia registrado acidente até esse horário.  

Em Candeias, na Região Metropolitana, a chuva foi ainda mais intensa e formou enxurradas. Em alguns locais ela alcançou a porta dos carros e pessoas se arriscaram andar com a água na altura da cintura.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) a previsão é que o tempo nublado a parcialmente nublado, com chuvas esparsas. Já amanhã o clima deve melhorar um pouco e as chuvas vão ficar mais fracas. Os ventos estão de fracos a moderados nesse fim de semana.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas