'Coração acelerou e olhos encheram de lágrima', diz vítima ao rever maníaco do Subúrbio

salvador
14.07.2021, 05:15:00
Atualizado: 14.07.2021, 09:01:24
(Bruno Wendel/CORREIO)

'Coração acelerou e olhos encheram de lágrima', diz vítima ao rever maníaco do Subúrbio

Mulheres relatam sensação de angústia durante processo de reconhecimento do criminoso

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Assim que entraram na sala de reconhecimento de suspeitos, as vítimas não tiveram dúvida. "Quando o vi, revivi toda aquela cena. Meu coração acelerou e os meus olhos encheram de lágrimas", disse uma das jovens atacadas por Eucimar Veloso Jurit, 33 anos, o “Maníaco do Subúrbio”. Ela e uma outra jovem estiveram na manhã desta terça-feira (13) na 22 Delegacia (Simões Filho), onde o acusado custodiado foi submetido ao procedimento. 

De acordo com as investigações, Eucimar é acusado de pelo menos três tentativas de estupro e roubo no Subúrbio Ferroviário cometidos neste ano. No entanto, ele já tinha mandado de prisão em aberto pelo estupro de duas adolescentes em Simões Filho, cometidos em 2019. Então, polícias civis cumpriram a decisão da Justiça, prendendo o "Maníaco  do Subúrbio"  nesta segunda (12) na casa de parentes na cidade de Alagoinhas, para onde havia fugido quando os casos recentes vieram à tona há cerca de 15 dias. 

"Ele já era procurado por nós da 22ª Delegacia. Quando tomamos conhecimento dos novos casos, fizemos levantamentos e chegamos em Alagoinhas. Desde o momento da prisão até agora, ele nega todos os fatos recentes", disse o delegado Leandro Acássio, titular da 22 DP, uma unidade responsável pela prisão de Eucimar.  

Reconhecimento

As vítimas chegaram à delegacia por volta das 10h e foram levadas para uma sala adaptada para se fazer o reconhecimento de pessoas suspeitas de cometerem crimes. Através de uma parede de vidro que impossibilita que os acusados vejam quem está do outro lado, as duas jovens puderam ficar cara a cara com o acusado. Eucimar estava entre dois homens com características semelhantes. Além da exposição visual, os três foram interrogados para que suas vozes também fossem analisadas pelas vítimas. A conclusão foi que nenhuma delas teve dificuldade ao apontar Eucimar como o homem que as atacou 

"Sem dúvida foi ele. Os olhos castanhos, a maçã do rosto, a altura dele e a voz foram as características que mais me marcaram naquele dia e estavam nele", disse a jovem que foi atacada no bairro de São Tomé de Paripe. No dia, ela caminhava quando foi abordada por acusado, que desceu de uma picape branca armado com uma faca, obrigando-a a entrar no veículo. “Na hora não pensei duas vezes e resisti, lutei com ele. Quem passava de longe, pensava que era uma briga de casal. Depois que me joguei no chão, um outro homem se aproximou e ele fugiu”, contou ela. 

A outra vítima que participou do reconhecimento foi uma jovem atacada no bairro de Alto de Coutos. Ela tinha acabado de sair da igreja, quando foi puxada para dentro do carro e lavada, mas depois se jogou do veículo em movimento. "No carro, ele não queria que eu olhasse pra ele, que ficasse cabisbaixa. Ele passou mais de 10 minutos fazendo ameaças e por isso a voz dele me marcou. Na hora (do reconhecimento), o chamou a minha atenção foi a altura, o tom da pela e alguns traços do rosto, mas quando começou a falar, a voz foi inconfundível. Era como se ele estivesse falando tudo aquilo de novo. Ficar de frente com ele foi uma experiência horrível, apesar da necessidade para mantê-lo preso", declarou a vítima. 

O procedimento de reconhecimento do acusado foi acompanhado também pelo delegado Ricardo Amorim, titular da 5ª DP (Periperi). "As duas vítimas foram precisas ao apontá-lo e.por isso não há dúvida que ele é o autor dos crimes. Ele vai ser indiciado e vamos tudo o que temos, concluir o inquérito e enviar para a Justiça", disse Amorim.

Adolescentes  

Com a repercussão do caso do "Maníaco do Subúrbio", veio à tona dois casos de duas adolescentes que foram estupradas em setembro de 2019 por Eucimar. 

“Ela estava em casa, me pediu para ir na casa da minha amiga, que também foi estuprada. Ele ficou em um carro parado numa quadra em Mapele. Ficou observando as meninas que estavam no mercadinho. As meninas foram para quadra. Ele pegou elas no carro e levou para a CIA, estuprou, depois largou elas na rotatória de Mapele. As duas tinham de 16 anos”, lembrou a mãe de uma das vítimas.  

Ainda segundo ela, uma semana depois, ele foi preso por porte ilegal de armas e por ter estuprado uma adolescente de 14 anos na Ilha de São João, no bairro Ilha do Sossego.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas
  • Assinaturas: 71 3480-9140
  • Anuncie: 71 3203-1812
  • Ache Aqui Classificados: 71 3480-9130
  • Redação: 71 3203-1048