Como a Inteligência Artificial pode ajudar a fortalecer os pequenos negócios

economia
30.11.2020, 06:00:00
A inteligência artificial está revolucionando o mercado de Customer Care, tornando o atendimento melhor (Shutterstock/reprodução)

Como a Inteligência Artificial pode ajudar a fortalecer os pequenos negócios

Especialista aborda vantagens dessa ferramenta e como ela pode e deve servir para humanizar as relações e processos

Dados do Sebrae apontam que os pequenos e médios negócios brasileiros respondem por cerca de 30% do PIB, além de concentrarem 55% do estoque de empregos formais no país. No cenário atual, esses 17 milhões de negócios foram impactadas diretamente e precisaram apelar para o universo digital para se manterem ativas. O Correio conversou com o especialista em Inteligência Artificial e o CEO da ALANA AI, Marcel Jientara sobre como usar essa ferramenta em prol dessas pequenas e médias empresas.

Quem é? Marcel Jientara

CEO e Produto: possui 7 anos de experiência em agências de publicidade, líder em design, tecnologia e B.I./Media para grandes anunciantes como Coca-Cola, Samsung e RB. Formado em Administração de Empresas pela FGV, também participou de diversas especializações em design e inovação em instituições como Hyper Island, ESPM e Perestroika. Foi também o COO Easyaula, uma startup de educação que passou pelo financiamento da Série A, aceleração em 2012 e Startup of the Year pela The Next Web Latin America em 2013.
Recentemente, foi aceito no curso de inovação e futurismo da Universidade Hebraica de Jerusalém, que tem 15 prêmios Nobel como professores.

Marcel Jientara defende que a Inteligência Artificial deve trabalhar atrelada à inteligência humana para produzir os melhores resultados para os negócios (Foto: Divulgação)

1.    Como a Inteligência Artificial pode hoje auxiliar o desenvolvimento de pequenas e médias empresas?

A IA pode ajudar sua marca de várias formas. Ela pode automatizar o departamento de marketing e atendimento ao cliente para reduzir custos, eliminar tarefas robóticas e liberar tempo para que seu time foque no que realmente importa. Ativando uma inteligência artificial em seus canais, a empresa pode:
- melhorar o engajamento da marca com seus clientes nas redes sociais;
- usar a ferramenta como sua nova vendedora, se comunicando na hora certa e com a oferta certa para cada possível cliente;
- resolver problemas de atendimento sem gerar grandes volumes para seu time humano;
- tirar dúvidas dos clientes que poderiam ser respondidas com um simples FAQ, deixando apenas as dúvidas mais específicas para os humanos atenderem

Cada caso pede uma habilidade diferente e ,juntas, as habilidades de uma inteligência artificial são capazes de atender a qualquer caso em qualquer segmento facilitando a vida da empresa e do consumidor também. 

2.    Quais os cuidados que o empreendedor deve ter ao integrar IA em sua rotina?

É muito comum os líderes das marcas que contratam soluções de inteligência artificial assumirem que ela vai resolver 100% dos problemas sozinha. É preciso reforçar que AI e humanos devem trabalhar juntos! O ideal é ter um profissional na sua equipe capaz se comunicar com a empresa fornecedora de AI para que ele siga as recomendações da ferramenta e também esteja preparado para transbordar para outros humanos aquilo que não foi resolvido pela inteligência artificial. A inteligência artificial tem que ser vista como uma colega de trabalho ou, como dizem por aí, uma coworker.


3.    Quais os tópicos relacionados a políticas de proteção de dados devem estar na cabeça no empreendedor?

É importante estar atualizado a respeito da nova Lei Geral de Proteção de Dados(LGPD), que foi sancionada recentemente aqui no Brasil. Enquanto o órgão oficial regulador não é definido pelas autoridades, busque conteúdos na internet que possam ajudar a entender melhor essa nova lei. 

O que muda para o indivíduo é que a lei vem para consolidar uma série de direitos já previstos no marco civil da internet e regulamentar na prática o que as empresas podem fazer com os dados pessoais. Do ponto de vista prático, o consumidor pode acionar essa empresa como indivíduo, questionar o que ela tem sobre ele e exigir que delete os dados. Isso é um grande avanço do ponto de vista de direitos individuais. 

Para as empresas, a mudança deverá rever como lida com esses dados e como pedem o consentimento da pessoa para usar esses dados. AS empresas precisam pedir a permissão. Por exemplo, um Shopping Center que pede seus dados na hora de acessar o wi-fi, não pode passar esses mesmos dados para um lojista, sem que haja uma solicitação clara de consentimento ao usuário. 


4.    Quais dicas são importantes para o empreendedor iniciar a inclusão de IA em sua rotina?

O importante é saber que a inteligência artificial foi criada para auxiliar ao máximo os processos e automatizar tudo que for possível. Mas nunca se apoie 100% nela como solução de todos os problemas. A inteligência artificial é inteligente até o ponto que a programamos para ser inteligente. Com os dados em mãos, é o humano que precisa tomar decisões e ter claro os objetivos que devem ser alcançados. AI é com certeza um dos melhores atalhos até esse objetivo, se contratada e usada da maneira certa.

5.    Em quais espaços a Inteligência Artificial vem ganhando espaço na rotina das pessoas?

Existem aplicações de inteligência artificial no dia a dia, que todo mundo já sabe. Como por exemplo, os posts que aparecem na timeline das redes sociais, o trajeto recomendado pelos apps de GPS, as recomendações de música do Spotify, o teclado virtual que sugere palavras para nossas mensagens, entre outros. Mas existem diversas outras aplicações de inteligência artificial que as pessoas nem percebem estar presentes no nosso dia a dia, como por exemplo, as próprias operações de investimento na bolsa de valores, que auxiliam na organização das finanças e, até mesmo, nos investimentos, as câmeras de vigilância em lojas e condomínios que observam e reportam movimentos suspeitos, e até mesmo as escolhas dos melhores anúncios de e-commerces que aparecem bem naquela hora que você estava pensando em comprar uma panela elétrica, que coincidência, né? Não, isso é inteligência artificial!

A inteligência artificial está revolucionando o mercado de Customer Care. Chatbots de atendimento com AI vêm proporcionando interações cada vez mais orgânicas entre marcas e clientes.

6.    Como  a IA pode ajudar nas relações com os clientes?

A qualidade da experiência conversacional entre chatbots e consumidores é vital para a satisfação do cliente, e, do ponto de vista de negócios, os chatbots otimizam ainda mais o trabalho de operadores de suporte ao cliente humanos: funcionam 24 horas por dia e são capazes de atender simultaneamente a um número ilimitado de pessoas.Os chatbots já não são mais o futuro do atendimento, são o presente. A adesão de ferramentas do tipo por empresas aumentou aproximadamente oito vezes desde 2017, de acordo com um relatório da Mobile Time. O uso da tecnologia AI permite reduzir o tempo de atendimento ao cliente, responder diversas dúvidas em poucos minutos e aumentar a eficiência dos times, desde o suporte até a equipe de marketing.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas