Classe média tem momento positivo para compra de novos imóveis

salvador
20.08.2020, 06:01:00
Espaço Gourmet do Vivace Cabula VI. Empreendimento tem apartamentos a partir de R$ 255 mil (Foto: Divulgação/JVF Empreendimentos)

Classe média tem momento positivo para compra de novos imóveis

Principal fonte financiamento de imóveis, poupança vive momento recorde de captação de recursos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Soa estranho afirmar que um setor vive momento favorável para captação de clientes em meio a uma pandemia que provoca crise financeira e econômica sem precedentes. Mas é isso mesmo que está acontecendo. Principal fonte de financiamento de imóveis para a classe média, a poupança vive momento recorde de captação de recursos. A isso é somado um cenário de juros baixos, o que permite que mais famílias tenham acesso a crédito. Fatores que dão uma boa oportunidade ao mercado imobiliário.

O problema agora é trazer o cliente para junto e conseguir convencê-lo de que a hora é boa para adquirir a casa própria ou mudar para um imóvel maior. Por isso construtoras apostam em promoções e condições de pagamento personalizadas para atingir o público e fechar negócio.

A JVF Empreendimentos completou 10 anos de vida ontem (19/8), mas garante que customiza propostas de vendas desde o seu primeiro ano de vida. Em Salvador, a empresa já entregou condomínios na Vila Laura, Pituaçu, Jardim Armação e no Cabula - bairro que segundo a sócia-diretora Juliana Oliveira virou o local preferido da construtora. "Trata-se de um bairro rico em serviços e que enxergamos que ainda precisa de uma maior excelência na oferta de imóveis. Toda a região combina com o nosso público, quase 80% de nossos clientes eram moradores de lá e continuaram no bairro, mas em uma casa nova", conta.

Quem quer conseguir crédito imbiliário, principalmente para aquisição de imóveis a partir de R$ 240 mil - ou os médio padrão - está com a faca e o queijo na mão ao optar pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE, uma linha de crédito imobiliário que usa recursos da poupança). Segundo o Banco Central, houve uma captação líquida recorde da poupança de janeiro a julho de 2020, somando um montante de R$ 87,9 bilhões. O valor impressiona, principalmente quando comparado com o mesmo período do ano passado, que teve um resultado negativo em R$ 13 bilhões.

O economista Marcelo Andrade Filho diz que isso significa que há uma janela de crédito para famílias com renda a partir R$ 5 mil. Ele ainda afirma que as concessões de financiamento mostram que houve procura por compra de imóveis mesmo nos meses em que a pandemia viveu seus momentos mais críticos.

A Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) aponta que houve um avanço de 37% no número de financiamentos em todo o Brasil durante o ano de 2019, e trabalha com uma expectativa de ter uma nova crescente neste ano, desta vez de 12%. No entanto, segundo Marcelo Andrade, toda essa expectativa pode ser frustrada em função do desempenho econômico do segundo semestre de 2020.


Allegri Cabula oferece opções de 2 e 3 quartos e tem estrutura de lazer completa, com quadras, piscina e salão de festas (Foto: Divulgação/JVF Empreendimentos)

Presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário da Bahia (Ademi-BA), Cláudio Cunha explica que a pandemia trouxe novas relações das pessoas com seus lares.

Ainda segundo Cláudio Cunha, as menores taxas de juros e uma inflação sob controle estimulam o investimento imobiliário e contribui com o aquecimento do mercado. O resultado disso é expressado em números: em Salvador e Região Metropolitana foram R$ 70 milhões no valor geral de vendas e quase 300 unidades vendidas desde junho.

"O consumidor entende as vantagens de investir em imóveis e está respondendo às oportunidades do mercado", diz Cunha.


Condomínio pago

Juliana Oliveira explica que a grande aposta da JVF é em levar confiança para que os clientes façam o investimento, principalmente por entender que os públicos das classes B e C fazem uma única negociação dessas proporções durante a vida.

"É um momento especial e não podemos tornar isso um pesadelo, muito pelo contrário. Então temos seriedade para entregar os empreendimentos no prazo e também criamos promoções como o Clube do Amigo Vizinho, nosso programa de incentivo que premia os moradores que indicam novos clientes com o pagamento de 6 meses de condomínio", conta.

Essa alternativa, de acordo com Juliana, fortalece os laços com quem já é cliente e ainda auxilia a fazer novas prospecções a curto-prazo. Moradora do Allegri Cabula, a professora Fernanda Sturaro se mudou há pouco mais de um ano e indicou mais de 15 pessoas. Cinco delas fecharam negócio e com isso ela ganhou 2 anos e meio de isenção na taxa condominial. E garante que vai em busca de mais 6 meses.

Pronto para morar, o Vivace tem apartamentos a partir de R$ 255 mil, ou descontos que vão até R$ 29 mil. Neste mesmo condomínio é possível financiar até 90% do imóvel. A JVF também oferece facilidades na entrada, como, por exemplo, o pagamento com o FGTS e primeira parcela para 60 dias, sem correção no valor do financiamento.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas