Conheça o paulista que está passando o seu 50º Carnaval na Bahia

carnaval
22.02.2020, 06:10:00
Atualizado: 24.02.2020, 18:09:42
(Evandro Veiga/Arquivo CORREIO e Acervo Pessoal)

Conheça o paulista que está passando o seu 50º Carnaval na Bahia

Publicitário Emmanuel Publio viu todas as transformações da maior festa popular do planeta

O Correio oferece acesso livre a todas as notícias relacionadas ao coronavírus. Entendemos que informação séria e confiável é importante nesse momento. Colabore para que isso continue. Assine o Correio.


Uma pergunta: você gosta de Carnaval? Melhor: você gosta do Carnaval de Salvador? Se você pensou que sim, na verdade você acha que gosta. Porque quem gosta mesmo do Carnaval de Salvador é o professor e publicitário paulista Emmanuel Publio Dias, 68 anos. Ele está comemorando o seu 50 Carnaval ininterrupto na Bahia, ainda que 48 anos desse tempo todo estivesse morando em São Paulo. Hoje, é um expert em Carnaval.  

A trajetória de Publio se confunde com a história do Carnaval da Bahia no último meio século. Viveu o período pré Axé Music, em que o Carnaval daqui se restringia ao trajeto Campo Grande e Praça Castro Alves. Em 1971, no seu primeiro Carnaval, na flor da idade, Publio viu de perto desde os Apaches do Tororó até as escolas de samba. 

CORREIO Folia: confira todas as notícias do Carnaval 2020

Mas já tinha trio elétrico. Se encantou com o trio da Saborosa, que tinha a forma da garrafa de uma cachaça da época. Nos anos seguintes, acompanhou Caetano e os tropicalistas se aproximarem de vez do Carnaval, fazendo-o explodir. 

“Antes a Bahia era uma coisa muito desconhecida para São Paulo e outros lugares do país. Alguns grupos de desbundados conheciam Jorge Amado e os tropicalistas. Foi nesse embalo que eu vim pra cá conhecer o Carnaval. Passei o verão inteiro. Me apaixonei. A partir dessa época todo mundo queria vir pra Bahia e pro Carnaval”.

(Foto: Arquivo / Marina Silva / CORREIO)

O próprio começou a divulgar o Carnaval entre os amigos. Em um determinado ano, estipulou a meta de colocar cem pessoas em um avião. Criou-se o grupo Cães Vadios. “Conseguimos botar 84 pessoas e não foi difícil. Teve gente implorando para vir no avião, mas faltou foi passagem aérea”. Os Cães Vadios tinham até mortalha e um bloco improvisado. 

Publio viu Moraes Moreira se tornar o primeiro cantor de trio elétrico. Antes, só se tocava frevos instrumentais. Mas Moraes pegou o microfone em que Osmar Macedo improvisava discursos para soltar a voz. “Isso foi um mudança absoluta. A raíz de todo o bem, como diz Saulo”. 

Publio então morou em Salvador por dois anos. Acompanhou a chegada da Axé Music e sua indústria. Em meados da década de 1980, foi chamado a elaborar o primeiro plano de comercialização do Carnaval. “O Carnaval começava a se tornar comercial. Eu nunca entendi porque não se ganhava dinheiro com o Carnaval. De tanto falar isso, me chamaram para fazer o plano”. Anos depois, o Carnaval se tornava um grande negócio. 

Publio vive o Carnaval raiz. “Jamais fui para um camarote ou comprei uma mortalha ou abadá. Meu Carnaval é no Garcia, na Liberdade, na rua, no Campo Grande”. Garante que passa o Carnaval inteiro gastando muito pouco. “Pode ter certeza que não gasto o Carnaval inteiro o valor de um dia de abadá. Em nenhuma outra cidade do Brasil é possível se viver o Carnaval com tantas possibilidades de fluir gratuitamente”.  

Todo Carnaval, Publio monta o seu roteiro para a festa. Esse ano, acompanhou no primeiro dia o Bloco da Capoeira e o Alerta Geral. Nessa sexta vai ver a saída do Olodum. No sábado tem Didá e Ilê. Domingo é dia de Gandhy. Aí vem Mudança do Garcia e por aí vai. “Gosto de olhar e sentir. Gosto de ver o povo. Sou um voyer do Carnaval”.

O CORREIO Folia tem o patrocínio do Hapvida, Sotero Ambiental, apoio institucional da Prefeitura Municipal de Salvador e apoio do Salvador Bahia Airports e Claro.

***

O CORREIO entende a preocupação diante da pandemia do novo coronavírus e que a necessidade de informação profissional nesse momento é vital para ajudar a população. Por isso, desde o dia 16 de março, decidimos abrir o conteúdo das reportagens relacionadas à pandemia também para não assinantes. O CORREIO está fazendo um serviço de excelência para te manter a par de todos os últimos acontecimentos com notícias bem apuradas da Bahia, Brasil e Mundo. Colabore para que isso continue sendo feito da melhor forma possível. Assine o jornal.


Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/gusttavo-lima-quebra-recorde-do-youtube-com-live-direto-de-sua-casa/
Foram 5h de show, 750 mil acessos simultâneos e 10 milhões de visualizações
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/coronavirus-sindico-instala-pia-na-entrada-de-predio-para-ajudar-vizinhos-idosos/
Espanhol radicado na Bahia decidiu ajudar na higiene no prédio que é síndico em Salvador
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/a-fe-nao-costuma-faia-como-manter-a-religiao-em-isolamento/
O amparo na religiosidade é a salvação para muitos soteropolitanos; tecnologia é aliada
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/janelas-da-quarentena-do-dj-ao-saxofone-vizinhos-transformam-isolamento-em-uniao/
Baiano é outro nível... Nos últimos dias, movimento tomou conta de Salvador: tem até Carnaval dentro de casa; confira
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/pearl-jam-lanca-gigaton-decimo-primeiro-album-da-banda/
Turnê, que começaria em abril, foi adiada por conta da pandemia do coronavírus
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/cremeb-suspende-medico-que-prometeu-soro-da-imunidade-para-covid-19/
Aldo Grisi fez propaganda de suposta medicação para prevenir o novo coronavírus
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/pela-1a-vez-papa-faz-rito-sozinho-e-da-indulgencia-plenaria/
Gesto inédito, por causa da pandemia do novo coronavírus, permite que mais de 1,3 bilhão de católicos tenham o perdão de seus pecados
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/rui-costa-vai-processar-quem-usar-carro-de-som-em-protesto-contra-quarentena/
Grupo planeja ida do Centro de Convenções ao Farol da Barra para pedir fim do isolamento
Ler Mais