Colisão entre caminhão e van deixa quatro mortos e quatro feridos na Bahia

bahia
19.04.2019, 11:20:00
Atualizado: 19.04.2019, 12:40:08
(Foto: Divulgação/PRF)

Colisão entre caminhão e van deixa quatro mortos e quatro feridos na Bahia

Veja trechos mais perigosos e cuidados nesse período de feriadão

Um acidente entre uma van e um caminhão na madrugada desta sexta-feira (19), na BR-242, próximo a Barreiras, no oeste da Bahia, deixou quatro pessoas mortas e quatro feridas – uma está em estado grave e as demais tiveram ferimentos leves.

Dentre os mortos, está o motorista da van Edimilson Nascimento, 36 anos. As outras vítima fatais do acidente foram Neuza Rosa de Souza, 52, e Laurita Mateus Almeida, 61 (ambas passageiras da van), e o motorista do caminhão Jacson Brito Nascimento, 22.

A colisão foi tão violenta que arrancou a lateral esquerda da van, onde viajavam seis pessoas, todas adultas. A van tinha saído da cidade de Jacobina (BA) e não há informações de onde partiu o caminhão.

O policial rodoviário federal Pablo Dias informou que o local do acidente é de ultrapassagem proibida e que pelas investigações iniciais nota-se que o acidente ocorreu porque o caminhão invadiu a pista contrária.

“O motivo de o motorista do caminhão ter ido para a outra pista ainda não sabemos. Ele pode ter cochilado, tentado uma ultrapassagem ou falta de atenção mesmo”, disse o policial, segundo o qual no local costumam ter acidentes.

Os feridos foram levados para o Hospital do Oeste, que não deu informações sobre o estado de saúde deles nem detalhes sobre os pacientes, como sexo ou idade. O paciente grave estava no carona do caminhão e os demais na van.

Operação Semana Santa

A BR-242, muito utilizada por quem se dirigem à Chapada Diamantina, é uma das rodovias que a PRF orienta motorista a terem maior atenção durante este feriado de Semana Santa, período em que a polícia realiza operação especial de fiscalização e educação no trânsito até domingo (21).

Merecem também atenção, devido ao movimento intenso, as BRs 324 (até Feira de Santana, uma das mais movimentadas), as BRs 116 e 101 (no sudoeste e sul da Bahia), as BRs 324 e 407 (sentido Senhor do Bonfim e Juazeiro), a BR-116 norte e a BR-110.

Os cuidados com animais na pista devem ser constantes, assim como nos trechos onde as pistas não são duplicadas, como da BRs 116 e da 101.

Na região do extremo sul, no trecho Eunápolis-Porto Seguro-Santa Cruz de Cabrália, a atenção maior deve ser com relação pessoas que passam o dia na praia e pegam o volante, ou com os próprios banhistas, muitos dos quais ficam na beira da pista caminhando ou de bicicleta.

Ano passado, durante a Semana Santa, a PRF registrou 48 acidentes de trânsito que deixaram 47 feridos e 10 mortos. Foram fiscalizadas 6.038 pessoas em 6.446 veículos, 2.077 motoristas foram submetidos aos testes com etilômetros e 43 foram flagrados dirigindo após consumir bebida alcoólica.

Houve ainda 4.064 motoristas flagrados trafegando acima da velocidade máxima e foram extraídas 666 autuações por ultrapassagens indevidas. Destacam-se também 151 registros pela falta do cinto de segurança, 31 por transportar criança em veículo automotor sem observância das normas de segurança e mais 31 por conduzir motocicleta, motoneta ou ciclomotor sem usar capacete. Durante o feriado, 1.644 pessoas receberam orientações de educação para o trânsito.

Preocupação

Segundo a PRF, o final de semana prolongado pelo feriado nesta sexta-feira (19) é marcado pelo aumento do fluxo de veículos e usuários circulando pelas rodovias federais para os mais diversos destinos e o uso abusivo de álcool é uma das principais preocupações do órgão.

Dirigir sob influência de álcool é uma infração gravíssima punida com detenção, de seis meses a três anos, multa de R$ 2.934,70, sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor.

O valor da multa dobra se o caso for de reincidência nos últimos doze meses. Se o índice verificado no bafômetro for superior a 0,33mg/l, o condutor será encaminhado à delegacia para responder criminalmente.

O uso do cinto de segurança, do capacete e dos dispositivos de retenção para crianças, além de fiscalizações específicas de motocicletas e condições de conservação dos veículos, também estão entre os focos das equipes da PRF.

Até um ano, os bebês devem ser transportados no bebê-conforto, de costas para o motorista; de um a quatro anos, deve-se utilizar a cadeirinha; de quatro a sete anos e meio, o assento de elevação. Crianças com até 10 anos de idade devem ser transportadas no banco de trás do veículo, com o cinto de segurança.

Além do patrulhamento ostensivo a PRF promoverá ações educativas para o trânsito, buscando aumentar a conscientização dos usuários das rodovias e de seus papéis na construção de um trânsito mais seguro.

Durante a apresentação do Cinema Rodoviário, os policiais abordam os veículos e seus ocupantes são convidados a ouvir palestras, recebem dicas de segurança e são exibidos vídeos que mostram comportamentos inadequados no trânsito e as graves consequências dessas condutas. Os motoristas são submetidos a testes do etilômetro.


Restrição de tráfego

Para os dias chuvosos, a PRF orienta aos motoristas transitar com velocidade moderada, sempre a direita da via, acender os faróis (baixo), manter distância segura do outro veículo que segue a sua frente, evitar manobras e freadas bruscas.

Os acidentes que ocorrem sob chuva, geralmente são provocados pela diminuição da visibilidade, falta de atenção e velocidade incompatível. A PRF também faz um alerta aos motoristas profissionais.

A fim de promover a fluidez do trânsito em grandes feriados, quando há maior movimentação nas estradas, foi editada a Portaria nº 200 de 10 de dezembro de 2018, que define os tipos de veículos que sofrerão restrição de tráfego durante feriados nacionais e regionais no ano de 2019.

A restrição abrangerá apenas os trechos rodoviários de pista simples, com exceção dos trechos específicos estabelecidos no Anexo da Portaria e o descumprimento constitui infração de trânsito de natureza média (5 pontos) e multa de R$ 130,16, sendo que o motorista só poderá voltar a circular após o término do horário da restrição.

No feriado da Semana Santa, os dias e horários de restrição serão 18/04/2019 (quinta-feira) – 16:00 às 22:00; 19/04/2019 (sexta-feira) – 06:00 às 12:00; 21/04/2019 (domingo) – 16:00 às 22:00.

Nestes dias e horários estarão proibidos o trânsito de Combinações de Veículos de Cargas (CVC), portando Autorização Especial de Trânsito (AET), de Combinações de Transporte de Veículos (CTV) e Combinações de Transporte de Veículos e Cargas Paletizadas (CTVP), portando ou não a AET, bem como o trânsito dos demais veículos portadores de AET.


Dicas para uma viagem segurança 

  • Revisão preventiva – providenciar a checagem do automóvel mesmo para pequenas viagens. Faróis acesos para ver e ser visto; pneus calibrados e em bom estado; motor revisado, com óleo e nível da água do radiador em dia. Não esquecer de verificar a presença e estado dos equipamentos obrigatório, principalmente pneu estepe, macaco, triângulo e chave de roda, além dos limpadores de parabrisa e luzes do veículo.
  • Pausas para descanso – o condutor deve programar paradas a cada 3 horas. Quem se expõe a muitas horas dirigindo fica sujeito ao fenômeno da ‘hipnose rodoviária’, na qual se mantém de olhos abertos, mas sem percepção da realidade à sua volta. Ela vem acompanhada de sonolência, perda de reflexos e de força motora.
  • Previsão do tempo – procurar se informar sobre as condições do tempo nos lugares por onde vai passar. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) disponibiliza gratuitamente informações sobre o clima no portal da instituição.
  • Atenção redobrada – observar as placas que indicam os limites de velocidade e as condições de ultrapassagem. Elas não foram colocadas naquele ponto da rodovia sem motivo. Nos trechos em obras, o motorista deve reduzir a velocidade e obedecer a sinalização local.
  • Cinto de segurança – Use sempre o cinto de segurança. Este equipamento é obrigatório para todos os ocupantes do veículo.
  • Lei da cadeirinha – utilização de equipamentos obrigatórios de proteção de acordo com a idade da criança (bebê-conforto, poltrona de elevação e assento de elevação). Deve ser observado também os requisitos previstos no artigo 83 do Estatuto da Criança e do Adolescente, a respeito da autorização para viajar.
  • Planejamento da viagem – o motorista deve se informar sobre as distâncias que vai percorrer e das condições do tempo, pontos de parada, existência de postos de combustíveis e de restaurantes à beira da estrada. Não esquecer documentação pessoal e do veículo.
  • Emergência – ligue imediatamente para a PRF através do telefone 191.


Dez dicas para dirigir sob chuva

  • Só ultrapassar com segurança: ultrapassagens indevidas e avanço de sinal dão causa a muitos acidentes graves. Sob chuva, não havendo redução na velocidade normal de tráfego, o tempo de frenagem é maior. Desse modo, sob chuva a ultrapassagem deve ser evitada e só realizada de forma segura e quando necessária.
  • Usar farol baixo sempre aceso: O uso do farol baixo durante o dia, além de obrigatório nas rodovias, deixa seu veículo mais visível. Quando você acende os faróis, luzes vermelhas também se acenderão na parte traseira do veículo, e elas, em caso de chuva, são de extrema importância para evitar colisões.
  • Manter distância entre veículos em movimento: Manter distância segura entre veículos em condições de chuva torna-se ainda mais importante. Tal distância deve garantir ao motorista tempo hábil para que adote os procedimentos necessários enquanto dirige. Redobre o cuidado em curvas e frenagens.
  • Efeito aquaplanagem: fenômeno pelo qual os pneus não conseguem remover a lâmina de água e perdem o contato com o pavimento. A aquaplanagem ocorre pelo excesso de água na pista, velocidade demasiada e pneus com profundidade de sulco insuficiente. Durante a aquaplanagem, a direção fica repentinamente leve tornando-se muito difícil de controlar o veículo.
  • Os procedimentos corretos nesse caso são: a) segurar firmemente o volante, sem virar. Rodas viradas para um dos lados podem levar ao capotamento quando a aderência voltar a existir entre os pneus e a pista; b) tirar o pé do acelerador e diminuir a velocidade, mas não frear bruscamente, pois se as rodas estiverem travadas no momento que voltar o contato dos pneus com a pista, o carro se desgovernará; c) estabelecer um padrão seguro de velocidade para a situação.
  • Checar pneus e limpadores de pára-brisas: mantenha as palhetas de pára-brisas em bom estado. Faça a checagem antecipada de itens básicos como freios, fluídos, iluminação. Não insista em usar seu veículo se ele apresentar algum problema mecânico ou elétrico, mesmo que pareça simples. Dê atenção especial ao estado dos pneus em tempos de chuva, pois além da perda natural de tração, seu desgaste excessivo comprometerá a dirigibilidade.
  • Desembaçar os vidros: mantenha os vidros limpos, desengordurados e desembaçados. Se o para-brisas embaçar, tente diminuir a temperatura interna do veículo. Ligue o ar-condicionado ou o ventilador e, se o veículo não dispuser desses recursos, deixe os vidros com uma pequena abertura para que o ar circule. Esfregar as mãos sobre o vidro geralmente não resolve o problema. É mais aconselhável limpar o pará-brisa, internamente, com um jornal ou pano limpo.
  • Atenção a locais de travessia de pedestres: é corriqueiro os pedestres correrem sob chuva, atravessando ou andando à margem de pistas de rolamento, avenidas e ruas sem os devidos cuidados. Para evitar atropelamentos uma boa dica é dirigir preventivamente, com extrema atenção e velocidade moderada, sobretudo, em locais nos quais há sinais visíveis da possibilidade de travessia de pedestres.
  • Evitar vias alagadas: evitar passar sobre poças ou lugares com acúmulo de água. Vias inundadas devem ser evitadas, pois podem esconder obstáculos, além de nem sempre permitirem estimar a profundidade. Motoristas de veículos pequenos costumam observar a passagem dos maiores para avaliarem às condições de trafegabilidade. Esse critério é perigoso, considerando as diferentes características dos veículos. O excesso de água pode reduzir o desempenho do sistema de freios, causar a parada do motor e até danificá-lo.
  • Em caso de chuva forte: boa visibilidade é requisito de segurança. Se a chuva estiver muito forte, estacione seu veículo em local seguro ou até no acostamento, mas jamais pare sobre a via. Uma vez parado corretamente, deixe seu veículo visível, ligando seu pisca alerta enquanto aguarda a chuva diminuir ou passar. Algumas pessoas, em situações de pânico, saem de seus veículos, colocando-se em extremo risco e ignorando o fato de que, muito provavelmente, não serão vistas por outros motoristas nessas situações. Mantenha a calma e avalie suas atitudes com prudência.
  • Cuidados específicos para veículos de duas rodas: com as chuvas, a dirigibilidade dos veículos de duas rodas torna-se mais difícil. Portanto, considerando a fragilidade desse tipo de transporte, a dica principal é a prudência e o respeito às regras de trânsito. Usar roupa apropriada, como capa ou macacão impermeável.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas